Universidade Federal de Minas Gerais

Livro de professor da Fale relaciona xamanismo e poesia na obra de Jim Morrison

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013, às 5h58

Jim%20Morrison.jpg A vida de um astro de rock and roll é uma fonte inesgotável de boas histórias. Os excessos, vícios e excentricidades dos ícones da indústria musical despertam a atenção do público, que eleva os artistas a uma condição quase divina. E se tudo isso estiver ligado a uma morte misteriosa e precoce, eis os elementos necessários à criação do mito.

No entanto, tais características ofuscam outras possíveis realizações do homem por trás do ídolo. É essa face pouco destacada na biografia do astro que o escritor Marcel de Lima revela no livro Jim Morrison: o poeta-xamã, lançado recentemente pela Editora UFMG.

Na obra, o autor joga luz sobre a produção poética do líder da banda californiana The Doors enquanto traça um paralelo com o xamanismo, prática que acompanhou Morrison desde a infância até a sua morte em circunstâncias misteriosas, aos 27 anos, em Paris, em 1971.

O livro é um desdobramento da dissertação de mestrado defendida pelo autor em 1996 na Faculdade de Letras da UFMG (Fale), onde atualmente é professor adjunto e desenvolve pesquisas que articulam estudos literários e religião. O interesse pelo tema surgiu da admiração de Lima pela banda, e o recorte que articula a poesia com a tradição xamânica é resultado da observação feita pelo autor sobre declarações de Morrison a respeito de uma experiência traumática da infância que influenciou decisivamente a sua produção poética.

“Durante uma viagem com a família, Morrison presenciou um acidente de caminhão com um grupo de indígenas que o deixou muito impressionado. Ele reiterou que naquela ocasião o espírito de um índio xamã morto teria possuído sua alma, mudando para sempre a sua vida”, conta o autor.

Dividido em três capítulos, o livro traz na primeira parte uma apresentação dos conceitos de xamanismo e explica o fenômeno a partir das poesias e da música de Morrison. Apesar de serem construções diferentes, Marcel acredita que a produção musical e os versos de Morrison estão interligados. “Não há poesia sem música. A produção poética, inclusive, é uma obra musicada devido ao ritmo empregado durante a leitura”, argumenta.

Magia e produtividade
O xamanismo é um tipo de expressão do sagrado ligado à magia, geralmente associada às sociedades primitivas, enquanto o xamã é o sujeito que detém o conhecimento e controle sobre as forças naturais e pode transitar em diferentes níveis de consciência entre o mundo real e a dimensão espiritual. Tradicionalmente, essa transição é realizada por meio de um processo ritualístico específico, que inclui a prática de jejum e a ingestão de substâncias alucinógenas.

No caso de Morrison, suas experiências transcendentais ocorriam à base da dietilamida do ácido lisérgico, o LSD, droga sintética disseminada nos anos 1950 e 1960, época que, segundo Marcel, teria sido a de maior produtividade do cantor.

As obras de Morrison, explica Marcel de Lima, estão dentro da tradição do bardo possuído, em que a poesia visionária emerge com os próprios sentimentos do artista. “O poeta dessa tradição é aquele excluído da República de Platão, onde não era aceito por se negar a seguir os preceitos do homem virtuoso, encontrados apenas no pensamento racional da filosofia, comunicando-se, por assim dizer, através da voz mentirosa do mito e da imaginação”, diz.

Ao longo do livro, as obras do poeta-xamã são analisadas na perspectiva de criação artística, elaborada pelo filósofo alemão Friedrich Nietzsche e baseada na contraposição entre as divindades gregas das artes: Apolo, deus da escultura, e Dionísio, seu correspondente na música. Para Nietzsche, a arte surge do desequilíbrio entre o apolíneo, ligado à ordem e às formas individualizadas, e o dionisíaco, relativo à natureza, aos excessos e à irracionalidade.

Marcel de Lima articula as duas perspectivas para identificar Morrison como o poeta xamânico, que cria suas obras em uma época de contestação cultural e é obrigado a lidar com a dualidade entre o racional e irracional.

