Notícias

Estudante da Medicina ganha prêmio na Holanda por inovação humanitária

Publicado em 4 novembro 19 às 15:09 por admin

Louison Mbombo coordena projeto de erradicação da malária no Congo

Louison Mbombo: projeto usa inteligência artificial
(Carol Morena / Faculdade de Medicina)

O estudante congolês Louison Mbombo, que cursa Medicina na UFMG, foi um dos três escolhidos para receber o Prêmio de Melhor Inovação Humanitária 2019 do The Dutch Coalition for Humanitarian Innovation (DCHI) – em português, Coalizão Holandesa de Inovação Humanitária. O prêmio foi entregue na última sexta-feira, 1º de novembro, em cerimônia realizada em Amsterdã, na Holanda.

A coalizão usa recursos, conhecimentos e capacidades presentes na Holanda para apoiar inovações humanitárias com impacto global. Para a premiação de 2019, a rede buscou inovações que recorressem a dados para fornecer ou gerar ações ou informações capazes de salvar ou melhorar a vida de pessoas afetadas por crises humanitárias ou naturais.

Foi a partir dessa busca que Louison chegou ao top 3 da premiação. Seu projeto de erradicar a malária no Congo foi reconhecido mais uma vez, mas agora pelo uso de inteligência artificial, por meio de ferramentas do Google e da Microsoft, que oferecem análise e apresentação de dados sobre a doença, possibilitando prever os surtos e facilitar as intervenções.

“Eu recebi um e-mail informando que meu projeto foi nomeado como um dos melhores de inovação humanitária do ano e que os jurados iriam analisar para decidir os vencedores. Agora estou no top 3″, conta. “Projetos do mundo inteiro concorreram. Eu fiquei surpreso e não sabia quem tinha me indicado. Esse prêmio significa muito para mim”, acrescenta o estudante, que recentemente foi eleito pela União Europeia como um dos 15 líderes jovens mais influentes do mundo.

Leia a matéria completa sobre a premiação no Portal da Faculdade de Medicina.