Fomento à Pesquisa UFMG

Programa Institucional para Melhoria Qualitativa da Produção Científica

O Programa tem por objetivo dar apoio financeiro para o pagamento de taxas necessárias para publicação de manuscritos em periódicos qualificados de circulação internacional, ou realização de revisão em manuscritos escritos em língua inglesa, ou de tradução desses manuscritos para a língua inglesa.

Programa Institucional de Auxílio à Pesquisa de Docentes Recém-Contratados/ Recém-Doutorados

O Programa se destina a apoiar docentes recém-contratados ou recém-doutorados por meio da concessão de recursos financeiros para o desenvolvimento de projetos de pesquisa, com os seguintes objetivos:

  • Contribuir para o engajamento do docente em pesquisa;
  • Fortalecer e ampliar a pesquisa na UFMG, considerando a expansão do quadro docente;
  • Estimular docentes recém-contratados ou recém-doutorados a apresentar proposta pleiteando financiamento junto às agências de fomento FAPEMIG e CNPq.
Programas Institucionais de Bolsas de Iniciação

Criados para promover a iniciação do estudante na produção do conhecimento e a sua convivência com o processo de investigação científica no tocante a suas técnicas, organização e métodos

Iniciação Científica (PIBIC – CNPq) e Iniciação Científica (PROBIC – FAPEMIG)

Estes programas são patrocinados pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq) e pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG).

Objetivos do Programa:

  • Despertar vocação científica e incentivar talentos entre estudantes de Graduação;
  • Proporcionar ao aluno bolsista, orientado por um pesquisador qualificado, a aprendizagem de técnicas e métodos científicos;
  • Estimular e desenvolver o pensamento científico e a criatividade decorrente das condições criadas pelo confronto com os problemas de pesquisa;
  • Estimular os pesquisadores com reconhecida excelência na produção do conhecimento científico a incorporar estudantes de Graduação em seus trabalhos de esquisa;
  • Preparar alunos para a Pós-Graduação.
Iniciação Científica Ações Afirmativas (PIBIC AF – CNPq)

O Programa foi criado para promover o engajamento em iniciação científica de alunos que ingressaram na UFMG utilizando-se do Programa de Bônus. Possui os mesmos objetivos do PIBIC – CNPq e PROBIC – FAPEMIG

Programa Institucional de Bolsas em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI)

Este programa, patrocinado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq), visa estimular alunos de graduação a engajarem no desenvolvimento e transferência de novas tecnologias e inovação.

Objetivos do Programa:

  • Contribuir para a formação e inserção de estudantes em atividades de pesquisa, desenvolvimento tecnológico e inovação;
  • Contribuir para a formação de recursos humanos que se dedicarão ao fortalecimento da capacidade inovadora das empresas no País, e
  • Contribuir para a formação do cidadão pleno, com condições de participar de forma criativa e empreendedora na sua comunidade.
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica para a Rede de Museus e Espaços de Ciência e Cultura da UFMG

O Programa tem interface com a Extensão da UFMG e foi criado para propiciar a estudantes da graduação a oportunidade de participar de atividades de pesquisa no âmbito da Rede de Museus e Espaços de Ciência e Cultura da UFMG.

Objetivos do Programa:

  • Despertar a vocação científica dos estudantes por meio da participação em projetos e atividades de pesquisa científica e tecnológica da UFMG, orientados por pesquisadores qualificados.
  • Proporcionar ao discente a aprendizagem de novas técnicas e metodologias científicas voltadas para o tema Museus e Espaços de Ciência a Cultura.
  • Estimular e desenvolver o pensamento científico e posturas críticas e propositivas, decorrentes das condições criadas pelo confronto com os problemas de pesquisa e extensão.
  • Fortalecer a ação transformadora da pesquisa sobre os problemas sociais
  • Estimular pesquisadores da UFMG a incorporar estudantes da graduação em seus trabalhos de pesquisa e extensão.
  • Incentivar o diálogo e a parceria da universidade e da comunidade externa para a construção de ações e estudos sobre a temática. Despertar vocação científica e incentivar talentos entre discentes da graduação.
Programa Institucional de Iniciação Científica Júnior – BIC JR

O Programa, patrocinado pela Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais (FAPEMIG), foi criado para propiciar a estudantes do ensino fundamental, médio e profissional a oportunidade de participar de atividades de pesquisa ou de extensão científica no âmbito da UFMG.

