Busca no site da UFMG

Nº 1674 - Ano 36
2.11.2009

Excelência potencializada

Sete grupos de ponta se unem na Fafich para formar o
Centro de Referência em Ciências Humanas

Bárbara Xavier França

Sinergia. A acepção mais comum da palavra está associada às ciências naturais – designa a ação simultânea de diversos órgãos para a realização de uma função. Agora, especialistas de outra área recorrem ao termo para sintetizar os objetivos de projeto que promete dar nova dimensão aos estudos das humanidades na UFMG: o Centro de Referência em Ciências Humanas (Cerhu), cuja sede está sendo construída como anexo da Fafich.

A sinergia que moverá o Centro de Referência emana de sete núcleos de pesquisas consolidados na Unidade: Centro de Referência do Interesse Público (Crip), Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp), Projeto Coleção Brasiliana, Núcleo de Estudos do Pensamento Contemporâneo, Projeto Democracia Participativa (Prodep), Centro de Estudos Legislativos (CEL) e Projeto República. Coordenadora deste último, a vice-reitora Heloisa Starling afirma que a estruturação do Cerhu é estratégica. “Para ser mais reconhecida, a UFMG precisa dar a devida atenção às ciências humanas”, analisa Heloisa, à frente da iniciativa junto com os professores Newton Bignotto, do Departamento de Filosofia, Leonardo Avritzer e Juarez Guimarães, ambos do Departamento de Ciência Política.

Para o professor Avritzer, coordenador do Crip e do Prodep, os sete grupos são reconhecidos nacionalmente e produzem conhecimento de ponta em suas respectivas áreas. “Mas falta integração a eles”, aponta, lembrando que ela é fundamental para potencializar a qualidade de sua produção acadêmica. O professor Ivan Domingues, do Departamento de Filosofia e coordenador do Núcleo de Estudos do Pensamento Contemporâneo, concorda: “Nossos grupos ainda estão aquém da contribuição que as ciências humanas podem e devem dar às demandas e solicitações da sociedade contemporânea”.

Estrutura

Foca Lisboa

O Cerhu, apoiado pela Reitoria, começou a sair do papel em maio de 2009, quando os grupos nele envolvidos conseguiram aprovar financiamento no CT-Infra, fundo de infraestrutura de apoio à pesquisa da Finep. Foram captados recursos de cerca de R$ 1,2 milhão, que estão sendo aplicados na construção de estrutura de cerca de 900 metros quadrados anexa ao prédio da Fafich. O prédio terá dois pavimentos erguidos sobre pilotis. A conclusão está prevista para maio de 2010.

Para o professor João Pinto Furtado, diretor da Fafich, a proximidade física dos grupos facilitará o trabalho. “Ela intensificará o convívio entre os pesquisadores, influenciando a qualidade dos estudos”, analisa. O professor Avritzer acrescenta: “O Cerhu redefine o espaço acadêmico e o próprio modo de produzir”.

O projeto prevê a ampliação física – com a construção de mais um pavimento – e a entrada de novos grupos, o que é uma garantia de vitalidade. “O Centro de Referência é permanente, mas os grupos podem se renovar. Eles permanecerão enquanto durar a pesquisa”, lembra o professor Ivan Domingues. Conferir projeção internacional ao Cerhu é uma das metas dos pesquisadores envolvidos na iniciativa. A intenção é promover intercâmbio de pesquisadores e criar mecanismos capazes de dar vazão à produção acadêmica, como o Boletim de Altos Estudos, bilíngue, que discutirá as contribuições das humanidades para iluminar a compreensão de temas contemporâneos, e uma base tecnológica para viabilizar o diálogo em tempo real e de qualidade com diversas universidades do mundo.

Os braços do Cerhu

Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública (Crisp)
Voltado para a elaboração, acompanhamento de implantação e avaliação crítica de políticas públicas na área da justiça criminal. Principais objetivos: facilitar a qualificação dos profissionais da área de segurança pública; elaborar estudos e pesquisas aplicadas e metodologias focadas em questões ligadas ao combate da criminalidade; auxiliar na construção de sistemas de informação e de programas de controle da criminalidade. Coordenação: professor Cláudio Beato, do Departamento de Sociologia

Centro de Estudos Legislativos (CEL)
Reúne entidades, estudiosos e pesquisadores dedicados aos temas do Poder Legislativo e de suas interações com os demais poderes e com os cidadãos.
Coordenação: professora Magna Inácio, do Departamento de Ciência Política

Centro de Referência do Interesse Público (Crip)
Projeto interdisciplinar voltado para a compreensão do Brasil a partir de discussão sobre valores, cultura, história e instituições políticas em sociedades democráticas. Coordenação: professor Leonardo Avritzer, do Departamento de Ciência Política

Núcleo de Estudos do Pensamento Contemporâneo
Formado por pesquisadores da filosofia e ciências humanas, tem como principal objetivo favorecer a discussão de temas da atualidade a partir de correntes do pensamento contemporâneo.
Coordenação: professor Ivan Domingues, do Departamento de Filosofia

Projeto Coleção Brasiliana
Seu objetivo é desenvolver estudos sobre autores e obras editados pela Coleção Brasiliana nos seus 10 primeiros anos de existência (1931 a 1941).
Coordenação: professora Eliana Dutra, do Departamento de História

Projeto Democracia Participativa (Prodep)
Formado por pesquisadores especializados no estudo da participação da sociedade civil nas políticas públicas. Entre os temas investigados, destaque para experiências de associativismo, orçamentos participativos, conselhos gestores e impacto das instituições participativas no sistema distributivo.
Coordenação: professor Leonardo Avritzer

Projeto República
Núcleo de pesquisa, documentação e memória. Seu foco é o período histórico republicano brasileiro e o estudo da temática do republicanismo. Entre outras realizações, o projeto tem se dedicado à pesquisa e curadoria de exposições, à produção de livros, relatórios, monografias, seminários, vídeos e CD-ROMs.
Coordenação: professora Heloisa Starling, do Departamento de História

Leia também: Inteligência governamental

Perspectiva da sede do Centro de ReferÍncia em CiÍncias Humanas