......Recursos Humanos

 

 

...........................................................Visão Institucional

Política de recursos humanos estreitamente associada às metas institucionais: planos de carreira e remuneração atraentes e com a progressão baseada no desempenho e na capacitação; instrumentos de avaliação eficazes; mecanismos de remuneração diferenciada; programa permanente de capacitação; quadro funcional adequadamente dimensionado, profissional e com alta motivação; boas condições de trabalho; serviço eficiente e eficaz, com alta qualidade no atendimento ao cliente.  

 

 

 

 

 

Meta I- Elaboração de um Projeto de uma política clara e objetiva de recursos humanos na UFMG

Resultados Alcançados: Elaboração do Programa de Desenvolvimento Integrado – PROGRID (material em anexo)

 

Meta II- Projeto de Reestruturação do SAST

Melhorar o nível de atendimento ao cumprimento das exigências legais de saúde ocupacional e segurança no trabalho e instituir o SAST como agente promotor da saúde do servidor UFMG.

Resultados Alcançados:

a)     Diminuição das pendências em relação aos processos de insalubridade, periculosidade e raios-X;

b)     Instituição de um grupo de trabalho para desenvolver um projeto de reestruturação do SAST;

c)     Realização de um seminário sobre Sistemas de Atenção à Saúde do Trabalhador, com a apresentação das seguintes empresas/instituições: USIMINAS, IPSEMG, BIOCOR; Universidade Federal do Rio de Janeiro;

d)     Entrega do relatório preliminar do grupo de trabalho do SAST em dezembro de 2002.

 

Meta III- Reestruturação do Programa de Profissionalização de Menores da Cruz Vermelha

Melhorar o processo de admissão, monitoramento e preparação dos menores da Cruz Vermelha que atuam como bolsistas na Instituição, incrementando as possibilidades de atuação da UFMG no processo de inserção social de famílias carentes.

Resultados Alcançados: Elaboração do Projeto PORTA: Projeto de Orientação ao Menor Trabalhador (material em anexo)

 

Meta IV - Projeto DAP

Desenvolver estudos e ações de reestruturação administrativa e aperfeiçoamento de gestão, visando contribuir para melhoria da qualidade dos serviços prestados pelo Departamento de Administração de Pessoal.

Resultados alcançados: 

a)     Foram realizadas diversas reuniões e dois seminários, um interno, visando a melhoria do clima organizacional, e um externo de treinamento das chefias de Sessão de Pessoal nas novas legislações.

b)     Foram continuadas as ações iniciadas em 2001 de:

·         Planejamento: Identificação dos macro processos e desdobramentos dos mesmos;

·         Análise, aperfeiçoamento e redesenho dos processos: foi priorizado o processo de Afastamento para Estudo no Exterior, e executadas as seguintes ações: levantamento e pesquisa da legislação; estudo e análise da legislação; elaboração na norma de Afastamento para Estudo no Exterior, alterando o modelo atual; levantamento dos servidores afastados do país, em 30/04/2000; estudo e análise da tramitação de processos, por Unidade, dessa clientela; levantamento do tempo gasto na tramitação de cada processo a partir do requerimento do servidor até o seu arquivamento; elaboração do fluxo atual e do proposto; elaboração do formulário proposto;.

·         Atualização dos produtos/processos: Elaboração do esboço da proposta de reformulação dos manuais do Departamento, visando disponibilizá-los na internet.

Meta V - Projeto Organização do Arquivo de Pessoal do Departamento de Administração de Pessoal     

O Arquivo de Pessoal do Departamento de Administração de Pessoal foi escolhido como piloto para a implementação da Política de Arquivos da Universidade, desenvolvido pela Escola de Ciência da Informação, devido à sua importância e tamanho. O projeto tem como principal objetivo a implementação de uma política de gestão dos dossiês dos servidores da Universidade.

Resultados alcançados:

a)    Desinfestação, higienização e organização dos documentos referentes aos contratados para a construção civil (antiga Seção de Pessoal de Obras)

b)    Projeto e confecção de novos modelos de pastas funcionais.

 

 

 Meta VI - Reestruturação do Departamento de Desenvolvimento de Recursos Humanos

Objetiva o aperfeiçoamento dos mecanismos de gestão de pessoas no âmbito da UFMG, através da adoção de um modelo mais participativo de gerenciamento, com a implementação de Grupos de Trabalho e realização de reuniões periódicas de avaliação.

Resultados alcançados

a)    Redução dos custos e do nível de conflito da equipe técnica: a dispensa, a pedido, da consultora contratada para coordenar o processo de reestruturação do DRH mostrou-se medida importante para aprimorar o potencial do próprio grupo de técnicos do setor;

b)      Prosseguimento de estratégias adotadas até o momento, como o desenvolvimento de programas para a melhoria do clima interno e relacionamento interpessoal de equipes do DRH, através de reuniões e dinâmicas de grupo;

c)      Aprimoramento dos procedimentos de remoção e movimentação de pessoal, com a adoção de formulários específicos para tais procedimentos e implementação de práticas de avaliação junto aos trabalhadores e gestores envolvidos em tais procedimentos.

 

Meta VII - Projeto Tecnologia de Informação na Prorh

Buscando otimizar os recursos já despendidos anteriormente, vem sendo dada ênfase ao desenvolvimento de ferramentas que possibilitem a intensificação no uso da tecnologia de informação como equipamentos para o desenvolvimento de seus processos de trabalho.

Resultados alcançados:

a)     Implantação e aperfeiçoamento dos Sistemas INA e OPUS, destinados ao cadastro atualizado da produção docente, em parceria com a Diretoria de Tecnologia da Informação;

b)     Redefinição da equipe técnica designada para implementar o Corpore, sistema computadorizado de gestão de pessoas adquirido em 2001 da RM Sistemas;

c)     Reelaboração da home page da Pró-Reitoria de Recursos Humanos, visando uma maior agilidade das informações na interface PRORH/Servidores (redefinição de layout e da arquitetura da informação do site).

 

 

Meta VIII- Projeto de Dimensionamento da Força de Trabalho na UFMG

O projeto prevê um levantamento completo do perfil dos servidores técnico-administrativos e docentes da UFMG

Resultados Alcançados:

a)    Definição de critérios para alocação de pessoal técnico-administrativo nas Unidades Acadêmicas;

b)    Identificação e análise da alocação dos 291 bolsistas de trabalho da Fundação Universitária Mendes Pimentel (FUMP);

c)     Aprimoramento dos parâmetros construídos, através da construção de planilhas específicas (estudos-piloto);

d)    Economia de recursos, com a opção de não contratação de empresa externa para realizar o trabalho de elaboração do dimensionamento e aproveitamento do pessoal interno, com aumento da motivação e do reconhecimento.

 

Meta IX- Treinamento

A política de treinamento foi vinculada à perspectiva estratégica, de modo a viabilizar a construção de uma política integrada de recursos humanos na UFMG. Ao mesmo tempo, buscou-se garantir solução de continuidade para os programas já previstos, considerando a excepcionalidade do calendário acadêmico de 2002, afetado pela paralisação de servidores em 2001.

Resultados Obtidos:

a)     Manutenção da oferta de formação prevista, no âmbito dos cursos já planejados, com implementação de 55 cursos e 2083 servidores atendidos;

b)     Aperfeiçoamento da visão de qualificação profissional, com oferta de novos cursos, voltados para a demanda específica de alguns setores de trabalho, a saber:

·         Treinamento de 58 secretárias de departamentos acadêmicos no sistema INA/OPUS, em parceria com o Laboratório de Computação Científica (LCC) e Centro de Computação (CECOM), em 3 módulos.

·         Treinamento de 60 secretárias de colegiados de pós-graduação, em 3 turmas.

·         Treinamento de 106 funcionários recém-admitidos no Hospital das Clínicas, com o curso “Estrutura e funcionamento da UFMG

 

 

Meta X- Desenvolvimento

As diversas práticas de desenvolvimento de pessoal já instaladas e consolidadas no âmbito da UFMG, particularmente para o pessoal técnico-administrativo, vem sendo objeto de estudo avaliativos de modo a oferecer melhor compreensão sobre sua eficácia e eficiência na organização.

Resultados Obtidos:

a)     Avaliação do Programa de Bolsas Pré-Vestibular, com o aumento do número de bolsas (de 80 para 100), no valor (de R$600,00 para R$750,00) e na metodologia de reembolso (com prazos mais rígidos). Como o Programa 2002 ainda está em fase de avaliação, não é possível no momento apresentar conclusão comparativa.

Ano

Bolsas ofertadas

Bolsas ocupadas

Desistência

(A)

(B)

2002

     100

      99

       01

Não avaliado

Não avaliado

2001

      80

      78

       02

    51

     31

(A)   = prestaram vestibular na UFMG

(B)   = prestaram vestibular em outras instituições de ensino superior

 

b)     Avaliação da inserção de servidores como alunos de disciplinas isoladas na UFMG. A investigação desse item ficou prejudicada pela carência de registros sobre a demanda e o real aproveitamento dos servidores que utilizam esse programa. Até o momento, somente foi possível começar a identificar a dimensão quantitativa dessa iniciativa institucional.

