Espaço em Rede – Espaço do Conhecimento UFMG
 
Acontece | Espaço em Rede

Espaço em Rede

Oficinas, contações de histórias, jogos e brincadeiras: essas são algumas das ações educativas realizadas no Espaço do Conhecimento UFMG. Desde 2020, essas atividades foram adaptadas para o ambiente virtual, dentro do novo projeto Espaço em Rede, que criou alternativas de conexão, aproximação e troca, a partir do compartilhamento de conteúdos criativos e instigantes, no YouTube e IGTV. Em 2021, o Espaço em Rede vai além! Desde março acontecem oficinas virtuais ao vivo, pelo Zoom, com turmas reservadas a grupos escolares e outras para o público em geral. Todas as atividades são gratuitas, mas têm vagas limitadas, preenchidas por ordem de inscrição. Fique de olho para saber como participar.

Programação 2021:

 

DEZEMBRO | Vídeo: A Lenda da vela de Natal

O vídeo “A Lenda da vela de Natal”, acessível em Libras e produzido pelo Núcleo de Ações Educativas do Espaço do Conhecimento UFMG, é uma contação de história sobre a origem da tradição das luzes de Natal. Uma tradição que até os dias de hoje cercam  diferentes culturas, representando  um símbolo de esperança e recomeço. Feliz Natal!

Confira: 


DEZEMBRO | Vídeo: Por dentro do Manto do Vaqueiro

Em “Por dentro do Manto do Vaqueiro”, lhe convidamos a conhecer  um poema ilustrado inspirado  na instalação “O manto do Vaqueiro”, presente na exposição virtual Sertão Mundo.  A obra original foi concebida e coordenada pela artista e professora Beth Ziani, resultado da participação de mais de 200 pessoas, tendo como proposta um resgate da memória local integrada à literatura de Guimarães Rosa. 

Confira: 


DEZEMBRO | Vídeo:  O Sertão é o Mundo!

No vídeo “O Sertão é o Mundo!, acompanhamos um breve resumo sobre as temáticas que envolvem a exposição virtual “Sertão Mundo”. Dois contadores de histórias, em diálogo, narram características, materiais e aspectos presentes no sertão, como árvores, frutos, animais, comidas típicas, brincadeiras, entre outros.

Confira: 


DEZEMBRO | Videoclipe:  O que tem no Sertão? 

Acessível em Libras, o videoclipe “O que tem no Sertão? mistura brincadeira e música, com intuito de apresentar alguns elementos do Sertão mineiro. O canto ritmado passa por diversos estilos musicais presentes no sertão, como coco, maracatu, congado e afoxé.

Confira: 

 


NOVEMBRO | Oficina ‘Saberes indígenas e as plantas do meu quintal’

O conhecimento é o aprendizado compartilhado! Pensando nos povos originários e sua relação com as plantas e etnofármacos, esta oficina do Espaço em Rede em novembro trabalhará aspectos importantes dos saberes indígenas. Na atividade, o Núcleo Educativo do museu utilizará brincadeiras e desafios para os participantes testarem seus conhecimentos sobre os usos de algumas plantas pelos povos indígenas. A oficina, que  consiste em uma extensão lúdica do projeto que deu origem a publicação do catálogo “Saberes Indígenas e Etnofármacos”, é destinada a crianças (a partir dos 9 anos), jovens e adultos, e acontecerá pela plataforma Zoom. Não perca! A oficina acontece no dia 13 de novembro! 

Quando: 13 de novembro, sábado, às 10h.

Onde: plataforma Zoom (o link será enviado aos inscritos por e-mail)

Vagas: 20 Inscrições: https://forms.gle/Ver6MZDjm5z3xPU56

Atividade gratuita

 


OUTUBRO | Oficina virtual “Pequenos Invasores: ao ataque!”

