Universidade Federal de Minas Gerais

Fotos: Foca Lisboa / UFMG
DSC_6830.jpg

Filarmônica de Minas Gerais diverte e encanta público que lotou gramado da Reitoria

terça-feira, 13 de junho de 2017, às 22h57

Na noite desta terça-feira, em sua apresentação na UFMG, a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais foi recebida por aquela que talvez tenha sido a maior plateia já reunida na Universidade para um espetáculo cultural: o público ocupou não apenas a frente do palco montado no gramado da Reitoria, mas toda a extensão do planalto que sedia o mais antigo prédio do campus Pampulha, de uma ponta a outra do descampado. “Que público maravilhoso. Batemos o recorde de nosso último concerto aqui na UFMG”, comemorou o maestro Marcos Arakaki no início da apresentação.

DSC_6881.jpg

Animado com a recepção, o maestro perguntou quantas pessoas da plateia assistiam a uma apresentação de orquestra pela primeira vez. Um bom número de mãos se levantou, em meio à multidão, para a satisfação do condutor. “Que ótimo isso. A gente fica muito feliz em levar a música clássica, de concerto, a quem ainda não a conhece.”

DSC_6759.jpg

Para alguns músicos, o encontro entre a Filarmônica e a Universidade tinha um sabor especial. “Eu olho para esse gramado, vejo os prédios da escola: é como se eu voltasse no tempo, àquela época em que era estudante de música da UFMG”, recordou Sérgio Aluotto, percussionista da Filarmônica [na foto acima]. Assim como outros nove dos 90 músicos que se apresentaram na noite de hoje, Aluotto se formou na Escola de Música da UFMG. “É uma satisfação muito grande tocar aqui”, disse.

DSC_6738.jpg O percussionista Werner Silveira [na foto ao lado] compartilha com Sérgio a origem de sua formação acadêmica e a satisfação de voltar à Universidade para um concerto. “Antes de me formar na Escola de Música, já havia feito metade do curso de Letras na UFMG. Em 1998, foi aberto o bacharelado em percussão, e então eu fiz a reopção. É sempre muito bom voltar aqui”, disse, lembrando ter retornado à Universidade também no início do ano para fazer um curso de introdução à neurociência.

A dupla integra o quadro de músicos da Filarmônica desde os seus primórdios e participou da primeira apresentação realizada na UFMG, em 2009, um ano após a sua fundação.

Antes de subir ao palco, Sérgio Aluotto destacou o benefício de tocar em uma orquestra que reúne instrumentistas de várias partes do mundo. “É um aprendizado diário, musical e cultural. Cada colega traz uma bagagem diferente, você vai conhecendo outras histórias, outros pontos de vista. A gente aprende muito junto”, disse. A Filarmônica de Minas Gerais reúne profissionais de 17 nacionalidades, “que escolheram Belo Horizonte para construir sua carreira e constituir família”, orgulha-se o maestro Marcos Arakaki.

DSC_6947.jpg

Erudita, mas não sisuda
Um aspecto que muito agradou ao público foi o bom humor e a leveza da apresentação. Entre uma peça e outra, o maestro conversava com a plateia, apresentando os instrumentos e explicando a organização da orquestra. Em diferentes momentos, o condutor inclusive convocou os músicos a dar “palinhas” sobre os instrumentos mais esdrúxulos, com breves demonstrações de timbre e funcionalidade.

Quando o maestro convocou a tuba a se apresentar, por exemplo, o músico Eleilton Cruz, também formado na UFMG, solfejou a famosa composição de Henry Mancini, conhecida como tema do filme A pantera cor-de-rosa: a plateia caiu no riso. Na apresentação do contrafagote, por sua vez, o público acompanhou a execução da melodia com estalos de dedos.