Ano

Semestre

Disciplinas Pós-Graduação

Disciplinas Graduação

2001

1º

91

Não avaliado

2001

2º

76

35

2002

1º

Não avaliado

32

 

c)     Avaliação da participação de servidores em Cursos de Especialização abertos promovidos na UFMG, sendo verificado que menos de 10% de tais cursos oferecem regularmente bolsas para servidores. Nesse sentido, esforço conjunto da ProRH e da Pró-Reitoria de Pós-Graduação vem tentando orientar os Colegiados de tais cursos a se adequarem à legislação.

d)     Acompanhamento do Projeto de Educação de Jovens e Adultos (PEJA), em parceria com a Pró-Reitoria de Extensão, visando maior integração e racionalização de recursos disponibilizados.

 

 

Ano

Vagas ofertadas 

Vagas

ocupadas/ UFMG

Vagas ocupadas/ externas

Total desistência

Total desistência/

UFMG

 2002

138

46

92

Não avaliado

Não avaliado

 2001

110

60

50

34

18

 

Meta XI- Qualidade de vida

A aproximação com parcerias internas e externas à UFMG no sentido de melhorar as condições e as relações de trabalho implicaram em ações efetivas de orientação e prevenção da saúde e da importância da qualidade de vida no trabalho (capacitação para a vida).

Resultados Obtidos:

a)    Participação na campanha de prevenção contra gripe para servidores da ativa e aposentados, realizada em parceria com a Caixa de Assistência dos Servidores da Universidade (CASU) e com a Coordenadoria de Assuntos Comunitários (CAC);

b)    Participação na campanha de prevenção do câncer de mama, promovida em parceria com a CASU e pela CAC;

c)     Participação na organização e viabilização do Domingo no Campus, evento comemorativo dos 75 anos da UFMG, direcionado para servidores da UFMG e seus familiares.

 

 

 INFRA-ESTRUTURA

 

 

Visão Institucional

 

 

 

Investir na consolidação dos campi e de uma infra-estrutura moderna e adequada, incentivando a cultura de preservação e valorização ambiental, bem como a manutenção permanente do patrimônio da Instituição.

 

 

INFRAESTRUTURA

 

 

Meta 1 : Consolidar os campi, garantindo a sua funcionalidade e a qualidade de vida nesses espaços.

 Ações Planejadas:

·        Dar início à construção do prédio novo da Faculdade de Farmácia, ampliação e reformas do Departamento de Química e Faculdade de Educação.

·        Elaborar projetos executivos da ampliação do Instituto de Geociências e Departamento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional.

·        Implementar ações para alienação dos demais imóveis com vistas à captação dos recursos.

 

Resultados Alcançados:

·         As obras para ampliação e reforma do Departamento de Química, Faculdade de Educação e para o prédio novo da Faculdade de Farmácia estão em fase avançada e a entrega das mesmas está prevista para dezembro de 2003 e fevereiro de 2004, respectivamente. Os recursos foram obtidos com a alienação dos lotes da quadra 9A por meio da Concorrência Pública nº 003/2001, contrato de compra e venda assinado a 09 de agosto de 2001 e cuja entrada dos recursos no valor de R$9.265.110,00 se deu em 27 de maio de 2002.

·         Os projetos executivos das obras da Geociências e Departamento de Fisioterapia e Terapia Ocupacional foram concluídos.

·         Foi preparada a Concorrência Pública para alienação dos lotes 19, 26 e 27 da quadra 32 com abertura marcada para 27 de janeiro de 2003 o que resultou na alienação exitosa dos referidos lotes por R$1.420.000,00. Quanto à alienação dos imóveis da Escola de Engenharia, Farmácia, Odontologia e Ciências Econômicas, além do Coleginho da FAFICH, dois andares do Edifício Acaiaca e dois lotes localizados na Rua Josafá Belo, a assinatura do contrato de compromisso de compra e venda está marcada para 21 de março de 2003. Estes recursos permitirão a construção dos novos prédios que abrigarão a Escola de Engenharia e a Faculdade de Ciências Econômicas.

 

 

Meta 2: Elaborar estudos para a consolidação do Parque Tecnológico em Belo Horizonte

Ações Planejadas:

·          Aprofundar a discussão de forma de gestão, modelo institucional e forma de sessão do terreno.

·          Reunir com certa urgência os parceiros estratégicos para a Universidade oficializar o interesse de sediar o parque no “triângulo das bermudas” e definir as atribuições iniciais de cada um.

·          Organizar uma visita a parques brasileiros, se possível em fevereiro.

·          Convidar representantes de associações nacionais e internacionais para discutir a proposta do parque de BH à luz de outras experiências.

·          Consolidar o documento a ser encaminhado ao Conselho Universitário, que deve incluir um plano de ações com cronograma.

 

Resultados Alcançados:

 

·         Proposta aprovada pelo Conselho Universitário.

 

·         Proposta submetida à FINEP atendendo Edital do Fundo Verde Amarelo.

 

·         Aprovada a proposta e auferido recurso no valor de R$ 1.500.000,00 para elaboração do Projeto Executivo.

 

·         Projeto executivo em andamento com previsão de término em dezembro/2003.

 

 

 ENSINO DE GRADUAÇÃO

 

 

 

Visão Institucional

 

 

Formação profissional fundamentada em um ensino de graduação de qualidade, no qual se integram uma base teórico-metodológica sólida, vivência prática, visão crítica e comportamento ético, de maneira a garantir ao formando o pleno exercício da cidadania. Nesse sentido, é imprescindível a integração do ensino de graduação com a pós-graduação, a extensão e a pesquisa.

 

 

 

ENSINO DE GRADUAÇÃO

 

Meta 1: Flexibilização Curricular Horizontal: Implementação ou apresentação de projetos em todos os cursos de graduação desta Universidade

 Flexibilização Curricular Vertical: fomentar o processo de estudo e discussão entre os colegiados de cursos, que ainda não se flexibilizaram verticalmente.

Encontra-se implantado o Projeto de Flexibilização Curricular dos cursos de graduação da UFMG, que se fundamenta nas seguintes premissas:

- Aproveitamento de outras atividades acadêmicas ou participação dos alunos em eventos técnicos e científicos, além das disciplinas oferecidas, para integralização do curso;

- Curso passa a ser definido como um percurso, oferecendo alternativas de trajetórias;

- Aluno tem liberdade para definir seu próprio percurso, com orientação acadêmica;

- Propiciar formação específica compatível com uma formação complementar em áreas diversas.

O projeto compreende dois níveis de flexibilização curricular: Flexibilização Horizontal e Flexibilização Vertical. A primeira visa ao aproveitamento de várias atividades acadêmicas que passam a gerar créditos para fim de integralização. A segunda é entendida como a possibilidade de organização do saber ao longo dos semestres de modo que a estrutura do curso compreenda um núcleo específico, uma formação complementar e uma formação livre.

Resultados Alcançados:

 

Ao final do ano de 2002, dos 56 cursos oferecidos pela UFMG, 28 já  implementaram modificações nos seus currículos de modo a permitir que seus alunos obtenham créditos em atividades acadêmicas diversas de disciplinas, tais como: iniciação à pesquisa, projetos de extensão, iniciação à docência, participação em eventos, etc. Os cursos que  se  encontram com a Flexibilização Horizontal implementada são:

Arquitetura, Ciências Atuariais, Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Comunicação Social, Direito, Enfermagem, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Metalúrgica, Estatística, Farmácia, Filosofia, Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia, História, Letras, Matemática, Medicina, Medicina Veterinária, Música, Odontologia, Pedagogia, Psicologia, Terapia Ocupacional e Turismo.

 

Quanto à Flexibilização Vertical os seguintes cursos apresentaram novos currículos: Ciências Econômicas, Ciências Sociais, Comunicação Social, Engenharia de Produção, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia Metalúrgica, Estatística, Filosofia, Física, Fisioterapia, Fonoaudiologia, História, Letras, Matemática Computacional, Pedagogia, Música e Turismo.

O grau de flexibilidade é variável entre os currículos, mas alguns deles se destacam pela expressiva inovação; são eles: Comunicação Social, Letras e Música.

 

Meta 2 : Apresentação, discussão e implementação das novas Normas Acadêmicas.

O avanço conceitual e metodológico dos cursos de graduação a partir da adoção dos princípios de flexibilidade curricular, não estão traduzidos nas Normas Gerais da Graduação que foi implantada na década 90.

Torna-se, portanto, imprescindível a adequação das mesmas à realidade criada pela flexibilização dos cursos de graduação.

 

Meta 3: Desenvolvimento do processo de avaliação

O processo de avaliação em curso na UFMG prevê as etapas: Diagnóstico e Sensibilização da Comunidade, Avaliação Interna, Avaliação Externa, Organização, Análise dos Dados e Divulgação dos Resultados, Visita aos Cursos Avaliados e Monitoramento dos Cursos.

Em 2002, foram desenvolvidas as seguintes etapas:

I.                   Avaliação Interna;

II.                 Organização e Análise dos Dados;

III.              Divulgação dos Resultados.

Avaliação Interna

A etapa da avaliação interna consiste na aplicação, semestral, dos questionários de “Avaliação de disciplinas/Atividade - Questionário do Aluno”,  reformulado em 2001 e implementado em 2002 e do "Questionário de Avaliação do curso pelo Formando”. Com o número de registro na UFMG e da senha acadêmica, o aluno acessa o site http://www.ufmg.br/prograd/  - Avaliação das disciplinas , Professores e Cursos e segue os procedimentos indicados.

Os questionários ficam disponíveis na Internet durante o prazo determinado no calendário escolar. Cabe ao Colegiado de Curso a responsabilidade de fazer a divulgação junto ao corpo discente.

O Dossiê da UFMG - “A graduação na UFMG: Indicadores de Desempenho” foi publicado e divulgado no final de 2002.

