Text Size

        

Polo da UAB em Januária recebe Menção Honrosa em premiação da Capes

  

“Para quem produz com qualidade, o reconhecimento chega, com grandes ou parcos incentivos”. É assim que Cecília  Guimarães (foto) , coordenadora do polo de apoio presencial de Januária, Minas Gerais, resume sua alegria pela menção honrosa  recebida durante premiação realizada no Encontro Nacional de Coordenadores de Polos da UAB, que aconteceu entre os dias  18 e 19 de novembro, na sede da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), em Brasília. O prêmio foi marcado pela entrega de uma placa.

O polo, localizado na região norte do estado, foi um dos indicados para a categoria “Boas Práticas”, que premia as iniciativas empreendidas pelas suas gestões dos locais, e agraciado com a “menção honrosa” pela promoção da “Mostra de Cultura Hispânica: Múltiplos Pueblos, Múltiples Costumbres”, em 2010.

Desenvolvido por alunos da licenciatura em Letras, oferecida pela Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), o evento visou aproximar o curso da comunidade local, especialmente dos estudantes da educação básica, e difundir a cultura de países de língua espanhola, além de integrar alunos e professores das modalidades presenciais e a distância.

Para a professora, a premiação é uma recompensa pelo trabalho que vem sendo feito no polo, especialmente pelos alunos. “É maravilhoso sabermos que nossa luta não foi em vão. Quero dividir esse reconhecimento com os nossos acadêmicos, que buscaram fazer a diferença, colocando em prática o que estão aprendendo, mostrando que é possível desenvolver boas praticas dentro de sua vida profissional, acadêmica e, acima de tudo, como cidadãos”, diz Cecília.

Diferencial

Criado em 2006 e com ofertas de cursos desde 2009, o polo de Januária abriga atividades presenciais de oito cursos oferecidos por quatro instituições de ensino superior: Matemática e o aperfeiçoamento em Educação Científica: Educação não Formal de Ciência e Tecnologia, pela UFMG, Computação, pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Triângulo Mineiro; Química, pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri; Administração Pública, Pedagogia, Gestão Pública e Letras/ Espanhol, pela Unimontes.

O local, mantido pela prefeitura e por recursos destinados pela Capes, tem possibilitado a Januária se tornar uma cidade de referência local em educação de nível superior, atraindo estudantes de todas as partes do estado.

Na avaliação do coordenador da UAB na UFMG, Wagner Corradi, os esforços do poder público municipal e da coordenação do polo são alguns dos pontos que explicam a qualidade alcançada. “O diferencial do polo de Januária, além do engajamento da prefeitura e da coordenação do polo para manter uma infraestrutura muito boa e pessoal de suporte bem capacitado, é o trabalho de divulgação da EaD na região que é muito importante.”

Para o futuro, Cecília revela que há planos de incrementar o espaço com os novos computadores que deverão ser enviados pela Capes, articular parcerias com novas instituições de ensino superior para oferta de novos cursos, alguns deles, inclusive, abertos à comunidade. Uma das aspirações mais altas é a angariação de verbas para a construção de uma sede própria para o polo, que hoje é sediado num prédio no campus da Unimontes, no bairro Vila Fátima. “Planos são muitos, alguns, para melhor dizer, são sonhos que esperamos em médi  prazo, tornarem-se realidade”, finaliza.

Debate 

O polo de Januária foi um dos quatro representantes dos polos mineiros que participaram do Encontro Nacional de Coordenadores de Polos da UAB. O evento permitiu que os coordenadores e mantenedores dos locais tivessem a oportunidade de discutir os problemas ligados ao suporte das atividades presenciais com a Diretoria de Educação a Distância da Capes (DED/Capes) e os conselheiros do Fórum de Coordenadores da UAB.

“Foi muito produtivo e o principal resultado foi o estreitamento da comunicação entre esses diversos atores do sistema da Universidade Aberta. Um dos planos de ação foi a criação de uma instância de discussão dos mantenedores com a Capes, via União Nacional dos Dirigentes Municipais (Undime), dentro dos Fóruns Estaduais Permanentes de Apoio à Formação Docente (FORPROF) e, no caso dos coordenadores de polo, uma política mais abrangente no processo de seleção bem como o estímulo à sua formação continuada”, explica o coordenador.