ed-fisica.gif (2468 bytes)

Esporte na infância evita problemas físicos

Especialista alemão em treinamento esportivo diz que atividade física ajuda crianças a apurar técnica

Marco Antônio Corteleti

s.gif (1141 bytes)tress, osteoporose, arteriosclerose, problemas circulatórios e de coluna são males da vida agitada das grandes cidades que podem ser prevenidos com atividades físicas a partir dos seis anos. A constatação é de uma das maiores autoridades mundiais em treinamento esportivo, Jürgen Weineck, professor da Universidade de Nürenberg, Alemanha, que veio à UFMG a convite da Escola de Educação Física para ministrar o curso Treinamento Moderno no Esporte.
Durante uma semana, Weineck debateu com profissionais, alunos e professores temas como diagnóstico do rendimento esportivo, novas tendências nos treinamentos de força, velocidade, compensação e recuperação e treinamento de crianças e atletas jovens.
O especialista alemão afirmou que 15% da população de seu país sofrem de osteoporose (aumento anormal da porosidade dos ossos) e 10% das crianças das nações industrializadas têm arteriosclerose (enrijecimento das artérias). Além de evitar o surgimento dessas doenças, a prática de atividade esportiva na infância possibilita o desenvolvimento de uma técnica de jogo mais apurada do que quando se começa na adolescência.
Weineck citou como exemplo o que acontece no Brasil, onde garotos começam a jogar bola nas ruas ainda pequenos. Pode estar aí, disse, uma das razões de muitos deles chegarem à idade adulta praticando o melhor futebol do mundo: "Na Alemanha, as crianças não têm essa facilidade. Nossos pontos fortes neste esporte acabam sendo a força física, a determinação e a disciplina".
O especialista, no entanto, alertou para a sobrecarga de treinamento na infância, o que pode prejudicar o desenvolvimento ósseo e muscular da criança e comprometer seu futuro no esporte. "É preciso aplicar corretamente os métodos de treinamento que se adaptam a cada faixa etária, sexo, peso e tamanho", disse.

Compensação
Weineck considera fundamental desenvolver também modalidades que complementem a atividade escolhida pela criança. É o que chama de treinamento de compensação. "Nenhuma modalidade esportiva sozinha consegue fazer com que um indivíduo desenvolva proporcionalmente todas as partes do corpo", explicou.
Como exemplos, citou a natação e a ginástica rítmica, dois esportes que os atletas começam a praticar muito cedo. "O primeiro desenvolve resistência e capacidade respiratória, mas não consegue o mesmo resultado com a estrutura óssea. Já a ginástica trabalha bem o equilíbrio e o ritmo, mas não aperfeiçoa a capacidade de reação que o futebolista tem", esclareceu.