 

O Dossiê contém:

Informações sobre Graduação

· Apresentação

· Membros da Pró-Reitoria de Graduação

· Projeto de Avaliação dos Cursos de Graduação da UFMG

· Relação dos Cursos de Graduação

Dados Estatísticos dos Cursos de Graduação

· Número de Vagas e Relação Candidato/Vaga no concurso Vestibular de 1994 a 2001

· Formas de Ingresso em Cursos de Graduação da UFMG de 1997 a 2000

· Forma de Ingresso em Cursos de Graduação da UFMG – Continuidade de Estudos de 1997 a 2000

· População Universitária dos Cursos de Graduação da UFMG de 1997 a 2000

· Evasão nos Cursos de Graduação da UFMG de 1990 a 2001

Avaliação dos Cursos de Graduação

Avaliação Interna

· Avaliação de Disciplinas pelo Aluno

· Avaliação do Curso pelo Formando

· Avaliação Externa dos Cursos de Graduação

Avaliação Externa pelo MEC de 1996 a 2000

· Exame Nacional de Curso

· Avaliação das Condições de Oferta

Corpo Docente por Área/Unidade de 1996 a 1999

Organização e Análise dos Dados

Os resultados dos “Questionários de Avaliação do Curso pelo Formando” são processados pelo CECOM, tabulados pelo Setor de Avaliação e encaminhados pela CPA ao Colegiado para análise e apreciação. Os resultados da avaliação de disciplinas pelo aluno estão disponíveis na Home Page da UFMG -   www.ufmg.br/prograd, e em CD.

Divulgação dos Resultados

A análise da avaliação dos resultados dos questionários “Avaliação de Disciplina/Atividade - Questionário do Aluno”  e “Questionário de Avaliação do Curso pelo Formando” fica sob a responsabilidade do Colegiado de Curso.

 

 

ATIVIDADES DIVERSAS

Publicações

Ÿ Publicações no Caderno de Avaliação 5, de artigos, trabalho e/ou pesquisa cujos temas estejam  relacionados à avaliação.

Meta 4: Criação de novos Cursos de Graduação.

Em consonância com seus objetivos sociais e como resposta à crescente demanda pelo ensino superior, a Universidade Federal de Minas Gerais passou a contar, em 2002, com 56 cursos de graduação. Encontram-se em processo de análise na PROGRAD as propostas de criação, em 2003, dos cursos de:

- Nutrição

- Conservação – Restauração de Bens Culturais Móveis

- Engenharia de Materiais

-   Ciências dos Materiais

-   Cinema

-    Museologia

-   Nova Habilitação no Curso de Música: Musicoterapia

Constitui prioridade institucional a ampliação de acesso à Universidade, através do aumento de vagas e da abertura de cursos noturnos. Entre os cursos com grande probabilidade de oferta já no vestibular de 2004 está o Curso de Direito.

 

 

Meta 5: Implementar Programas para melhoria da qualidade do ensino com apoio financeiro relacionado à avaliação dos cursos

 A Pró-Reitoria de Graduação manteve, em 2.002 programas envolvendo apoio financeiro aos cursos, mediante Edital para apresentação de projetos, objetivando induzir mudanças qualitativas nas atividades do ensino de graduação, apoiar um amplo e consistente processo de renovação e inovação das práticas e metodologias de ensino da graduação com a perspectiva de atualizá-lo e aperfeiçoá-lo.

No ano de 2002, a distribuição de recursos oriundos dos projetos levou em consideração os processos avaliativos aos quais os cursos de graduação da UFMG foram submetidos. Foram distribuídos os seguintes recursos:

 

Projeto Apoio IFES - MEC - SESu - Conv. 460160.

Objetivo: Recuperação da Infra-estrutura do Ensino de Graduação

PROJETOS

unidade

total

Laborarório de Comunicação

FAFICH

62.382,00

Melhoria da Infra-Estrutura do Centro de Apoio ao Deficiente Visual - UFMG

FAFICH

48.178,00

Projeto Fonoaudiologia

MEDICINA

84.862,80

Morfologia

ICB

242.750,00

Projeto Institucional de Modernização da Gestão Universitária

CECOM

132.139,00

TOTAL

570.311,80

 

Repasse de Material de Consumo aos Colegiados de Curso.

Objetivo: Auxílio na aquisição de itens necessários à aquisição de material de consumo para as atividades didáticas dos cursos de graduação

 

Arquitetura e Urbanismo

                              5.452,37

Artes Cênicas

                              4.117,37

Belas Artes

                              3.705,64

Biblioteconomia Diurno

                              3.419,88

Biblioteconomia Noturno

                              3.419,88

Educação Física

                              3.308,52

Fisioterapia

                              3.308,52

Terapia Ocupacional

                              3.308,52

Enfermagem

                              4.736,52

Engenharia de Controle e Automação

                              3.843,64

Engenharia Civil

                              3.630,10

Engenharia de Produção

3.843,64                               

Engenharia Elétrica

                              3.630,10

Engenharia Mecânica Diurno

                              3.843,64

Engenharia Mecânica Noturno

                              3.843,64

Engenharia Metalúrgica

                              3.843,64

Engenharia Química

                              3.843,64

Música

                              5.123,14

Veterinária

                             12.934,77

Administração Diurno

                              4.111,00

Administração Noturno

                              4.111,00

Ciências Contábeis Noturno

                              4.111,00

Ciências Econômicas

                              4.111,00

Direito

                              7.744,75

Farmácia

                              6.126,27

Letras Diurno

                              6.194,44

Letras Noturno

                              6.194,44

Fonoaudiologia

                              5.957,90

Medicina

                              6.330,27

Odontologia

                              9.352,37

Pedagogia Diurno

                              4.232,13

Pedagogia Noturno

                              4.232,13

Participação dos Cursos Licenciatura

                              3.233,39

Ciências sociais

                              3.807,00

Comunicação Social

                              4.007,37

Filosofia

                              3.807,00

História Diurno

                              4.007,37

História Noturno

                              3.807,00

Psicologia

                              4.007,37

Participação de Cursos Com Básico na FAFICH

                              3.827,48

Ciências Biológicas Diurno

 

 

 

                             11.752,37

Ciências Biológicas Noturno

                             11.164,75

Participação dos Cursos(Área Biológica e Saúde)

                              7.990,73

Ciências Atuariais

                              3.823,37

Ciência da Computação

                              3.823,37

Estatística

                              3.823,37

Física Diurno

                              3.823,37

Física Noturno

                              3.823,37

Matemática Diurno

                              3.823,37

Matemática Noturno

                              3.632,20

Matemática Computacional

                              3.823,37

Química Diurno

                              3.823,37

Química Noturno

                              3.632,20

Participação do Cursos de Engenharia

                              3.843,64

Geografia Diurno

                              4.130,89

Geografia Noturno

                              4.130,89

Geologia

                              4.589,87

Turismo

                              4.589,87

Agronomia

                             10.762,37

Centro Pedagógico

                              4.222,37

COLTEC

                              4.657,37

 TOTAL

300.000,00

 

 

 

Meta 6: Reformular o Programa de Bolsas da Graduação

Avaliando, para essa reformulação, os objetivos e características dos Programas de Bolsas coordenados pela PROGRAD e a realidade atual da Graduação na UFMG, especialmente a implementação da Flexibilização Curricular dos cursos de Graduação.

Atendendo, então, a meta traçada, em 2002, esse programa passou a compreender  três novos tipos de bolsas.

- Programa de Aprimoramento Discente (PAD)

- Programa de Iniciação à Docência (PID)

- Programas Acadêmicos Especiais (PAE)

 

RESULTADOS ALCANÇADOS

Foram concedidas, em 2002, 731 bolsas distribuídas da seguinte forma entre os programas existentes:

Programas

Nº de Bolsas Concedidas

PAD

276

PID

259

PAE

196

TOTAL

731

Meta 7: Captar recursos para infra-estrutura para os cursos de Graduação da UFMG.

1. Em 2002 foram destinados ao Curso de Turismo recursos na ordem de R$155.000,00 para aquisição de um ônibus para atender a demanda do referido curso.

 

2. Melhoria do Acervo Bibliográfico dos Cursos de Graduação (2002/1 e 2002/2) com o objetivo de concorrer para a melhoria do acervo bibliográfico relativo ao ensino de graduação, propiciar sua ampliação, diversificação e atualização e oferecer condições adequadas para o desenvolvimento qualitativo das atividades de ensino de graduação.

 

 

CURSO

PROJETO 2002/1 (R$)

PROJETO 2002/2 (R$)

Administração

9.968,00

 

Agronomia

 

8.000,00

Belas Artes

9.635,36

 

Biblioteconomia

9.840,00

15.000,00

Ciência da Computação

9.743,10

6.000,00

Ciências Biológicas

9.453,00

3.153,00

Ciências Contábeis

9.990,00

12.180,00

Ciências Econômicas

9.990,40

 

Coleg. Especial 1º Ciclo - ICB

 

8.954,00

Comunicacão Social

 

8.700,00

Educação Física

4.944,64

8.488,00

Enfermagem

9.797,00

11.000,00

Engenharia Civil

9.991,00

6.960,00

Engenharia de Produção

9.780,91

17.000,00

Engenharia Elétrica

8.224,80

8.700,00

Engenharia Mecânica

9.830,15

8.335,00

Engenharia Metalúrgica

3.334,75

 

Engenharia Química

10.000,00

 

Especial do 1º Ciclo - ICB

10.000,00

 

Estatística e Ciências Atuariais

20.000,00

8.000,00

Farmácia

9.680,00

13.853,00

Física

4.944,64

 

Fisioterapia

9.830,16

10.440,00

Fonoaudiologia

10.000,00

18.000,00

Geografia

9.100,00

 

Letras

10.000,00

8.700,00

Matemática

 

10.230,00

Medicina

10.000,00

11.000,00

Medicina Veterinária

9.942,60

7.000,00

Música

10.000,00

 

Odontologia

10.000,00

15.000,00

Pedagogia

9.990,50

 

Química

9.676,10

7.000,00

Terapia Ocupacional

9.842,00

10.438,00

TOTAL

287.529,11

242.131,00

 

 

 

 

 

 

 

ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO

 Visão Institucional

 

 

Promover a qualificação acadêmica, científica e profissional em nível de pós-graduação, oferecendo cursos de especialização, mestrado, doutorado e pós-doutorado, com vistas ao desenvolvimento integrado das atividades de ensino e pesquisa em patamares diferenciados de qualidade.