Baseando-se em um jogo super divertido e cheio de imaginação,  na oficina “Pequenos Invasores: ao ataque!”, os participantes terão que desenvolver estratégias para proteger seu castelo de um inimigo misterioso. Ao longo da atividade, trabalharemos analogias para explicar o funcionamento das vacinas. O castelo e suas defesas representam o nosso sistema imunológico, os invasores representam os micro-organismos, e um “mensageiro”, representa as vacinas, que constantemente nos apresenta informações sobre a ameaça, auxiliando na melhoria das defesas.

Quando: 16 de outubro, sábado, às 10h

Onde: plataforma Zoom (o link será enviado aos inscritos por e-mail)

Vagas: 20 | Inscrições: https://bit.ly/3DbPWew 

Atividade gratuita

 


OUTUBRO | Desdobrando o museu: Aves do Sertão

O vídeo “Desdobrando o museu: Aves do Sertão’” é um convite para a construção de origamis (dobraduras em papel), com inspiração na instalação “Ave, Sertão!”, da artista Dilce Laranjeira, na exposição virtual ”Sertão Mundo”. Assim, no vídeo, você poderá conhecer um pouco da instalação e, através de um passo a passo super divertido, construir um origami de uma dessas aves que habitam esse lugar que possui uma biodiversidade e cultura tão únicas. A atividade esteve inclusa na programação do Espaço para Virada Cultural de BH, que aconteceu entre os dias 16 e 17 de outubro de 2021.

Confira:

 


SETEMBRO | Catálogo “Saberes Indígenas e Etnofármacos”

O Núcleo de Ações Educativas, Acessibilidade e Estudos de Público do Espaço do Conhecimento UFMG disponibilizou o  catálogo Saberes Indígenas e Etnofármacos. O objetivo é apresentar parte dos resultados de pesquisa sobre os usos de plantas medicinais, propondo uma breve apresentação dos saberes tradicionais dos povos Maxakali, Pataxó, Xakriabá e Yanomami. A motivação para essa pesquisa se dá a partir do envolvimento entre mediadores e o público, na exposição “Mundos Indígenas”, inaugurada no Espaço do Conhecimento UFMG em dezembro de 2019 e que apresenta os modos de viver, de saber e de cuidar dos povos Maxakali, Pataxó, Xakriabá, Yanomami e Ye’kwana.

Acesse o Catalogo Saberes Indígenas e Etnofármacos

Confira também os mediadores “Babosinha” e “Boldinho”

 


SETEMBRO | Oficina virtual “Hora da Palavra” – Projeto Sertãozinho

A linguagem não é um elemento estático. Muito pelo contrário, ela está em constante mudança, atualizando-se a todo momento em que a usamos. Quem nunca criou novas palavras ou atribuiu novos significados às palavras que já existem? Em setembro, a oficina “Hora da palavra” do Espaço em Rede, no clima da exposição virtual Sertão Mundo, vai propor aos participantes a construção de neologismos utilizando como inspiração os elementos do Sertão.

Quando: 11 de setembro, sábado, às 10h

Onde: plataforma Zoom (o link será enviado aos inscritos por e-mail)

Vagas: 20 pessoas | Inscriçõeshttps://forms.gle/rHZHMvyPgZuMQUwdA

Atividade Gratuita

 


JULHO | Oficina virtual “Brincando de contar histórias” para grupos escolares

No dia 6 de julho, às 10h, será realizada a oficina virtual Brincando de Contar Histórias, mesclando contação de histórias com brincadeiras que ajudarão na construção de narrativas, abordando como as diversas culturas pensaram a criação do mundo e dos seres humanos. A turma é destinada a grupos escolares e o formulário de inscrição estará aberto nos dias 28 e 29/06.