Objetivos do Programa:

  • Despertar a vocação científica dos estudantes por meio da participação em projetos de pesquisa ou de extensão científica, tecnológica ou de inovação da UFMG, orientados por pesquisador qualificado.
  • Estimular pesquisadores da UFMG a incorporar, em seu cotidiano de pesquisa, estudantes do ensino fundamental, médio e profissional, criando estratégias de ensino que viabilizem a educação científica.
  • Estimular o desenvolvimento do pensamento analítico, do senso crítico e da criatividade científica dos estudantes a partir das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa.
Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica Júnior (PIBIC – EM)

O Programa, patrocinado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Tecnológico (CNPq), foi criado para propiciar a estudantes do ensino médio e profissionalizante a oportunidade de participar de atividades de pesquisa no âmbito da UFMG.

Objetivos do Programa:

  • Despertar a vocação científica dos estudantes através da participação em projetos/atividades de pesquisa científica e tecnológica ou de Inovação da UFMG, orientados por pesquisador qualificado.
  • Estimular pesquisadores da UFMG a incorporar, em seu cotidiano de pesquisa, estudantes do ensino médio e profissionalizante, criando estratégias de ensino que viabilizem a educação científica.
  • Estimular o desenvolvimento do pensamento analítico, do senso crítico e da criatividade científica dos estudantes a partir das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa.
Programa Institucional de Iniciação Científica Voluntária

O Programa de Iniciação Científica Voluntária tem por objetivo dar oportunidade a alunos que se interessam em participar de projetos de Iniciação Científica, mas não possuem bolsa de órgãos financiadores. O Programa possui os mesmos objetivos do PIBIC – CNPq e PROBIC – FAPEMIG.

Projetos Institucionais de Pesquisa

A PRPq promove chamadas internas para a seleção de projetos para composição de propostas de pesquisa institucionais, apresentados em resposta a chamadas e editais públicos direcionados às Instituições Científicas e Tecnológicas (ICTs) com concessão de recursos não reembolsáveis originários do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FNDCT).

Programa de Apoio à Infraestrutura de Pesquisa

O programa tem como objetivo identificar, classificar e avaliar as diferentes infraestruturas de pesquisa da UFMG visando o desenvolvimento de políticas de incentivo e fomento apropriados a cada tipo. A classificação das Infraestruturas Institucionais de Pesquisa da UFMG pode ser vista em www.ufmg.br/prpq/i2pq. Editais e chamadas específicas podem ser vistos em Editais e Chamadas.

CT-Infra

O Fundo de Infraestrutura – CT-INFRA – foi criado através do decreto nº 3.807, de 26 de abril de 2001, com objetivo de gerir os “recursos destinados ao financiamento de projetos de implantação e recuperação de infraestrutura de pesquisa nas instituições públicas de ensino superior e de pesquisa, integrantes do Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – FNDCT”. Os recursos do CT-INFRA são constituídos por 20% dos aportes de recursos do FNDCT, oriundos dos Fundos Setoriais, sendo que pelo menos 30% devem ser aplicados em instituições sediadas nas Regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

A atuação do CT-INFRA é voltada à implantação, recuperação e modernização da infraestrutura de pesquisa das instituições públicas de ensino superior e de pesquisa do país, orientada pela identificação de focos estratégicos em C&T para aplicação dos recursos. Pode ainda apoiar projetos prioritários em setores importantes da economia nacional não cobertos pelos outros fundos existentes.