 

 

ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO

 

Meta 1: Ampliação do oferecimento de vagas de mestrado e especialização

 

Resultados alcançados:

Em 2002, houve um acréscimo de 43,7% no total de abertura de novas vagas de especialização, mestrado e doutorado em relação ao ano anterior.

 

NÍVEL

ABERTURA DE VAGAS

2001

2002

Doutorado

510

502

Mestrado

1343

1441

Especialização                     

2114

3758

Total

3967

5701

 

Meta 2 : Oferecimento de novos cursos de Pós-Graduação nos três níveis (especialização, mestrado e doutorado).

Em 2002, foram aprovados novos cursos conforme tabela abaixo:

 

 

CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO – LATO SENSU

 

1)      Implantodontia

2)   Metrologia

3)   Gestão de Sistemas e Serviços de Saúde

4)   Psicologia do Trabalho

5)   Radiologia Odontológica

6)   História da Cultura e da Arte

7)        Matemática para Professores

8)   Odontologia em Saúde Coletiva

 

CURSOS DE MESTRADO E DOUTORADO – STRICTO SENSU

 

1)        Ciências da Reabilitação – Mestrado

2)        Ciência de Alimentos – Doutorado

3)        BioinformáticaDoutorado

4)        Geografia – Doutorado (Processo de recomendação do Curso em tramitação na CAPES)

5)        Genética - Doutorado

 

 

Meta 4: Ampliação do oferecimento de cursos

Em 2002, 49 cursos de Especialização possibilitaram a oferta de 3758 vagas. Em 57 cursos de mestrado, foram ofertadas 1441 vagas. Em 44 cursos de doutorado, foram ofertadas 502 vagas.

 

Meta 5: Convênios interinstitucionais

A Universidade Federal de Minas Gerais tem colaborado com várias Instituições de Ensino Superior no país na qualificação de seus docentes, sendo que a maioria destes convênios conta com o apoio financeiro da CAPES.

 

Atualmente 15 Programas de Pós-Graduação estão envolvidos com 20 Convênios Interinstitucionais, sendo 16 Cursos de Mestrado e 5 de Doutorado, que envolvem cerca de 214 alunos (29 de Doutorado e 185 de Mestrado).

Recentemente 10 convênios foram finalizados, todos de Mestrado, que titularam cerca de 137 alunos.

 

 


 

Meta 6: Expansão da Pós- Graduação

Na última década, o número de cursos, alunos matriculados e defesas evoluiu consideravelmente, conforme demonstrado a seguir:

NÚMERO DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFMG –1991 a 2002

Ano

Especialização

Mestrado

Doutorado

1991

31

42

17

1992

35

42

19

1993

40

46

23

1994

45

50

25

1995

49

51

26

1996

50

52

29

1997

53

53

30

1998

56

53

30

1999

66

55

35

2000

68

55

36

2001

75

57

40

2002

88

57

44

 

 

NÚMERO DE ALUNOS E DEFESAS OCORRIDAS ENTRE 1991 a 2002

 

ANO

  de  Alunos

Defesas

M

D

TOTAL

Dissertações

Teses

TOTAL

1991

1578

354

1932

273

42

315

1992

1822

452

2274

286

45

331

1993

1813

498

2311

338

45

383

1994

1937

636

2573

344

76

420

1995

1883

684

2567

374

76

450

1996

2193

813

3006

464

93

557

1997

2455

928

3383

462

128

590

1998

2582

1054

3636

540

111

651

1999

2719

1156

3875

651

143

794

2000

3094

1343

4437

751

216

967

2001

3294

1596

4890

888

227

1115

2002

3070

1678

4748

1050

266

1316

 


NÚMERO DE ALUNOS MATRICULADOS EM CURSOS DE ESPECIALIZAÇÃO, CONCLUSÕES/DEFESAS E NÚMERO DE CURSOS EM OFERECIMENTO ENTRE 1991 E 2002

ANO

Nº Alunos

Especialização

Conclusões/Defesas

Nº Cursos em oferecimento

1991

390

220

17

1992

573

323

31

1993

648

207

38

1994

1216

387

43

1995

942

253

41

1996

1061

278

40

1997

1348

458

41

1998

911

410

39

1999

1878

475

42

2000

2548

712

45

2001

4081

885

49

2002

4878

*

51

 

      * Os dados não foram consolidados ainda.

Outras ações implementadas:

 

Apoio Fundo Fundep

No ano de 2002, a Câmara de Pós-Graduação destinou, por edital, recursos no valor de R$ 122.000,00 (cento e vinte e dois mil reais) para apoio a 2 Projetos: 1) Alocação de Recursos do Fundo Fundep de Apoio Acadêmico – FUNDEP/2002 a Programas de Pós-Graduação nível 3 segundo a avaliação da CAPES. Foram alocados R$ 72.000,00 (setenta e dois mil reais) para apoiar os projetos elaborados pelos referidos Programas de Pós-Graduação que propõem investimentos na qualificação de ações acadêmico-científicas que possibilitem a sua ascensão, pelo menos, ao nível 4 (quatro), nas próximas avaliações a serem realizadas pela CAPES; 2) Programa de Auxílio a Publicações Indexadas Internacionalmente, com alocação de  R$ 50.000,00 (cinqüenta mil reais) visando o apoio a solicitações de auxílio a publicações indexadas internacionalmente para professor com vínculo permanente em atividades na UFMG e credenciado como integrante do NRD6-CAPES. Os objetivos que nortearam a criação desse fundo foram a internacionalização dos programas, o estabelecimento de estratégias que permitam a mudança do patamar atual em direção ao nível 7 e a consolidação da posição da UFMG dentro do sistema de pós-graduação do país.


Semana de Pós-Graduação

Em fevereiro de 2002, a Pró-Reitoria de Pós-Graduação fez realizar a II Semana da Pós-Graduação, cujas atividades integraram-se à II Semana do Conhecimento. Além de um ciclo de debates sobre temas de interesse da comunidade acadêmica em geral, foram realizadas sessões voltadas para docentes e discentes vinculados aos programas de pós-graduação.

Dividida em oito áreas do conhecimento, Ciências Agrárias, Biológicas, Humanas, da Saúde, Sociais Aplicadas, Exatas e da Terra, Engenharias, Letras-Lingüísticas-Artes, foram inscritos 624 trabalhos, número que superou os anos anteriores, cuja média foi de 400 trabalhos.

Em novembro de 2002, durante a programação da III Semana do Conhecimento, foram realizadas mesas-redondas e debates, que compuseram a III Semana da Pós-Graduação, da qual participaram docentes e discentes vinculados aos programas de pós-graduação da UFMG.

Tomando a oportunidade que o acontecimento da Semana oferece, pretende-se dar uma ampla divulgação ao público interno e externo à UFMG sobre as realizações da pós-graduação. Assim, este ano, os Anais da II Semana de Pós-Graduação, contendo os resumos ("abstracts") de cada trabalho foram colocados à disposição dos interessados para fins de consulta no site da PRPG. A divulgação via internet visou disseminar no grande público parte significativa da produção científica dos estudantes de pós-graduação.


Programas de Bolsas

Em 2002, a UFMG atingiu  meta histórica na concessão de bolsas para alunos de pós-graduação, mediante programas de bolsas institucionais desenvolvidas em parceria com a CAPES, o CNPq e a FAPEMIG , conforme atestam os dados da planilha seguinte:

TOTAL DE BOLSAS CONCEDIDAS EM 2001 E 2002 PELAS AGÊNCIAS

 CAPES, CNPq, FAPEMIG E FAPEMIG/FIEMG

Descrições

 

Concedidas em 2001

 Concedidas em 2002

Nível

CAPES

Cota Extra

CAPES

CNPq

FAPEMIG

Convênio

FAPEMIG/FIEMG

Sub-total

2001

CAPES

CNPq

FAPEMIG

Sub-total

2002

M

437

18

296

108

6

865

475

299

130

904

D

178

13

327

35

0

553

218

275

53

546

Total

615

31

623

143

6

1418

693

574

183

1450

 

 

 

 

PESQUISA

 

 

 Visão Institucional

  

Incentivar a interação com a graduação e a extensão, desenvolvendo pesquisas que promovam o avanço do conhecimento, colocando sua competência a serviço da sociedade e reafirmando seu compromisso político com o futuro, a soberania do País e a inclusão social.

 

 

  

 

PESQUISA

 

 

AUXÍLIO À PARTICIPAÇÃO EM CONGRESSO – PRPq - 2002

Áreas

Ped. Solic.