Quando: 06 de julho, sábado, às 10h

Onde: plataforma Zoom (o link será enviado aos inscritos por e-mail)

Vagas: Grupo de até 20 alunos | Inscriçõeshttps://forms.gle/dbE6RzfoXbjyExnJ6

Atividade Gratuita

 


JUNHO | Oficina virtual “Brincando com as Palavras”

Paçoca, pipoca, Maracanã, jacaré, Ipanema: o que essas palavras têm em comum? Assim como diversos outros hábitos, comidas, práticas e instrumentos que estão presentes no nosso dia a dia, elas têm origem nos conhecimentos dos povos indígenas! Em junho, a oficina do Espaço em Rede vai propor aos participantes uma reflexão sobre as culturas indígenas, utilizando palavras presentes no léxico do português brasileiro. Através de jogos e desafios, a oficina “Brincando com as Palavras” realizada no dia 19 de junho, traz, de forma lúdica e leve, uma contextualização histórica sobre os povos indígenas brasileiros. Falaremos também sobre os troncos linguísticos Tupi e Macro-Jê, sua estrutura e relevância, além da formação de palavras influenciadas mais especificamente pelo tronco linguístico Tupi.

Quando: 19 de junho, sábado, às 10h

Onde: plataforma Zoom (o link será enviado aos inscritos por e-mail)

Vagas: 20 | Inscrições: https://forms.gle/ttmwq3DSg8vDREay8

Atividade gratuita

 


ABRIL | Oficina virtual “Brincando de Contar Histórias” 

Você conhece as diversas formas de explicar a criação do mundo e dos seres humanos, elaboradas por diferentes culturas? Esse tema será abordado na oficina virtual Brincando de Contar Histórias, que o Espaço do Conhecimento UFMG realiza no próximo dia 10 de abril. A atividade é uma contação de histórias, mesclada com brincadeiras, e se baseia na instalação Cosmogonias, localizada no segundo andar do museu, dentro da exposição Demasiado Humano. Nessa instalação, são apresentadas histórias de criação do mundo das culturas Yorubá, Maxacali, Maia-Quiché, Grega e Judaico-Cristã.

Quando: 10/04 (sábado), às 10h
Onde: Zoom (link enviado aos inscritos por e-mail)
Classificação indicativa: a partir de 8 anos
Vagas: 18 | Formulário de inscrição: https://forms.gle/DEvqfkerv63xEFnm7
Atividade gratuita

 

 


MARÇO | Oficina virtual “Os Sorielisarb – quem são os outros?” 

Você conhece os Sorielisarb? Eles se encontram entre os povos do Caribe, do braço direito do Rio Amazonas, e povos do tronco tupi do Rio da Prata, estando majoritariamente dentro daquilo que se convencionou chamar de círculo tupi-guarani. Os Sorielisarb existem em grande número e são um povo muito próximo a nós, mas, ao mesmo tempo, desconhecido. Na oficina, que é voltada para o público infanto-juvenil (idade mínima de 8 anos), vamos analisá-los, conhecer seus costumes e crenças e descobrir que nem tudo é o que parece! A atividade é conduzida pelos mediadores do Núcleo de Ações Educativas do museu e está relacionada à exposição Mundos Indígenas.

Classificação indicativa: a partir de 8 anos
Onde: Zoom (link enviado aos inscritos por e-mail)
Atividade gratuita

 

 


Conteúdos publicados em 2020:

Setembro 2020 | Contação de histórias “Ananse das Histórias”

No mundo antigo, segundo a mitologia do povo Akan, na atual região de Gana e Costa do Marfim, não haviam histórias, e por isso viver era muito triste. Kwaku Ananse, o homem aranha, queria se tornar o dono de todas as histórias e para isso teve que tecer uma grande teia e pedir ajuda ao Deus Nyame, que lhe concedeu três difíceis missões. Nesse vídeo, o público descobrirá que missões são essas e o que ele faz para passar por elas.  Ananse das Histórias faz parte da seleção de narrativas e personagens importantes das culturas Akan, Banto, Yorubá e Zulu, da tradicional atividade “Histórias da África de A a Z”. Para contar essa história, a mediadora Priscila Martins usa objetos do cotidiano, materiais comuns ao ambiente caseiro que representam um convite a um exercício de escuta e imaginação.

