Data: 19 de setembro

Hora: 18h45

Local: Canal Cultura UFMG no YouTube

No dia 19 de setembro, acontece o segundo encontro da série Ô de Minas, na qual a cantora Mônica Salmaso se apresenta às vezes solo, às vezes acompanhada de um dos músicos mineiros: Rafael Martini, Alexandre Andrés, Davi Fonseca e Sérgio Santos. As apresentações serão feitas a partir das composições dos artistas mineiros, seguindo os moldes do projeto Ô de Casas: uma série de encontros musicais entre a cantora e grandes nomes da música brasileira, publicados em seu perfil do Instagram desde o início da pandemia.

Mônica Salmaso – Nascida em São Paulo, começou sua carreira em 1989. Foi indicada para o Prêmio Sharp, em 1997, como Revelação na categoria MPB. Em 1999, foi vencedora do Segundo Prêmio Visa MPB – Edição Vocal, pelo júri e aclamação popular. Mais tarde, lançou os CDs Trampolim e Voadeira, que foram lançados em países da Europa, no Japão, nos Estados Unidos, Canadá e México. Participou da trilhas do Grupo Corpo O Corpo, composta por Arnaldo Antunes em 2000, e Sem Mim, composta por José Miguel Wisnick e Carlos Nuñes em 2011. Em 2012, ganhou o 23º Prêmio da Música Brasileira como melhor cantora com o CD Alma Lírica Brasileira. Em 2019, lançou em Portugal, em parceria com José Pedro Gil, Nelson Ayres, Teco Cardoso e Emanuel de Andrade, o vinil Estrada Branca, um tributo a Vinicius de Moraes e José Afonso. No mesmo ano, gravou um CD no Japão durante a turnê com Guinga, Teco Cardoso e Nailor Proveta a ser lançado em 2021.

Alexandre Andrés – Violonista, flautista, cantor e compositor mineiro. Possui seis CDs gravados, intitulados Agualuz (2008), Macaxeira Fields (2012) e Olhe Bem as Montanhas (2014), ambos em parceria com o poeta mineiro Bernardo Maranhão, além dos álbuns Macieira (2017) e Haru (2017), e o mais recente trabalho Rã (2019), parceria com André Mehmari e Bernardo Maranhão. Andrés já ganhou importantes prêmios como Natura Musical 2009, Música Minas 2010, “Melhor Disco de Música Brasileira no Japão” pela Latino Magazine, em 2013 e 2019, “Meio de Campo – Egberto Gismonti + Alexandre Andrés” e os prêmios BDMG Instrumental, em 2009 e 2015.

Davi Fonseca – Pianista, compositor, arranjador e professor da Escola de Música da UFMG. Tem forte atuação no cenário independente de Belo Horizonte e já dividiu o palco com grandes nomes como Elza Soares, Letieres Leite e Otto. Transita também pelo teatro, onde compôs trilhas para dois espetáculos da cia. Toda Deseo (BH), além da peça Vinte, dirigida pelo renomado Márcio Abreu. Acaba de assinar a trilha sonora do filme-ensaio Éramos em Bando, do consagrado Grupo Galpão. Em 2018 deu início ao seu projeto solo, que culminou na gravação de seu primeiro disco: Piramba, considerado pela lista Embrulhador o oitavo Melhor Álbum Brasileiro do Ano (2019). No processo de amadurecimento do repertório do disco, o compositor ganhou os Prêmios BDMG Instrumental XVIII (2018) e o Jovem Instrumentista BDMG (2017) com suas composições e arranjos.

Rafael Martini – Compositor, arranjador, instrumentista e cantor. Tem 4 discos lançados: Motivo, Suíte Onírica (com a Orquestra Sinfônica da Venezuela), Haru (em parceria com Alexandre Andrés) e Gesto (em parceria com Joana Queiroz e Bernardo Ramos). Já apresentou seu trabalho em diversas partes do mundo e coleciona vários prêmios como compositor e arranjador. Atua como produtor musical, arranjador e pianista ao lado de artistas como Sérgio Santos, Mônica Salmaso e Silvia Iriondo. É professor da Escola de Música da UFMG, onde dirige a Geraes Big Band e atualmente tem realizado concertos como integrante do grupo de Egberto Gismonti tocando acordeom.

Sérgio Santos – Em 1982, participou como cantor do espetáculo Missa dos Quilombos de Milton Nascimento. A partir daí, aperfeiçoou seus conhecimentos musicais como violonista, intérprete, arranjador e compositor. Em 1991, conhece o poeta Paulo César Pinheiro, com quem compôs uma obra de mais de 300 músicas. Essa obra é cantada por artistas como Leila Pinheiro, Joyce, MPB4, Alcione, Mônica Salmaso, Fátima Guedes, Olívia Hime e Milton Nascimento. Tem oito discos gravados, nos quais participam artistas como Dori Caymmi, Raphael Rabello, Mônica Salmaso, Leila Pinheiro, Sivuca e Francis Hime. Foi vencedor do Prêmio Rival BR em 2002, como “Melhor Disco do Ano” com seu CD Áfrico. Esse disco foi o primeiro a integrar a Discoteca Básica do Século XXI do Museu da Imagem e do Som. Em 2009 foi indicado ao 11º Grammy Latino por seu CD Litoral e Interior. Já se apresentou em alguns dos mais importantes palcos do mundo, como o Hollywood Bowl em Los Angeles, no Herbst Theater em San Francisco, no Blue Note Tokyo, e na sede da Unesco em Paris.

Duração: 15min
Transmissão pelo youtube.com/culturaufmg