Ped. Atend.

Nº Diárias Liberadas

VR. Diárias Liberadas

Passagens

Total Liberado

Biológicas e Agrárias

40

37

79,50

9.608,83

500,00

10.108,83

Saúde

81

74

164,00

20.926,33

0,00

20.926,33

Exatas e da Terra

49

45

80,50

8.797,70

0,00

8.797,70

Engenharia

52

41

81,50

10.598,98

0,00

10.598,98

Sociais e Aplicadas

7

6

14,00

1.786,28

0,00

1.786,28

Letras e Artes

22

21

43,50

5.462,36

0,00

5.462,36

Ciências Humanas

65

47

101,50

12.453,09

0,00

12.453,09

PRPq/CT&IT

11

11

18,00

2.167,65

7.540,61

9.708,26

Total

327

282

582,50

66.370,86

8.040,61

79.841,83


 

I - Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC/CNPq

 

O PIBIC/CNPq reduziu para 522 bolsas a quota administrada pela Pró-Reitoria de Pesquisa - PRPq, por meio da Divisão de Bolsas de Iniciação Científica. Como em anos anteriores, no primeiro semestre de 2002, a Divisão conciliou as demais atividades com o processo de organização da documentação do PIBIC/2002, que detém a maior demanda de interessados em projetos de iniciação científica da UFMG – 806 alunos candidatos sendo 751 classificados.

 

Pelo Quadro PIBIC/CNPq - 2002/2003 pode-se acompanhar a distribuição do número de candidatos inscritos no Programa em relação às quotas concedidas à UFMG, por Área do Conhecimento e Unidades que as compõem. No quadro PIBIC/CNPq, é apresentada a evolução do Programa desde o ano de 1998.

 

 

II –Programa Bolsas Institucionais Iniciação Científica - PROBIC/FAPEMIG

 

Foram recebidas  para o PROBIC/FAPEMIG - 2003/2004 inscrições de  470 orientadores, num total de 489 bolsas solicitadas, para 220 concedidas. O programa terá início em 01/03/2003, com data prevista para término em 29/02/2004. O quadro PROBIC/FAPEMIG 2003/2004 apresenta a distribuição das quotas concedidas ao Programa, por Área do Conhecimento/Unidades que as compõem. No quadro PROBIC/FAPEMIG é apresentada a evolução do Programa desde 1999.

 

 

III – XI Semana de Iniciação Científica – XI SIC

 

Em sua décima primeira edição, a SIC aconteceu em conjunto com as demais pró-reitorias acadêmicas, dentro das atividades da III Semana do Conhecimento. Foram apresentados trabalhos realizados por alunos de graduação, dos diversos cursos, abrangendo as grandes áreas do conhecimento, a saber:

 

Ciências Biológicas e Veterinárias

Escola de Veterinária................................................................................................... 120 resumos

Instituto de Ciências Biológicas................................................................................... 177 resumos

Núcleo de Ciências Agrárias.......................................................................................... 03 resumos

Total: 300 resumos

 

Ciências da Saúde

Escola de Educação Física........................................................................................... 32 resumos

Escola de Enfermagem................................................................................................. 22 resumos

Faculdade de Farmácia................................................................................................ 40 resumos

Faculdade de Medicina.............................................................................................. 104 resumos

Faculdade de Odontologia............................................................................................ 34 resumos

Total: 232 resumos

 

Ciências Exatas e da Terra

Instituto de Ciências Exatas......................................................................................... 130 resumos

Instituto de Geociências................................................................................................ 16 resumos

Total: 146 resumos

 

Ciências Sociais Aplicadas

Escola de Arquitetura................................................................................................... 24 resumos

Escola de Ciência da Informação.................................................................................... 3 resumos

Faculdade de Ciências Econômicas.............................................................................. 22 resumos

Faculdade de Direito.................................................................................................... 21 resumos

Total: 70  resumos

 

Engenharias

Escola de Engenharia................................................................. 107 resumos

Total: 107 resumos

 

Ciências Humanas

Colégio Técnico............................................................................................................. 9 resumos

Faculdade de Educação............................................................................................... 28 resumos

FAFICH...................................................................................................................... 74 resumos

Total: 111  resumos

 

Lingüística, Letras e Artes

Escola de Belas Artes................................................................................................... 12 resumos

Escola de Música......................................................................................................... 48 resumos

Faculdade de Letras..................................................................................................... 11 resumos

Total: 71 resumos

Total global: 1037 resumos

 

 

Com a finalidade de estabelecer normas, diretrizes e de organizar a avaliação e seleção dos melhores trabalhos apresentados na XI SIC, o Pró-Reitor de Pesquisa, Prof. José Aurélio Garcia Bergmann, instituiu a Comissão de Procedimentos e de Avaliação da XI Semana de Iniciação Científica da UFMG (XI SIC) integrada pelos professores: Márcio de Matos Coelho, Armando Gil Magalhães Neves, Haydée Ribeiro Coelho, Maria Carmen Couto Ribeiro, Maria Norma Melo, Maurício José Laguardia Campomori e Pura Lúcia Oliver Martins, sob a coordenação do primeiro.

 

A avaliação dos trabalhos contou com  mais de 200 docentes da própria UFMG e cinco pesquisadores externos. Foram selecionados aproximadamente 10% dos trabalhos apresentados em cada Área, conforme discriminado abaixo:

 

 

 

 

Ciências Biológicas e Agrárias................................................................................. 31 trabalhos

Ciências da Saúde..................................................................................................... 26 trabalhos

Ciências Exatas e da Terra...................................................................................... 14 trabalhos

Ciências Sociais Aplicadas....................................................................................... 07 trabalhos

Engenharias............................................................................................................... 09 trabalhos

Ciências Humanas..................................................................................................... 11 trabalhos

Lingüística, Letras e Artes....................................................................................... 07 trabalhos

Total global............................................................................................................. 105 trabalhos

 

 

 

Vale destacar que a maioria dos pesquisadores externos, em seus relatórios enviados ao CNPq, para avaliação do PIBIC/UFMG, classificaram como ótima a apresentação dos trabalhos e nos demais itens, como boa ou muito boa.

 

 

IV – TABELAS E GRÁFICOS

 

Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC-CNPq

agosto/2002 a julho/2003

 

Área do Conhecimento / Unidades

No. Inscritos

Quota Concedida

 

 

 

Ciências Biológicas e Agrárias

 

 

- Escola de Veterinária

51

34

- Instituto de Ciências Biológicas

120

79

- Núcleo de Ciências Agrárias

5

3

 

 

 

Ciências Exatas e da Terra

 

 

- Instituto de Ciências Exatas

123

81

- Instituto de Geociências

16

10

 

 

 

Ciências Humanas

 

 

- Faculdade de Educação/COLTEC

41

24

- Fac. de Filosofia E Ciências Humanas

73

47

 

 

 

Engenharias

 

 

- Escola de Engenharia

69

50

 

 

 

Lingüística, Letras e Artes

 

 

- Escola de Belas Artes

9

7

- Escola de Música

8

5

- Faculdade de Letras

33

24

 

 

 

 

Ciências da Saúde

 

 

- Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional

22

14

- Escola de Enfermagem

12

8

- Faculdade de Farmácia

28

19

- Faculdade de Medicina

112

63

- Faculdade de Odontologia

19

11

 

Ciências Sociais Aplicadas

 

 

- Escola de Arquitetura

17

9

- Escola De Ciência da Informação

3

1

- Faculdade de Ciências Econômicas

24

16

- Faculdade de Direito

21

17

 



Quotas Concedidas PIBIC/CNPq - 1998/2002

 

 

 

 

 

 

 

ÁREA DO CONHECIMENTO

BOLSAS CONCEDIDAS POR PERÍODO

 

 

 

 

 

 

 

 

1998

1999

2000

2001

2002

Total Área

Biológicas e Agrárias

162

125

141

132

116

676

Exatas e da Terra

104

117

114

109

91

535

Humanas

46

69

72

82

71

340

Sociais Aplicadas

63

70

52

56

43

284

Engenharias

52

70

67

62

50

301

Lingüística, Letras e Artes

47

34

37

43

36

197

Saúde

140

129

131

130

115

645

 

 

 

 

 

 

 

Total da área

614

614

614

614

522

2978

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Programa de Bolsas de Iniciação Científica e Tecnológica Probic/Fapemig

 março/2003 a fevereiro/2004

 

Área do Conhecimento  / Unidades

Inscritos

Quota Concedida

 

 

 

Ciências Biológicas e Agrárias

 

 

- Escola de Veterinária

24

11

- Instituto de Ciências Biológicas

66

31

- Núcleo de Ciências Agrárias

2

1

 

 

 

Ciências Exatas e da Terra

 

 

- Instituto de Ciências Exatas

72

 

- Instituto de Geociências

6

3

 

 

 

Ciências Humanas

 

 

- Faculdade de Educação/COLTEC

27

13

- Fac. de Filosofia e Ciências Humanas

45

21

 

 

 

Engenharias

 

 

- Escola de Engenharia

66

31

 

 

 

Lingüística, Letras e Artes

 

 

- Escola de Belas Artes

8

4

- Escola de Música

2

1

- Faculdade de Letras

19

9

 

 

 

Ciências da Saúde

 

 

- Escola de Ed. Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional

9

4

- Escola de Enfermagem

7

3

- Escola de Farmácia

21

10

- Faculdade de Medicina

44

20

- Faculdade de Odontologia

11

5

 

 

 

Ciências Sociais Aplicadas

 

