Cultura UFMG

Erro
  • JFolder::delete: Could not delete folder

Alunos participam do I Encontro Semestral da Formação Transversal em Culturas em Movimento e Processos Criativos

alt

A Diretoria de Ação Cultural (DAC) realizou na tarde de quinta-feira, dia 21, o I Encontro Semestral da Formação Transversal em Culturas em Movimento e Processos Criativos. O objetivo foi reunir os alunos e professores das 10 disciplinas e 4 laboratórios dessa modalidade da Formação Transversal (FT), que já estão em curso no segundo semestre de 2017.

Realizado no auditório do segundo andar da Biblioteca Central da UFMG, o evento contou com a presença do reitor em exercício, José Marcos Nogueira, da diretora de Ação Cultural, Leda Martins, do pró-reitor de Graduação, Ricardo Takahashi, e da diretora da Escola de Música, Mônica Pedrosa de Pádua. 

Takahashi contextualizou sobre o processo histórico de flexibilização dos currículos da UFMG, que culminou na criação, em 2014, dos percursos de Formação Transversal, definidos por ele como “pequenos trechos de currículo que giram em torno de algum tema”. O pró-reitor de Graduação afirmou sobre a preocupação da Universidade em oferecer à sociedade indivíduos capazes de olhar para as transformações sociais, agentes em suas escolhas de percurso acadêmico. “A UFMG optou por não formar todo mundo igualzinho”, afirmou.

Durante o encontro, os estudantes assistiram à palestra "Música e Transdisciplinaridade", na qual a professora Mônica Pedrosa abordou os trânsitos, aproximações e movimentos entre a Música e outras áreas e subáreas do conhecimento. Ao final do evento, foram esclarecidas dúvidas sobre o funcionamento da Formação Transversal em Culturas em Movimento e Processos Criativos e distribuídos os passaportes culturais.



alt

A diretoria de Ação Cultural, Leda Maria Martins, afirmou a importância em se reconhecer o papel potente da cultura enquanto formadora cidadã e acadêmica. “A cultura integra a Universidade, ela está na Universidade não como um simples entretenimento, ou ilustração, ou uma indicação, ela é um lugar de produção de conhecimento e de constituição dos sujeitos cidadãos que saem daqui como profissionais que vão atuar na sociedade em geral. Esse é um salto aparentemente, nos parece tão óbvio, mas não é”, afirmou. Mais do que figura secundária nos ambientes universitários, a diretora reforça a importância da cultura como peça essencial à formação e direito de qualquer aluno.

Abrilhantando o encontro, Polliana Martins, aluna da Escola de Música e integrante do Coral Ars Nova UFMG, apresentou canções líricas, acompanhada do correpetidor, Bruno Cruz, no teclado.

 

Você está aqui: Home