O CT Infra apoia as seguintes modalidades de ação:

  • Sistêmica: apoio a investimentos na otimização de infraestrutura de uso difuso e universal, que possa ser compartilhada por várias instituições, como redes de informática , acervos bibliográficos, bibliotecas digitais e biotérios compartilhados;
  • institucional: apoio a planos de desenvolvimento institucional da infra- estrutura de pesquisa que visem proporcionar condições para sua expansão e consolidação e que associem os investimentos à melhoria na gestão da infraestrutura e à definição de estratégias institucionais.
  • fomento qualificado: apoio a investimentos em infraestrutura de pesquisa para uso comum de instituições nacionais em áreas temáticas relevantes, como Oceanografia, Biologia Molecular e Biodiversidade.
  • projetos inovadores: apoio a projetos de infraestrutura associados a novas modalidades de atuação em C&T, como por exemplo a constituição de redes acadêmicas de pesquisa.
Histórico do CT INFRA na UFMG

O primeiro edital institucional do CT Infra foi lançado em 2001, com recursos de 150 milhões de reais. Nos primeiros anos, período que se estende até 2004, foram lançados também editais de valores menores e com objetivos específicos, tais como apoio a projetos para o uso racional de energia e de fontes alternativas de energia nas instituições (Chamada Pública 02/2001, R$ 31,5 milhões) e à implantação de polos de educação à distância (Chamada Pública 01/2003, R$ 4 milhões). Uma segunda fase, iniciada em 2004, foi caracterizada pelo lançamento anual de grandes editais, com valores sempre acima de R$ 100 milhões, para apoiar a implantação, modernização e recuperação da infraestrutura física das universidades e instituições de ensino superior e pesquisa. Esta fase foi descontinuada em 2014, com o lançamento de um edital para complementação de recursos para obras não concluídas e outro para equipamentos multiusuários. Não houve editais institucionais em 2015, e em 2016 foi publicado um edital para financiar a aquisição de equipamentos multiusuários de grande porte, com orçamento inicial de 400 milhões de reais, reduzidos posteriormente a 200 milhões.

No CT-Infra os projetos devem ser submetidos pela administração superior das instituições. Os subprojetos propostos devem ser resultado de um diagnóstico institucional, que permita um planejamento de médio e longo prazo, com a identificação de áreas a serem priorizadas, com a definição de metas, objetivos e indicadores de acompanhamento.

Na UFMG a elaboração das propostas institucionais de pesquisa é apoiada pela PRPq. Nas primeiras edições do edital CT INFRA, uma consulta aos diretores das unidades acadêmicas e a representantes dos grupos de pesquisa, membros da Câmara de Pesquisa (CPq), subsidiou a elaboração de uma listagem de prioridades em relação à infraestrutura para pesquisa na UFMG, que deveriam ser objeto de subprojetos nos editais CT INFRA. A cada edição do edital as unidades acadêmicas e grupos de pesquisa eram convidados a apresentar subprojetos de interesse institucional, aprovados pela congregação da unidade proponente, que eram discutidos na CPq e distribuídos para análise entre seus membros. A partir de 2004 os subprojetos passaram a ser avaliados também pela Câmara de Pós-graduação, e nas reuniões conjuntas das duas câmaras (Pesquisa e Pós-graduação) era realizada a seleção daqueles que fariam parte da proposta institucional. A avaliação final é feita pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão – CEPE, que aprova os subprojetos que constituem a proposta da UFMG. Uma comissão, designada pela CPq, era encarregada de elaborar o projeto no formato exigido pela agência. Em 2010, a PRPq lançou a primeira chamada interna para propostas de subprojetos para a composição do projeto institucional da UFMG no âmbito das Chamadas Públicas MCT/FINEP/CT-INFRA – PROINFRA. Os subprojetos são analisados pelas câmaras de Pesquisa e de Pós-graduação, e também por um comitê externo. Uma reunião conjunta das câmaras indica ao CEPE os subprojetos selecionados para a proposta da UFMG, para deliberação final. A proposta institucional é elaborada pela PRPq, com o detalhamento dos subprojetos feito pelos coordenadores proponentes. A partir de 2014, a PRPq convida os diretores de unidades acadêmicas e líderes de grupos de pesquisa para uma reunião anterior ao lançamento da Chamada Interna, com o objetivo de aproximar os diversos grupos de pesquisa e integrar temas semelhantes, buscando fortalecer plataformas multiusuárias.

Figura 1 – participação da UFMG em editais institucionais FINEP/CT INFRA