 

- Escola de Arquitetura

8

4

- Escola de Ciência da Informação

1

1

- Faculdade de Ciências Econômicas

13

6

- Faculdade de Direito

19

9

 

 

 

 


 

Quotas Concedidas - 1999/2003

 

ÁREA DO CONHECIMENTO

BOLSAS CONCEDIDAS POR PERÍODO-PROBIC/FAPEMIG

 

 

 

 

 

 

 

1999

2000

2001

2002

2003

Biológicas e Agrárias

60

46

42

49

43

Ciências Exatas e da Terra

45

47

48

49

36

Ciências Humanas

18

21

31

27

34

Ciências Sociais Aplicadas

14

19

16

12

20

Engenharias

31

29

25

25

31

Lingüística, Letras e Artes

15

17

11

12

14

Ciências da Saúde

37

41

47

46

42

 

 

 

 

 

 

TOTAIS

220

220

220

220

220

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Evolução de 1998 a 2002

No. de trabalhos apresentados da VII a XI SIC

 

Área do Conhecimento

VII SIC

VIII SIC

IX SIC

X SIC

XI SIC

 

 

 

 

 

 

Ciências da Vida

456

533

595

616

532

Ciências Exatas e da Terra e Engenharias

299

318

343

309

253

Humanidades

188

286

262

201

181

Lingüistica, Letras e Artes

51

80

59

81

71

 

 

 

 

 

 

Total

994

1217

1259

1207

1037

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

EXTENSÃO

  

Visão Institucional

 

Incentivar a integração com o ensino e a pesquisa, valorizando programas que estimulem o desenvolvimento regional e promovam relevante impacto social.

 

 

 

 

EXTENSÃO

 

PROGRAMAS E AÇÕES DE EXTENSÃO

 

Cooperação com Instituições de Ensino Superior de Minas Gerais

Programa Minas – Universidade presente

Criado em 1999 com a participação de 14 instituições de ensino superior o Programa Minas – Universidade presente tem uma proposta e uma perspectiva de articulação de Universidades mineiras para a regionalização de atividades integradas de ensino-pesquisa e extensão no Estado de Minas Gerais. Objetiva a melhoria da qualidade de vida e a promoção social, prioritariamente nas regiões carentes do Estado de Minas Gerais, por meio de programas e projetos efetivos na área de extensão, com a participação de entidades e das comunidades alvo, oferecendo oportunidade para o aprimoramento da formação profissional, especialmente dos estudantes universitários.

Dentre as ações deste programa destaca-se a cooperação na execução do Programa Universidade Solidária. O programa tem sido desenvolvido em municípios do Vale do Jequitinhonha. Em 2002 a Proex participou do Projeto Unisol-Xingó, que objetiva o desenvolvimento dos municípios do semi-árido do Nordeste, localizados no entorno da Hidrelétrica de Xingó, no Estado de Sergipe.

Outra ação é o Programa emergencial para habilitação do profissional em nível médio – modalidade normal – do professor de Educação infantil. Conta com a participação de 09 instituições de ensino superior, sob a coordenação geral da COPASC/PROEX.

Regionalização da atuação do Pólo de Capacitação, Formação e Educação de Pessoal para Saúde da família

Responsável pelo restante do estado, o Pólo UFMG, com a intermediação da Proex, criou núcleos regionais para implementação das atividades educacionais, tendo por base a Diretoria Regional de Saúde e, pelo menos, uma IES.

 

 

Cooperação com outras instituições públicas e não governamentais

Em um trabalho que envolveu a Assessoria de Cooperação Interinstitucional da UFMG, a Proex atuou com várias instituições através da participação no Grupo de Combate à Violência Doméstica e Exploração Sexual e no Seminário Legislativo – “Dez anos no Estatuto da criança e do Adolescente – ECA: Avanços e Desafios”.

Programas e ações de extensão da UFMG e desenvolvimento de políticas públicas por áreas temáticas

 

Comunicação

-           Articulação com programas de extensão: Uma aproximação do Departamento de Comunicação Social da FAFICH com os programas de base regional, o Manuelzão e o Pólo do Jequitinhonha, resultou nos projetos Manuelzão dá o recado e Práticas de comunicação em cidades participantes do Pólo Vale Jequitinhonha.

 

-           Comunicação, Educação e Mídia Comunitária: Projetos Laboratório de Mídia Comunitária – LabMídia UFMG, Mídia escola e práticas educativas e apoio, Capacitação e Melhoria das Rádios Comunitárias na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

 

Cultura

Objetivo: Buscar a cada ano uma maior interseção com a área de cultura promovendo a institucionalização das atividades e o fortalecimento dos grupos culturais.

Principais atividades

Festival de Inverno da UFMG: Realizado com grandes parcerias, sempre sofrendo alterações que o caracterizam como um programa dinâmico, de vanguarda e afinado com o seu tempo. A meta é tornar o Festival um programa de ponta e uma referência para a pesquisa na arte contemporânea.

Fundação Rodrigo Mello Franco de Andrade: Situada em Tiradentes, abre ao público o Museu do Padre Toledo, tendo recebido até este ano em torno de 100.000 visitantes.

Coral Ars Nova: É o coral brasileiro que mais recebeu prêmios no Brasil e exterior. Já contribuiu para revelar grandes nomes do canto erudito brasileiro. Suas apresentações já ultrapassaram 1.300, divulgando a cultura mineira.

Programa de Museologia: Tem como objetivo a produção e difusão de conhecimento científico, através da divulgação dos acervos e serviços dos museus e centros de ciências da UFMG, além de formar pessoal qualificado para trabalhar em seus espaços.

Centro Cultural:

 

1- Projeto Horizontes da cidadania – Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação de Belo Horizonte, tem o objetivo de fornecer subsídios para que os professores possam elaborar projetos político-pedagógicos adequados aos novos desafios da escola inclusiva.

Público atingido: 150 professores/ano.

 

2- Projeto GuernicaParceria com a Prefeitura Municipal de Belo Horizonte, busca promover a inclusão social dos grafiteiros e pichadores, potencializando o talento destes artistas e estabelecendo laços com a produção de cultura.

Público atingido: 90 jovens.

 

3- Programa Cidadania Cultural – Tem por objetivo a democratização do conhecimento, a inclusão social e vivência cultural. Principais projetos: Laboratório de Hipermídia, Formação de Agentes Culturais juvenis, Horizontes da Cidadania, Guernica e Projeto Leitura.

Público atingido: Jovens de periferia, professores da rede municipal do ensino e demais pessoas interessadas.

 

4- Projeto Laboratório de Hipermídia – O objetivo é o letramento digital que leva à inclusão social através da capacitação profissional, formação de grupos de estudo, desenvolvimento de softwares, biblioteca virtual e acesso qualificado à informação.

Público atingido: Comunidade em geral.

 

5- Projeto Agentes Culturais – Em parceria com a Faculdade de Educação da UFMG, tem o objetivo de formar agentes nas diversas modalidades culturais e que vão futuramente monitorar trabalhos culturais na sua própria comunidade.

Público atingido: 40 jovens de periferia/ano.

 

6- Projeto Leitura – O objetivo é disponibilizar jornais e revistas de circulação local e nacional, gratuitamente, para escolas e comunidade, proporcionando uma leitura de qualidade e promovendo um letramento político e social.

 

Teatro Universitário: Tem por finalidade ministrar o curso de Formação de Ator em nível de 2º Grau, bem como fomentar a pesquisa e extensão em Artes Cênicas. O público atingido até hoje já ultrapassou 3.000 pessoas, que tiveram a oportunidade de assistir aos espetáculos.

 

Direitos Humanos

 

A área temática de Direitos Humanos da Pró-Reitoria de Extensão da UFMG vem articulando e organizando seus projetos de extensão no intuito de agregar a diversidade de ações de promoção e de defesa dos direitos humanos desenvolvidas pela Universidade. As experiências relevantes

desenvolvidas são:

 

Pólos Reprodutores de Cidadania

Programa interdisciplinar e permanente, que trabalha com a pesquisa-ação sobre a efetividade da cidadania. O Programa se desdobra nos seguintes projetos: “População de rua e Construção da Identidade Coletiva”, “Vilas e Favelas e Organização Popular”, “Saúde Mental e Cidadania”, “Criança e Adolescente e Direitos Humanos”, “Associativismo e Cooperativismo Popular” e “Vertente Teatral Trupe A torto e a Direito”. A equipe do Pólos desenvolve programa semanal na rádio comunitária União (90.1 FM), realiza trabalhos de

pesquisa e extensão em parceria com a ASMARE, com entidades comunitárias e com órgãos governamentais, atendimento sócio-jurídico à comunidades carentes através do NUDES (Núcleos Descentralizados de Mediação e Cidadania) e realiza apoio técnico às cooperativas na área do direito. Além dessas ações, cria e apresenta peças teatrais que permitem estimular a organização popular através da reflexão acerca da cidadania e dos direitos fundamentais de forma criativa e lúdica.

 

Núcleo de Estágio da Periferia - NEP

Suas ações destinam-se a comunidades leigas em Direito, carentes de informações básicas para o exercício da cidadania. Através de palestras dadas a comunidades de  diversos bairros de Belo Horizonte e região, em parceria com organizações sociais, o NEP orienta–as sobre questões jurídicas de uso cotidiano, às quais normalmente não teriam acesso através de outras fontes.

