Fabiana Böhm, professora na Universidade Nacional de Cuyo, participa do Programa Escala Docente

Destacado

Fabiana Böhm Carrer, da Universidade Nacional de Cuyo – UNCUYO, participou do Programa Escala Docente, cujo edital é divulgado anualmente pela Diretoria de Relações Internacionais, e tem o objetivo de promover a mobilidade de docentes das universidades latino-americanas do Grupo Montevidéu (AUGM).

A professora escolheu a Faculdade de Educação da UFMG e contou com ajuda de custo para cobrir as despesas com passagem, diárias de hospedagem e alimentação.

Em relação ao projeto proposto, participou de seminários com a equipe de investigação, de audiências e de reuniões em unidades prisionais. Ressaltou o treinamento pessoal e o aprendizado por meio da experiência com a equipe de pesquisadores, relação que se mantêm, possibilitando espaços de comunicação, convocatórias, seminários e intercâmbios virtuais durante 2020, e com expectativas de novos encontros e planos futuros.

Por fim, destacou a dedicação da equipe e sugeriu uma proposta um tour pela UFMG e suas dependências, bem como apoio na divulgação e convocação de atividades de mobilidade.

Os docentes interessados em participar do programa Escala Docente devem ficar atentos ao site da DRI, onde é divulgado o edital anualmente.

 Mais informações dos editais anteriores podem ser consultadas aqui.

Fernando Jayme, professor na Faculdade de Direito da UFMG, participa do Programa Escala Docente

Destacado

Fernando Jayme, professor vinculado ao Departamento de Direito e Processo Civil e Comercial da Faculdade de Direito da UFMG, participou do Programa Escala Docente, cujo edital é divulgado anualmente pela Diretoria de Relações Internacionais, e tem o objetivo de promover a mobilidade de docentes das universidades latino-americanas do Grupo Montevidéu (AUGM).

O professor escolheu a Universidad Nacional de Tucumã, na Argentina, onde esteve durante quinze dias. Entre as várias ações desenvolvidas, atuou em uma série de atividades acadêmicas, como tarefas conjuntas de Extensão e Pesquisa, congressos, seminários de pós-graduação sobre “novas formas de transporte integrado em cidades sustentáveis” e o “Ensino de Direito pelo Método do Caso”, para professores universitários e graduados em geral. Além de Workshops sobre “Estudo do Direito dos Transportes com casos práticos elaborados a partir das novas reformas do Código Civil e Comercial da República Argentina”, e a participação nas disciplinas relacionadas ao tema proposto, com o objetivo de observar o método de ensino e o estudo de Direito Comparado.

Concluiu, mencionando a importância da aproximação entre as instituições, que neste caso, em razão das semelhanças entre os povos, também compartilham alguns problemas, o que proporciona a possibilidade no desenvolvimento de vários projetos.

Os docentes interessados em participar do programa Escala Docente devem ficar atentos ao site da DRI, onde é divulgado o edital anualmente.

 Mais informações dos editais anteriores podem ser consultadas aqui.

Fernando Chaib, professor vinculado à Escola de Música da UFMG, participa do programa Escala Docente da AUGM

Destacado

Fernando Chaib, professor na Escola de Música da UFMG, vinculado ao Departamento de Instrumento e Canto, participou do Programa Escala Docente, cujo edital é divulgado anualmente pela Diretoria de Relações Internacionais, e tem o objetivo de promover a mobilidade de docentes das universidades latino-americanas do Grupo Montevidéu (AUGM).

O professor escolheu a Escola de Música da Universidad de La Republica, em Montevidéu, Uruguai, onde esteve durante 15 dias em uma residência artístico-pedagógica. “Desenvolvi atividades individuais e em grupo com os alunos e professores do curso de Percussão da EM/UDELAR, aulas individuais, master-classes sobre música brasileira e experimental, aulas coletivas e ensaios com o Grupo de Percussão da UDELAR”, relatou.

