Notícias

Campanha ‘Renasce museu’, do MHNJB, chega à reta final

Publicado em 23 fevereiro 21 às 7:44 por admin

Iniciativa, que já arrecadou 94% do valor previsto, termina na quinta-feira, dia 25

Obras do artistas Rodi Núñez estão entre as recompensas da reta final da campanha
Obras do artistas Rodi Núñez estão entre as recompensas da reta final da campanha
Divulgação

A campanha de financiamento coletivo Renasce museu, lançada em janeiro pelo Museu de História Natural e Jardim Botânico (MHNJB) da UFMG, está chegando ao fim, com forte adesão da sociedade mineira. Até a manhã desta terça-feira, 23, foram arrecadados R$ 371,2 mil, o equivalente a 94% da meta de R$ 391 mil. O objetivo da iniciativa é angariar recursos para estruturar uma plataforma virtual, pública e gratuita com informações detalhadas e imagens dos acervos do Museu atingidos por incêndio em 15 de junho do ano passado. 

O valor arrecadado será usado na contratação de equipe especializada, na aquisição de equipamentos e do programa para documentação e gestão de acervos e na compra dos módulos do software responsáveis por detalhar o registro dos acervos arqueológicos e o treinamento da equipe responsável.

Em sua primeira etapa, a campanha atingiu a meta de R$ 300 mil, com apoio do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), que aportou R$ 2 a cada R$ 1 arrecadado. Renasce museu prossegue até quinta-feira, 25 de fevereiro, mas sem o suporte financeiro do BNDES em sua segunda etapa. A campanha conta com assessoria da Benfeitoria – consultoria especializada em crowdfunding – e apoio da Fundep e da Administração Central da UFMG.

Responsabilidade com o passado
Entre os 1.171 benfeitores que contribuíram com a iniciativa até o momento, o sentimento que prevalece é o da responsabilidade em preservar o passado. Para Gabriela Sobral, paleontóloga que acompanhou o incêndio do Museu Nacional do Rio de Janeiro, em 2018, iniciativas como a da UFMG são necessárias porque resgatam o registro da diversidade e da riqueza das culturas humanas presentes nos acervos dos museus. “O MHNJB tem um acervo paleológico e arqueológico muito rico. O acervo etnográfico mostra as culturas que estavam aqui antes da chegada dos portugueses e como elas nos afetam ainda hoje. Para entender o presente, é importante conhecer nosso passado”, defende

Com o objetivo de estimular a participação do público para que a meta final seja atingida, várias recompensas são oferecidas de acordo com a faixa de contribuição, como broches, cartões, camisetas, fotografias e obras de arte. Nos últimos dias de campanha, o destaque são as obras do artista visual porto-alegrense Rodi Núñez, famoso pela maneira sensível e poética com a qual trabalha as cores. Também está disponível um novo conjunto de fotografias de artistas mineiros, como Assis Horta, famoso por registrar o patrimônio artístico e arquitetônico de Diamantina, e Wilson Baptista, um dos fundadores do Foto Clube de Minas Gerais.

Na reta final, a campanha ganhou o reforço de outros artistas, que se uniram a Igor Cavalera, um dos fundadores e ex-integrante da Banda Sepultura, e ao guitarrista Toninho Horta, vinculado ao Clube da Esquina. A atriz Débora Falabella, os integrantes do grupo Pato Fu, o músico Maurício Tizumba, o coreógrafo Rodrigo Pederneiras, do Grupo Corpo, e os atores Eduardo Moreira e Teuda Bara, do Grupo Galpão, também gravaram vídeos de apoio à iniciativa, que podem ser assistidos no canal do MHNJB na plataforma YouTube.

Assista ao vídeo da campanha Renasce museu.

Leia mais sobre a campanha:
MHNJB planeja criar plataforma na web com informações sobre acervos atingidos por incêndio
Renasce museu’ bate meta de R$ 300 mil e entra na segunda fase de arrecadação

(Luana Macieira)