 

 Núcleo de Apoio ao Desenvolvimento da Política de Assistência Social  - NUPASS

 

Através da integração entre Universidade, administrações públicas e sociedade civil, fortalece ações de ensino, pesquisa e extensão, desenvolvendo ações de capacitação de profissionais responsáveis pela gestão dos sistemas de assistência social, bem como de conselheiros da área e organizações sociais; prestação de serviços de assessoria e consultoria técnica para elaboração de avaliações diagnósticas e de planejamento social (formulação, gestão e

avaliação de planos, programas e projetos); cooperação interinstitucional na área. Articula ações com os demais Núcleos e Centros de Estudos e Pesquisas das diversas unidades de ensino da UFMG, desenvolvendo trabalhos interdisciplinares nas áreas da criança e do adolescente, do idoso, das pessoas portadoras de deficiência e do trabalho, além da área específica da assistência social.

 

Divisão de Assistência Judiciária da Faculdade de Direito – DAJ

A DAJ presta assistência judiciária à população carente há 43 anos, o que permite aos alunos da graduação o exercício da advocacia, com a orientação de professores e alunos da pós-graduação, e oportuniza assistência judiciária a população carente, viabilizando-se, desta forma, o acesso ao Poder Judiciário, sem o qual não há exercício efetivo da cidadania. Já foram propostas mais de 20.000 ações judiciais, e aproximadamente 5.000 alunos da graduação participaram do projeto.

 

Centro de Estudos de Criminalidade e Segurança Pública – CRISP

O CRISP é um centro vinculado à FAFICH que fornece educação, treinamento em pesquisa e consultoria para pesquisadores, funcionários do sistema de justiça criminal, bem como para usuários e "policy makers". Dentre suas ações destaca-se o Curso Policiamento Comunitário, que visa proporcionar aos participantes a oportunidade de discutir a gênese e as implicações do policiamento comunitário para as operações policiais, bem como o envolvimento da comunidade, como uma nova concepção acerca de problemas da segurança pública. Ele destina-se a administradores públicos nos vários níveis, policiais, agentes dos diversos segmentos do sistema de justiça, líderes

comunitários e cidadãos interessados.

 

Curso de Aperfeiçoamento em Direitos Fundamentais, Criminologia e Gestão Prisional

 

A PROEX manteve articulação junto à Secretaria de Estado da Justiça e Direitos Humanos

de Minas Gerais, a Faculdade de Direito, o Departamento de Psicologia da FAFICH e outras unidades de ensino para qualificação, em nível de aperfeiçoamento e atualização, dos profissionais que atuam no processo de gerenciamento do sistema penitenciário mineiro e de atendimento dos sentenciados.

 

Sistema de Informação para a Infância e a Adolescência – SIPIA

 

Mobilização de docentes, técnico-administrativos e discentes que desenvolvem projetos na área de defesa da criança e do adolescente para estabelecimento de parcerias com o Departamento da Criança e do Adolescente da Secretaria de Estado dos Direitos Humanos – SEDH do Ministério da Justiça, a UNESCO, o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, a Secretaria de Estado do Trabalho da Assistência Social e da Criança e Adolescente, a Companhia de Processamento de Dados do Estado de Minas Gerais, a Federação Mineira de Fundações de Direito Privado de Minas Gerais, a Procuradoria Geral de Justiça e a Frente de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente com objetivo de apoiar, no estado de Minas Gerais, a implantação do Sistema de Informação para a Infância e a Adolescência - SIPIA, sistema nacional que registra e monitora a situação de proteção à criança e ao adolescente, quando da violação de seus direitos.

 

 

 Educação

 

Como exemplos consolidados nessa área estão o Programa de ensino fundamental e médio de jovens e adultos, que atende a servidores técnico-administrativos da UFMG e público externo e o Programa Carro Biblioteca. Um novo programa, integrando ensino-pesquisa-extensão, é o Programa Culturas Indígenas na UFMG, com um projeto de Educação continuada e qualificação

de professores indígenas como etapa para formação universitária, o projeto Artes do Coração do Brasil / CORPOCASACOISA - modos de ver e fazer, que instalará espaço cultural indígena no Museu de História Natural e Jardim Botânico, e integrando UFMG e SEEMG, o projeto conhecer as etnias indígenas de Minas: banco de dados do PIEMG na FAE (banco de dados sobre Educação

indígena).

 

Programa de Educação de Jovens e Adultos

Esse programa atende a pessoas que à época adequada, não tiveram a formação escolar. O programa obedece aos limites legais de idade para ingresso, mínimo de 15 anos para nível fundamental e de 18 anos para nível médio. Atende a cerca de 400 alunos, sendo 50% da comunidade universitária - funcionários técnico-administrativos. Constitui campo de prática para estudantes da universidade, gerando pesquisas e trabalhos científicos.

 

 

 

 

Projeto Universidade Solidária Regional - UNISOL / Alfabetização Solidária

 

Na esfera de Projetos especiais, a Proex, juntamente com outras universidades do país, integra o conjunto de instituições do Projeto UniSol - Xingó com atuação na cidade de Canindé do São Francisco em Sergipe. Além desse, a Proex integra também o Programa de Alfabetização Solidária - PAS tendo ampliado de três para quatro o número de municípios atendidos.

Através do Programa de Mobilização de Comunidades, Servas - MG, a Proex tem captado  recursos do BID para desenvolvimento dos projetos Caixa de Brinquedos II e Mala de Leitura.

 

Programa de Apoio aos Municípios para o Desenvolvimento de Educação/ Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação

 

Envolve a capacitação para a habilitação ao Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e desenvolvimento de projetos locais na área de Educação, como capacitação de alfabetizadores e educadores infantis.

 

Programa Emergencial de Habilitação em Nível Médio - Modalidade Normal – do Professor de Educação Infantil em Exercício

 

Visa a melhoria da qualidade do trabalho desenvolvido junto às crianças de 0 a 6 anos e suas famílias nas creches e pré-escolas do Estado de Minas Gerais, através da habilitação do “professor leigo” em exercício que atua nessas instituições. Foi criado para fazer frente às exigências legais de profissionalização docente dos professores da Educação Infantil que definem prazo até 2007 para que a formação mínima em nível médio, modalidade normal,seja assegurada para aqueles que exercem a docência em creches e pré-escolas.

 

 

 

Meio Ambiente

 

Para os programas dessa área tem sido construída uma articulação que envolve a Assessoria de Meio Ambiente sem que, no entanto, resultados plenamente satisfatórios tenham sido obtidos. Muitos são os trabalhos em curso, destacando-se dois programas de base regional, correlacionados às bacias hidrográficas do Rio das Velhas (Projeto Manuelzão) e do Rio Jequitinhonha (Pólo de Integração da UFMG no Vale do Jequitinhonha). Do ponto de vista estrutural, dois grandes programas da universidade, com várias interfaces, são:

 

Estação Ecológica

A Estação Ecológica da Universidade Federal de Minas Gerais é uma Unidade de Conservação Urbana, localizada no Campus Universitário da Pampulha. Está

compreendida em uma área de 102 hectares de transição entre os domínios fito geográficos Mata Atlântica e Cerrado, com grande diversidade de Fauna e Flora. Antiga Fazenda Dalva, o local ainda guarda interessantes resquícios do passado como uma Olaria e ruínas de instalações rurais. A Estação Ecológica é uma das poucas áreas de preservação do país que se encontra dentro de uma Universidade, o que favorece o desenvolvimento de atividades de pesquisa, ensino e extensão. A Estação conta com o grande projeto “Caminhadas Ecológicas”, cujo objetivo é aproveitar o espaço para o desenvolvimento de atividades de extensão, particularmente na área de educação ambiental. Dentro desse projeto, estão incluídas as oficinas interativas (Teia alimentar, Caminhos do Lixo, Leis da Natureza, Conservação de Energia e Retratando a

Natureza) onde os visitantes expressam e/ou reforçam as experiências vividas durante a caminhada.

 

Museu De História Natural E Jardim Botânico

O Museu de História Natural e Jardim Botânico da Universidade Federal de Minas Gerais é um ambiente onde os registros do passado fazem parte de uma história em permanente construção. Situado em uma área de 600 mil m2, ele possui uma característica singular:fica dentro de um Jardim Botânico, uma das maiores áreas verdes preservadas na região  metropolitana de Belo Horizonte onde estão abrigadas centenas de espécies da fauna e

flora brasileira. No Museu, encontra-se um rico acervo de nossa história científica e cultural, com coleções de paleontologia, arqueologia, mineralogia, zoologia e botânica,  além de mostras de cultura indígena e popular. Existem, também, projetos desenvolvidos na área de Educação Ambiental: Visitas Monitoradas, Vizinhos do Museu e Natureza Singular. O Museu, oferece os seguintes cursos: Formação Continuada de Monitores e Civilização do Bambu.

 

 

 

Tecnologia

 

A identificação de projetos nessa área é recente, sendo ainda experiências não integradas em programas. Pelo menos três núcleos de projetos podem ser identificados nessa área:

 

Programa Centro de Experimentação e Prestação de Serviços CETEPS

O CETEPS - Comunidades Carentes atua com estudantes do Curso de Arquitetura e bolsistas de extensão junto a prefeituras e ONG, para desenvolvimento de projetos para praças comunitárias, albergues, creches, igrejas, etc.

 

Tecnologia, educação e inclusão social

 

Alguns projetos de extensão atuam com foco social, tendo como objetivo o repasse tecnológico e a inclusão social. Exemplos são os projetos do Núcleo de Ciências Agrárias, em Montes Claros, Pomar solar: integração ensino-pesquisa-extensão no desenvolvimento de agricultura familiar, Ações Integradas na Área de Plantas Medicinais: Sustentabilidade da Produção e o Inseminação artificial de bovinos.

