Diálogo é o caminho para ajudar crianças a vencer as angústias da pandemia

As incertezas provocadas pela pandemia da Covid-19 podem gerar ansiedade e angústias em adultos e crianças, que, mesmo protegidas de muitas informações, acabam absorvendo emoções e sentimentos dos pais. Mas como as restrições e novidades causadas pela pandemia são interpretadas pela imaginação infantil? Como filtrar o que elas devem ou não saber a respeito da doença?

De acordo com a professora Cassandra França, do Departamento de Psicologia da UFMG, esconder a realidade atual não é o melhor caminho, uma vez toda pessoa atravessa a primeira infância processando questões filosóficas que tocam temas sobre vida e morte.

“A criança cria uma série de fantasias explicativas. Ela pega dados da realidade, dos afetos, das emoções e dos sentimentos dos pais”, destaca. Especialista em psicanálise infantil, Cassandra explica que, em um cenário delicado como o vivido hoje, torna-se necessário o diálogo sobre medos e angústias. “É importante que pai e mãe também consigam dizer para a criança quais foram os medos que eles já enfrentaram na vida. E que eles consigam desenhar esses medos, representar de, algum modo simbólico, esse temor”, sugere.

Para a pedagoga do Centro Pedagógico UFMG Camila Araújo, o diálogo e o carinho são fundamentais na relação entre adultos e crianças. Camila explica que o planejamento é um bom caminho para tornar a relação saudável tanto para os adultos quanto para os pequenos. “A gente tem de reservar um tempo para o estudo, para dormir, para se alimentar bem e para o lazer”, enumera. Mas ela também recomenda que os pais possam dar espaço para atender às demandas vindas das próprias crianças, reservando momentos para brincadeiras e conversas com elas.

 

Cartas às meninas e aos meninas
Por compreender a importância dessa comunicação honesta entre pais e filhos, o Núcleo de Estudos e Pesquisas em Educação Infantil e Infâncias (Nepei), da Faculdade de Educação da UFMG, e o Fórum Mineiro de Educação Infantil (FMEI) prepararam uma Carta às meninas e aos meninos em tempos de Covid-19.

carta ilustrada tem uma versão em audiodescrição e explica para o público infantil alguns detalhes sobre a pandemia, ressaltando a gravidade do momento sem minar a esperança dos pequenos.
A TV UFMG produziu uma animação da carta, com base em texto escrito pela professora da Faculdade de Educação da UFMG Mônica Correia Baptista e das ilustrações feitas por Alexandre Rampazo, Anna Cunha, Camilo Martins, Elisa Carareto,Gabriel Benedito, Graça Lima, Luiz Silva, Marilda Castanha, Nelson Cruz, Odilon Moraes e Raquel Matsushita.

A animação em vídeo contou com a locução das crianças Gabriel Araújo, Isabel Valiente, Júlia Porto e Marcelo Fatorelli. Assista:

Ficha técnica das produções audiovisuais: Olívia Resende (produção e reportagem), Bruna Araújo (animação) e Marcelo Duarte (edição).