Livro: Jim Morrison: o poeta-xamã
Autor: Marcel de Lima
Editora UFMG
180 páginas
Preço de capa: R$40

(Paulo Henrique Mauro/Boletim 1848)

26/mai, 18h24 - Pró-reitoria de Assuntos Estudantis divulga projetos de estudantes que serão financiados neste ano

26/mai, 7h48 - Em dois seminários na UFMG, filósofa norte-americana vai abordar a questão da identidade pessoal

26/mai, 6h54 - Relação entre museus e paisagem cultural será debatida em colóquio em Tiradentes

26/mai, 6h47 - Faculdade de Medicina vai sediar Congresso Nacional de Saúde; prazo de inscrição com desconto termina no dia 2

26/mai, 6h41 - Campus Montes Claros promove seminário sobre uso sustentável do solo e da água

26/mai, 6h34 - Formação do engenheiro para a 'Indústria 4.0' é tema de congresso na próxima semana

26/mai, 6h26 - Documentário 'Últimas conversas', de Eduardo Coutinho, será exibido no domingo, no Espaço do Conhecimento

26/mai, 6h21 - Série Concertos de Outono recebe Trio de Choro nesta noite

25/mai, 15h00 - Protagonismo estudantil norteou 16ª Jornada de Extensão

25/mai, 12h10 - Espetáculo teatral inspirado na vida de Caio Fernando Abreu é atração desta sexta, no Centro Cultural

25/mai, 9h04 - Seminário vai pôr em discussão papéis e representação das mulheres nas guerras

25/mai, 6h37 - Vídeo ensina a preencher ocorrências de crimes relacionados à orientação sexual e identidade de gênero

25/mai, 6h25 - Instituto Casa da Glória, em Diamantina, abriga exposição sobre os processos do conhecimento

25/mai, 6h19 - Curso capacita professores de nova modalidade de exercício físico

25/mai, 6h12 - Programa oferta bolsas de graduação em países ibero-americanos

Classificar por categorias (30 textos mais recentes de cada):
Artigos
Calouradas
Conferência das Humanidades
Destaques
Domingo no Campus
Eleições Reitoria
Encontro da AULP
Entrevistas
Eschwege 50 anos
Estudante
Eventos
Festival de Inverno
Festival de Verão
Gripe Suína
Jornada Africana
Libras
Matrícula
Mostra das Profissões
Mostra das Profissões 2009
Mostra das Profissões e UFMG Jovem
Mostra Virtual das Profissões
Notas à Comunidade
Notícias
O dia no Campus
Participa UFMG
Pesquisa
Pesquisa e Inovação
Residência Artística Internacional
Reuni
Reunião da SBPC
Semana de Saúde Mental
Semana do Conhecimento
Semana do Servidor
Seminário de Diamantina
Sisu
Sisu e Vestibular
Sisu e Vestibular 2016
UFMG 85 Anos
UFMG 90 anos
UFMG, meu lugar
Vestibular
Volta às aulas

Arquivos mensais:
maio de 2017 (170)
abril de 2017 (133)
março de 2017 (205)
fevereiro de 2017 (142)
janeiro de 2017 (109)
dezembro de 2016 (108)
novembro de 2016 (141)
outubro de 2016 (229)
setembro de 2016 (219)
agosto de 2016 (188)
julho de 2016 (176)
junho de 2016 (213)
maio de 2016 (208)
abril de 2016 (177)
março de 2016 (236)
fevereiro de 2016 (138)
janeiro de 2016 (132)
dezembro de 2015 (148)
novembro de 2015 (214)
outubro de 2015 (256)
setembro de 2015 (195)
agosto de 2015 (209)
julho de 2015 (184)
junho de 2015 (225)
maio de 2015 (248)
abril de 2015 (215)
março de 2015 (224)
fevereiro de 2015 (170)
janeiro de 2015 (156)
dezembro de 2014 (163)
novembro de 2014 (245)
outubro de 2014 (281)
setembro de 2014 (267)

Expediente