 

Inovação e desenvolvimento tecnológico

 

Um piloto de trabalho integrado entre a PROEX e a Coordenadoria de Tecnologia e  Inovação Tecnológica, são os projetos, coordenados por essa última, Capacitação e Estímulo à Propriedade Intelectual na UFMG e Difusão e Apoio ao Empreendedorismo na UFMG.

 

 

Trabalho

 

A área temática do trabalho, da Pró-Reitoria de Extensão da UFMG, tem buscado a articulação entre os diversos programas e projetos de extensão desenvolvidos por algumas de suas Unidades de ensino, visando sua integração e a ampliação do compromisso social da Universidade junto ao

mundo do trabalho. Dentre esses, destacam-se os seguintes:

 

Curso Intensivo de Preparação de Mão de Obra Industrial - CIPMOI

A Escola de Engenharia da UFMG desenvolve este projeto 45 anos, qualificando mão de obra operária, das áreas de construção civil, elétrica e mecânica, difundindo novas tecnologias e criando oportunidades de aperfeiçoamento, de modo que possam se sobressair no mercado de trabalho.

 

Núcleo de Estudos Sobre o Trabalho Humano - NESTH

O núcleo, criado há dezesseis anos, realiza pesquisas de abrangência local e nacional, cursos de extensão, seminários internacionais, cursos de atualização para chefias técnico-administrativas da UFMG, consultorias, conferências, contatos interinstitucionais com órgãos diversos para promoção conjunta de seminários, publicações, etc.

 

Núcleo de Estudos sobre Trabalho e Educação - NETE

Realiza estudos e pesquisas, divulga e socializa conhecimentos com a temática Trabalho e Educação, articulando o conteúdo das disciplinas da graduação e da pós-graduação com atividades de pesquisa e extensão. O NETE procura se integrar às redes de informação, tendo em vista atender às demandas de setores da sociedade civil, especialmente às iniciativas práticas voltadas para a melhoria dos sistemas públicos de ensino, ao atendimento da demanda do movimento sindical e dos trabalhadores.

 

Programa de Formação de Auxiliar de Enfermagem - PROFAE

O PROFAE é um programa do Ministério da Saúde, financiado pelo Fundo de Amparo ao Trabalhador – FAT e pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento – BID, que objetiva qualificar os agentes informais de saúde como Auxiliares de Enfermagem. É realizado pela Escola de Enfermagem e Faculdade de Educação.

 

 

Qualificação de Trabalhadores

A UFMG também tem desenvolvido, através de parceria com o Fundo de Amparo ao Trabalhador – FAT, algumas ações do PLANFOR – Plano Nacional de Formação e Qualificação Profissional, que visam o fortalecimento do sistema público de emprego nas áreas de educação infantil, cuidadores de idosos, gestores dos sistemas de assistência social, do trabalho e da criança e adolescente. Além desses, também foram desenvolvidas ações de extensão, com o apoio da Proex, visando a qualificação tecnológica e a inclusão social de trabalhadores, como os projetos "Inseminação Artificial em Bovinos/ Comunidades rurais III” e “Associativismo enquanto estratégia de geração de Trabalho e renda” do NCA / Montes Claros, e os projetos de incubadora de cooperativas populares da Escola de Engenharia e da Faculdade de Direito.

 

 

 

Programa de Triagem Neonatal da Fenilcetonúria, Hipotireoidismo e Anemia Falciforme

(Teste do Pezinho)

O Programa, mais conhecido como Teste do Pezinho, é feito pelo Núcleo de Pesquisa em Apoio Diagnóstico -NUPAD/ Faculdade de Medicina. Atende a 99% dos municípios mineiros (165.000 recémnascidos/ ano), na rede pública do Sistema Único de Saúde (SUS), graças a convênio UFMG/Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais. O tratamento dos casos detectados, assim como o exame, é gratuito para toda a população. É garantido, também, o suporte terapêutico básico aos pacientes com fenilcetonúria e hipotireoidismo congênito, com a distribuição gratuita de hormônio tireoidiano de reposição (L-Tiroxina) e outros medicamentos, bem como a realização de outros exames complementares e fornecimento do leite especial, o combinado de aminoácidos (PKU). O programa faz ainda o atendimento psicológico dos pais e familiares de crianças afetadas. O teste também detecta precocemente a anemia falciforme (drepanocitose). Os casos diagnosticados são tratados gratuitamente no Hospital das Clínicas da UFMG, em Belo Horizonte.

 

Projeto Manuelzão

Trabalho desenvolvido nos 55 municípios da Bacia do Rio das Velhas, que promove ações nas áreas de meio ambiente, saúde, educação e cultura, por meio de prestação de serviços sociais, ensino e pesquisa. Integra várias áreas de estágio de estudantes e projetos em saúde, educação e meio ambiente. Objetiva o desenvolvimento social sustentável e a recuperação do Rio, com a volta de peixes às suas águas.

 

 

Pólo de Capacitação, Formação e Educação Permanente de Pessoal para Saúde da Família

A UFMG foi aprovada pelo Ministério da Saúde como um dos dez pólos de apoio ao desenvolvimento da estratégia de saúde da família, em 1998. O Pólo atua com a Secretaria de Estado da Saúde de Minas Gerais e o Departamento de Atenção Básica, do Ministério da Saúde, em cerca de dois terços dos municípios do Estado, tendo constituído núcleos sub-regionais com 11

das 17 Diretorias Regionais de Saúde e outras instituições de ensino superior.

 

 

 

RELATÓRIO PRELIMINAR DAS ATIVIDADES

DA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO – 2002

 

1.     Publicação de “Retrospectiva de Extensão 1998-2001”, a qual se inclui o Relatório de Atividades 2001 – concluídos e publicados em agosto de 2002.

 

2.     Revisão da política geral de extensão e reorganização financeira e administrativa da Pró-Reitoria de Extensão. O resultado desse trabalho está no documento: “A Extensão na UFMG – Aspectos Operacionais e regimentais’, em versão preliminar.

 

3.     Desenvolvimento do Programa de Bolsas de Extensão 2002. Nesse processo, cumpriram-se duas etapas de nucleação de projetos isolados em Programas, a primeira na implementação dos projetos/programas 2001.

 

4.     Reorganização das Coordenadorias Acadêmicas da Proex, restruturando-as em Coordenadorias I, II e III, relativas às áreas temáticas: Comunicação – Meio Ambiente, Saúde – Educação e Direitos Humanos – Tecnologia e Trabalho. A Coordenadoria de Programas Artístico-Culturais foi desmenbrada da Proex, passando a constituir a Diretoria de Ação Cultural, mantendo entretanto com a  Pró-Reitoria um vínculo de apoio acadêmico para análise e acompanhamento dos projetos dessa área;

 

5.     Coordenação do Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras. O Pró-Reitor de Extensão foi eleito, em maio de 2002, presidente desse Fórum, implementando uma política nacional de extensão, expressa no Plano Nacional de Extensão, no qual tem tido uma atuação expressiva através da implantação do sistema nacional de informação e de um sistema nacional de avaliação de extensão universitária, cuja comissão especial participa a Pró-Reitora Adjunta.

 

 

6.     Sistema de informação – SIEX e SIEX BRASIL

Tomando como base o Sistema de Informação de Extensão da UFMG (www.siex.ufmg.br) foi criado, para implementação a partir de janeiro de 2003, um sistema nacional para atendimento às universidades públicas brasileiras. Esse projeto foi apoiado pela SESU/MEC – R$21.000,00, em colaboração com o Fórum de Pró-Reitores de Extensão das Universidades Públicas Brasileiras.

 

7.     Sistema de avaliação dos projetos de 2001.

Baseado em software de avaliação para processamento das respostas aos questionários, os projetos desenvolvidos em 2001 foram avaliados, pautando uma ação de acompanhamento pelas Coordenadorias Acadêmicas em 2002. Elaboração de uma segunda versão dos questionários, aplicados em novembro/02 aos projetos desse ano e reelaboração dos critérios para 2003 (edital nº. 02/2002)

 

 

8.     Ações de Extensão – Aspectos Quantitativos

 

No momento, ainda não estão consolidados os quantitativos das ações de extensão (Programas, Projetos, Cursos, Eventos, Prestação de Serviços, Publicações e outros Produtos Acadêmicos) referente ao ano de 2002. A estimativa é que esses valores estão próximos aos de 2001, sendo preliminares os dados atuais:

 

Ações de Extensão realizadas na UFMG – 2002 – Dados preliminares:

AÇÃO

NÚMERO

PÚBLICO ATINGIDO

Programas

25

 

Projetos

173

102.693

Cursos

228

2.772

Eventos

201

4.231

Prestação de Serviços

198

83

Publicações e outros Produtos

5

40 (Tiragem)

 

Observações:

 

8.1.         Projetos de Extensão

Foram desenvolvidos 158  projetos de extensão, vinculados a programas ou a núcleos de projetos, apoiados por programas, de fomento de concessão de 370 bolsas/mês de extensão (anexo).

8.2.         Cursos de Extensão

No momento ainda não estão consolidados os quantitativos dos cursos  (nº. de cursos, carga horária total, nº. de concluintes e equivalente-aluno).

8.3.         Eventos

Um total de 50 foram apoiados pelo Programa de Apoio Integrado a Eventos/PAIE. Vários eventos foram realizados, estando em fase de compilação.