Notícias

Parceria com UE vai fomentar estudos sobre desenvolvimento sustentável

Publicado em 6 novembro 19 às 15:03 por admin

UFMG inaugurou hoje o Centro de Excelência Jean Monnet, que vai abrigar novos cursos e linhas de pesquisa e promover eventos

Solenidade reuniu professores, dirigentes e convidados na Reitoria
(Raphaella Dias / UFMG)

A UFMG inaugurou hoje, 6 de novembro, em solenidade na Sala de Sessões da Reitoria, o Centro de Excelência Jean Monnet, que vai abrigar, com recursos da União Europeia (EU), atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre temas europeus, nos âmbitos da política, da economia, do direito, da sociedade e da cultura. A temática central da atuação do Centro é o desenvolvimento sustentável.

“Esse é um assunto crucial para a Europa e para o Brasil. Essa reflexão tem que ser feita na universidade, por meio de ações de caráter multidisciplinar e comparado”, afirmou a reitora Sandra Regina Goulart Almeida, dirigindo-se a dirigentes e professores da UFMG e representantes dos governos federal e estadual.

Sandra foi acompanhada, à mesa, da embaixadora Maria Auxiliadora Figueiredo, que está à frente do escritório do Itamaraty em Minas Gerais, do diretor de Relações Internacionais, Aziz Tuffi Saliba, e da diretora do Centro de Estudos Europeus da UFMG (CEE), Jamile Bergamaschine Mata Diz, que também passa a coordenar o Centro Jean Monnet.

A embaixadora cumprimentou a Universidade pela conquista da parceria. “O Centro de Excelência é o grau mais alto do Programa Jean Monnet. A iniciativa demonstra o prestígio da UFMG e a importância da academia para a promoção do desenvolvimento”, disse Maria Auxiliadora Figueiredo.

Aziz Saliba lembrou que o Centro de Estudos Europeus passa a ter 12 projetos financiados pela EU, em diversas áreas, e que a iniciativa do Centro de Excelência se soma ao esforço dos outros centros de estudos regionais da UFMG, de professores e pesquisadores dedicados aos temas internacionais. “Ainda que memorável, este não será o último passo da nossa relação com a Europa, marcada pelo pluralismo e pela solidariedade”, enfatizou.

Depois de mencionar que a UFMG abriga, já há alguns anos, cátedras Jean Monnet nos campos do direito e da economia, Jamile Mata Diz informou que as atividades do Centro de Excelência vão abranger oferta de disciplinas e cursos de verão nos níveis de graduação e pós, realização de eventos científicos nacionais e internacionais, publicação de livros e artigos e criação e consolidação de linhas de pesquisa com foco no comércio, na proteção ambiental e no desenvolvimento social.

Transições socialmente justas
Em entrevista por e-mail, o gerente de projetos da Delegação da União Europeia no Brasil, Constanzo Fisogni, destacou que a parceria com a UFMG “é motivada por importantes esforços da Universidade para desenvolver estudos sobre a União Europeia”. Segundo ele, a UE investe em parcerias dinâmicas com universidades brasileiras e “tem a honra de dialogar e encontrar soluções para os desafios globais com parceiros como a UFMG”.

Fisogni: em benefício dos estudantes (Delegação da UE / Divulgação)

Constanzo Fisogni, que estará na UFMG nesta quinta, salientou que todo esse esforço conjunto deve beneficiar os estudantes, que serão os responsáveis por “construir as pontes de amizade entre o Brasil e a União Europeia nos próximos anos”.

De acordo com ele, a busca de uma economia circular, de sustentabilidade da produção de alimentos, de energia e mobilidade limpas e de transições verdes socialmente justas “será, seguramente, a base para um interessante e profundo debate com os acadêmicos do Centro de Excelência da UFMG”.

Debate na Face
Ainda integrando as atividades de inauguração do Centro de Excelência Jean Monnet, será realizada amanhã (quinta, 7), no auditório 2 da Faculdade de Ciências Econômicas (Face), mesa-redonda sobre Europa num mundo em transição. A atividade terá início às 19h e será seguida de debate.

A conversa reunirá Ramses A. Wessel, professor de direito e governança internacional e europeia da Universidade de Twente, nos Países Baixos (Holanda), e codiretor do Centro de Estudos Europeus dessa universidade; Jorge Fontoura, ex-consultor do Senado Federal e ex-presidente do Tribunal Permanente de Revisão (TPR) do Mercosul, e Liliana Bertoni, professora da Universidade de Buenos Aires e membro do Parlamento do Mercosul (Parlasur).