 Além disso, contou que teve a sorte de estar na chamada Semana del Património, em que ocorrem a divulgação e produção das mais variadas expressões artísticas uruguaias, por todo o país. “Pude assistir ao maravilhoso e único desfile das comparsas de Candombe que saem pelas ruas de Montevideo, lembrando os blocos de carnaval da primeira metade do século XX, no Rio”, comentou o professor.

 Em relação aos resultados, Fernando acrescentou que “foi realizado um concerto do Grupo de Percussão da UDELAR sob minha direção com obras (brasileiras e estrangeiras) inéditas em solo uruguaio, além de um recital solo meu também com obras brasileiras e estrangeiras inéditas no Uruguai. Executar obras inéditas numa determinada região significa efetivamente fortalecer e enriquecer o cenário intelectual-artístico daquele lugar, ampliando os produtos culturais existentes, levando, muitas vezes, linguagens muito pouco ou ainda não exploradas.”

Concluiu, sugerindo um intercâmbio de parceria, com candidaturas conjuntas de dois professores: se um professor do país A é aceito para ir ao país B, automaticamente o professor do país B irá depois ao país A. “Penso que esse seria o verdadeiro impacto para a comunidade da Escola de Música da UFMG e o verdadeiro intercâmbio”, comentou o professor.

Os docentes interessados em participar do programa Escala Docente devem ficar atentos ao site da DRI, onde é divulgado o edital anualmente.

Mais informações dos editais anteriores podem ser consultadas aqui.

UFMG realiza Encontro de Orientação do Estudante Internacional 2020/2

Destacado

Como alternativa às limitações impostas no trânsito internacional de estudantes, a UFMG se adaptou e oferta como opção neste semestre, em edição inédita, a mobilidade acadêmica em formato integralmente virtual. No total, dezesseis instituições enviam estudantes que acompanharão aulas e projetos ao longo dos próximos quatro meses.

“Trata-se de um processo cujo propósito é promover o fluxo internacional não só de pessoas, mas também de ideias e conhecimentos”, cita Aziz Tuffi Saliba, Diretor de Relações Internacionais na UFMG. Para o professor, que comemora o avanço das colaborações interinstitucionais e iniciativas de internacionalização na universidade, mesmo na adversidade dos tempos atuais os resultados construídos ao longo dos últimos anos são marcantes e colocam a instituição em evidência internacional crescente: “Temos hoje o maior catálogo de graduação em língua estrangeira do país, com mais de 50 cursos em inglês e espanhol”. Atualmente, a UFMG possui parcerias em todos os continentes, ao longo de 50 países, e participa de redes importantes como a AUF, AUGM, AULP, Grupo Tordesilhas e WUN.

Além dos estudos de graduação e pós-graduação, os estudantes estrangeiros cursam gratuitamente a disciplina Português como Língua Adicional, ministrada pelo professor Henrique Leroy, da Faculdade de Letras. “Trabalhamos com um grupo multinível, com diferentes graus de conhecimento, mas de forma integrada”, comenta o docente. “As aulas são ambientes de troca: aprendemos muito sobre cada cultura, cada língua. Infelizmente nesta edição não haverá imersão presencial, mas reproduziremos alguns contextos nas aulas de forma a aprofundar a experiência de cada estudante.”

Durante o período de estudos, os alunos internacionais são acompanhados pelo Setor de Acolhimento, na responsabilidade da servidora técnico-administrativa Elaine Parreiras, que assegura o contato e recepção do grupo por meio de atividades e dinâmicas propostas ao longo do semestre, com destaque para o Programa de Apadrinhamento Internacional (‘buddy program’), que oportuniza a criação de laços e apoio direto aos participantes por estudantes brasileiros; e também pelo Setor de Admissão Internacional, responsável pelos trâmites administrativos relacionados à jornada na UFMG desde a matrícula até o envio do certificado de notas.

Formação Transversal em Estudos Internacionais

Ofertada semestralmente aos estudantes brasileiros e internacionais, a FTEI é composta por disciplinas optativas no nível de graduação com enfoque internacional ou comparado ministradas integralmente em língua inglesa ou espanhola, proporcionando uma ambiência verdadeiramente plural em termos nacionais, étnicos, valorativos; compõe também os esforços por uma internacionalização em casa, conectando a comunidade internacional e os brasileiros regularmente registrados.