 

 

Outubro 2020 | Oficina de Animação em Massinha

Vocês já pararam para pensar como são feitos os desenhos animados? Tudo começou com Georges Méliès, na época do cinema mudo. Méliès também era mágico e seus filmes ficaram conhecidos por desafiar o real. Um dos truques que ele utilizava era a “parada para substituição”, que deu início à técnica conhecida como Stop Motion, muito importante até hoje para produzir filmes de animação como os famosos “A Fuga das Galinhas” (2000), “A Noiva Cadáver” (2004) e “Coraline e o Mundo Secreto” (2009). Nesta oficina, a mediadora Júlia Lobato te ensina a fazer uma animação utilizando massinha e a técnica Stop Motion. Para isso, vamos precisar de uma cartolina ou papel cartão, massinhas coloridas e um celular. Também é necessário baixar um aplicativo. Recomendamos o Stop Motion Studio, que é bem simples de usar. Se você for criança, peça a ajuda de um adulto para instalar o aplicativo. Agora, é só seguir o passo a passo!

 

 

Novembro 2020 | Contação de histórias “Pan Ku”

Na mitologia chinesa, a ruptura de um grande ovo é responsável pela criação do mundo. No centro desse ovo habitava Pan Ku, um ser que crescia grande e misterioso por dezoito mil anos. Com sua força e tamanho, Pan Ku rompeu a casca, separando assim Yin e Yang, elementos opostos que se complementam entre si. Nesse momento, a escuridão cessou, e o mundo surgiu. A história contada no Espaço em Rede de novembro faz parte da série “Contos Orientais”, que aborda narrativas sobre o surgimento do universo e personagens das culturas chinesa e japonesa. Para contar, utilizamos utensílios do cotidiano e objetos feitos de papel, que possibilitam a experimentação e reprodução no ambiente domiciliar. O papel é um elemento extremamente importante na arte chinesa, uma arte tradicional que evoluiu no curso do desenvolvimento dessa cultura. Venha aprender mais da cultura oriental com a gente!

 

 

Dezembro 2020 | Oficina de Encadernação

Você sabia que, até certo momento da história, as bibliotecas eram bem diferentes das que temos hoje? Os livros eram basicamente em formato de rolos, chamados volumes. O formato dos nossos livros e cadernos atuais, o códice, desponta nos primeiros séculos da era cristã e marcam uma importante transformação, tornando-os muito mais fáceis de transportar e manusear. Para tratar deste tema, o Espaço vem desenvolvendo periodicamente oficinas que ensinam o passo a passo de diferentes tipos de encadernação, desde os mais simples até algumas técnicas mais elaboradas. Esse assunto também é apresentado na seção Fábrica da Letra, da exposição Demasiado Humano. Neste vídeo, você vai aprender a fazer seu próprio caderno ou livreto de forma prática e com materiais que já tem em casa ou na escola. Fique atento a cada passo e se for criança não esqueça de pedir a ajuda de um adulto, combinado?


 

Espaço do Conhecimento UFMG estimula a construção de um olhar crítico acerca da produção de saberes. Sua programação diversificada inclui exposições, cursos, oficinas, apresentações culturais, palestras e debates. Integrante do Circuito Liberdade, o museu é fruto da parceria entre a UFMG e o Governo de Minas Gerais. O Espaço pertence à Diretoria de Ação Cultural (DAC) da UFMG, é amparado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura e conta com patrocínio do Instituto Unimed-BH, viabilizado por mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores.

 

Sobre o Instituto Unimed-BH 

Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos visando ampliar o acesso à cultura, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, valorizar os espaços públicos e o meio ambiente e contribuir com a formação para a cidadania. É responsável pela realização do Programa Sociocultural Unimed-BH que, ao longo de sua história, destinou cerca de R$140 milhões ao setor cultural, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura e da Lei Federal de Incentivo à Cultura, gerando milhares de postos de trabalho, impulsionados pelo patrocínio de mais de 5.200 médicos cooperados e colaboradores. Anualmente milhares de pessoas são alcançadas por meio de projetos de cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Neste ano, todas as iniciativas do Instituto celebram os 50 anos da Unimed-BH.