Leonardo Parentoni, professor vinculado à Faculdade de Direito da UFMG, participa do programa Escala Docente

Leonardo Parentoni, selecionado para o Programa Escala Docente na UFMG

“Recomendo aos colegas da comunidade da UFMG que busquem conhecer e participar das atividades da Associação de Universidades Grupo Montevidéu (AUGM), disponíveis tanto para docentes quanto para discentes. Elas trazem um benefício enorme para as pessoas e as instituições envolvidas”, esse foi o depoimento feito pelo professor Leonardo Parentoni que trabalha no departamento de Direito e Processo Civil e Comercial (DIC), vinculado à Faculdade de Direito da UFMG, para incentivar a todos da Universidade.

Leonardo Parentoni, foi selecionado para participar do Programa Escala Docente, cujo edital é divulgado anualmente pela Diretoria de Relações Internacionais, e esteve durante sete dias em Montevidéu, em junho de 2019, para desenvolver, especialmente, atividades de pesquisa na Universidad de la República (UDELAR).

Ele foi recebido pelo departamento da UDELAR denominado Centro de Derecho Informático, que realiza atividades envolvendo Direito e Tecnologia, setor correlato ao que ele atua na UFMG, onde é o fundador e coordenador da área de estudos de Direito, Tecnologia e Inovação, da Pós-Graduação da Faculdade de Direito, tendo longa trajetória de pesquisas e publicações sobre o tema.

Dentre as atividades desenvolvidas no âmbito do programa estão uma reunião realizada com o coordenador de Pós-Graduação da UDELAR, para o estreitamento de laços com a UFMG, que abordou questões como publicações conjuntas e intercâmbio docente e discente. Além disso, Leonardo Parentoni proferiu conferência aberta ao público sobre Regulação de Tecnologias Disruptivas no Século XXI e uma conferência de abertura das Jornadas Acadêmicas do Centro de Derecho Informático no ano de 2019 (maior evento desse Centro), discutindo o tema Inteligência Artificial e Direito, bem como assistiu, como ouvinte, a todas as demais conferências do evento.

Houve também uma visita ao edifício da Presidência da República para participação no evento intitulado “Charlas de Café” restrito a servidores de alto escalão do Poder Executivo local, no qual Parentoni teve a oportunidade de expor sua visão a respeito da privacidade e proteção de dados pessoais.

Por fim, satisfeito com a mobilidade e com o auxílio financeiro que é oferecido pelo programa Escala Docente ele afirmou que a experiência foi importante em vários aspectos: “Foi engrandecedor tanto do ponto de vista profissional quanto pessoal. Profissionalmente porque o programa me propiciou conhecer pesquisadores e alunos estrangeiros, com os quais mantenho contato desde então e participamos juntos de publicações, aulas, debates e outras atividades acadêmicas, tendo sido a viagem fundamental para construir e manter esses vínculos”, disse ele considerando que também teve um crescimento pessoal por poder viver em Montevidéu e conhecer a cultura local, algo que não seria possível sem estar pessoalmente ali, ainda que por pouco tempo.

Os docentes da UFMG que ficaram interessados em se candidatar ao programa Escala Docente da AUGM devem ficar atentos ao site e redes sociais da DRI, bem como ler os editais anteriores para saber mais sobre os pré-requisitos e condições para fazer mobilidade em uma das universidades latino-americanas da Associação de Universidades Grupo Montevidéu.

Maria Cecília, do departamento de Engenharia Mecânica da UFMG, participa do programa Escala Docente da AUGM

Maria Cecília Pereira, selecionada para o Programa Escala Docente na UFMG

A professora Maria Cecília Pereira, do departamento de Engenharia Mecânica da UFMG, foi selecionada para participar do Programa Escala Docente, cujo edital é divulgado e gerenciado anualmente pela DRI.

O Programa é destinado à mobilidade de docentes das universidades latino-americanas do Grupo Montevidéu (AUGM).

Considerando o auxílio financeiro concedido pelo programa suficiente para as despesas locais, Maria Cecília contou à equipe de comunicação da DRI que esteve de julho a agosto de 2019 na Universidad Nacional de Córdoba, na Argentina, onde ministrou um minicurso para a pós-graduação sobre velas solares, área de seu doutorado.

“Acertamos uma parceria para um projeto conjunto no âmbito do edital PRIMAR, argentino, mas que estimula parcerias internacionais. O projeto visa utilizar velas solares para encontrar órbitas estáveis para usar como órbitas cemitério para satélites de pequeno porte ou para reentrada na Terra, seja com queima total na atmosfera ou controlando a região de impacto para não acertar regiões com população.” diz ela ao aprofundar sobre o que foi feito no exterior.

Como desdobramento dessa iniciativa o projeto ganhou repercussão entre os alunos, que hoje tem a participação de seis alunos de graduação, atualmente desenvolvendo um simulador em Python para complementar este trabalho.

Outra conquista marcante foi o contato com o professor Guillermo Cid, professor de Manutenção de Aeronaves na UNC e que também leciona um curso sobre Gestão Aeroportuária.

“O Professor Guillermo Cid se dispôs a vir também no AeroCB, evento realizado pelo curso de Engenharia Aeroespacial da UFMG, embora tenhamos tidos recursos limitados, ou seja, ele gastou na viagem, para dar palestra e minicurso sobre Gestão Aeroportuária no nosso evento”, salientou a professora.

Desta forma o Escala Docente contribuiu significativamente para a comunidade acadêmica da Universidade no sentido de captar mais alunos para o projeto conjunto de Astronáutica, além de trazer um professor experiente de Aeronáutica que ministrou cursos para os alunos da UFMG.

Estudante alemã da Universidade de Flensburg participa de projetos e ações da DRI

Entre fevereiro e abril deste ano Leonie Hensel, que se dedica aos estudos de cultura, mídia e linguagem em um programa de pós-graduação da Universidade de Flensburg, na Alemanha, teve a oportunidade de trabalhar em diversos projetos da Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da UFMG.

Durante sua experiência na UFMG a alemã colaborou com trabalhos de tradução para a seção de acordos do Setor de Convênios da DRI, coleta de informação para a produção do novo site da DRI, além de ajudar o Setor de Acolhimento da DRI na organização da Semana de Orientação do Estudante Internacional, dentre outras participações.

Leonie, na Semana de Orientação do Estudante Internacional.

Com o intuito de contribuir para a prática da língua alemã ela também promoveu alguns encontros de conversação em alemão para toda a comunidade acadêmica da Universidade.

Encantada com a recepção da equipe da DRI e com a receptividade do povo mineiro em geral ela falou um pouco sobre suas impressões: “Esta foi uma ótima experiência. Os brasileiros são incrivelmente legais, meus colegas da DRI estão me ajudando sempre que podem. Além disso, minha supervisora Flávia é muito inteligente e está fazendo tudo o que pode para me fazer sentir confortável aqui. Tive ideias em todos os setores e fiquei muito impressionada com o alto grau de internacionalização da UFMG”, afirma ela que tem o objetivo de trabalhar em um ambiente internacional no futuro.

Por fim, ela que diz que espera retornar ao país em breve. “Fiz alguns amigos durante o meu tempo aqui. Então, eu realmente sinto que tenho que voltar para Belo Horizonte em breve, e eu ficaria mais do que feliz em tê-los na Alemanha um dia”, conclui.

Student’s mobility at UFMG in 2020/2: Open call for nominations and applications

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), through its Office of International Affairs, is pleased to announce the open call for nominations and applications for international students academic mobility at UFMG in the second semester of 2020. Partner institutions shall indicate the selected student(s) from March 1st to April 15th, 2020.

For further information, please contact the International Incoming Services at intercambios@dri.ufmg.br.