DSC_6845.jpg

A apresentação teve início com Uma noite no Monte Calvo, de Mussorgsky, tocada na versão original do compositor. “Uma noite no Monte Calvo trata de um encontro de bruxas em uma montanha de vegetação bem rala, na qual fazem todo tipo de sortilégios e feitiços”, explicou Marcos Arakaki, antes de brandir sua batuta.

Em seguida, os músicos executaram a abertura de Orfeu no inferno, de Offenbach, e, na sequência, Dança macabra, de Saint-Saëns. “Essa é uma música que, de macabra, só tem o nome. Trata-se de uma peça de humor muito inteligente e perspicaz, com piadinhas intrínsecas”, explicou o regente, detalhando e demonstrando aspectos técnicos da execução, como uma desafinação intencional de violinos escrita por Saint-Saëns para atender a uma específica intenção da narrativa musical.

DSC_6859.jpg

Por último, a orquestra executou O aprendiz de feiticeiro, de Dukas. Como se estivesse em um espetáculo popular, a plateia pediu bis. Sem hesitar, o maestro voltou ao palco e convocou os músicos a executar mais uma vez o trecho da peça de Offenbach que faz alusão ao cancã, a famosa dança dos cabarés parisienses de meados do século 19. A plateia agradeceu efusivamente.

A TV UFMG acompanhou o concerto e conversou com regente associado da Filarmônica, Marcos Arakaki, e com pessoas que estiveram no campus Pampulha para apreciar o espetáculo. Assista ao vídeo:

26/jun, 14h05 - Startup da UFMG vence competição nacional de projetos de saneamento básico

26/jun, 7h04 - ‘Carregador de água na peneira’, Robson Santos, do ICB, é o novo emérito da UFMG

26/jun, 6h47 - Molécula de ação antitumoral mais seletiva patenteada nos EUA é destaque em nova edição do Boletim

26/jun, 6h41 - Pró-reitoria de Extensão lança edital de fomento a ações para 2018

26/jun, 6h36 - Inscrições para seminário sobre a mosca 'drosophila' podem ser feitas com desconto até o dia 8

26/jun, 6h32 - Faculdade de Educação promove palestra sobre Base Nacional Curricular para educação infantil

26/jun, 6h30 - Coral de Trombones e Tubas da UFMG é atração da noite de segunda no Conservatório

23/jun, 16h50 - Instituto de Ciências Agrárias divulga atividades que receberão apoio financeiro neste ano

23/jun, 7h08 - Estudantes organizam primeira Parada do Orgulho LGBT na UFMG

23/jun, 6h58 - Aluno da Medicina disputa vaga para representar o Brasil em maratona na Finlândia

23/jun, 6h54 - Em livro, professor da FaE mostra que projeto editorial consolidou Rui Barbosa como influência intelectual

23/jun, 6h40 - Tiradentes expõe obras de artistas da Escola de Belas-Artes

23/jun, 6h37 - Dietas em xeque, ficção científica e histórias de Minas movimentam Espaço do Conhecimento no fim de semana

23/jun, 6h31 - Conservatório prorroga inscrições para apresentações de recitais de formatura no segundo semestre

23/jun, 6h19 - Violonista Lucas Telles interpreta brasilianas de Radamés Gnattali, em recital nesta noite

Classificar por categorias (30 textos mais recentes de cada):
Artigos
Calouradas
Conferência das Humanidades
Destaques
Domingo no Campus
Eleições Reitoria
Encontro da AULP
Entrevistas
Eschwege 50 anos
Estudante
Eventos
Festival de Inverno
Festival de Verão
Gripe Suína
Jornada Africana
Libras
Matrícula
Mostra das Profissões
Mostra das Profissões 2009
Mostra das Profissões e UFMG Jovem
Mostra Virtual das Profissões
Notas à Comunidade
Notícias
O dia no Campus
Participa UFMG
Pesquisa
Pesquisa e Inovação
Residência Artística Internacional
Reuni
Reunião da SBPC
Semana de Saúde Mental
Semana do Conhecimento
Semana do Servidor
Seminário de Diamantina
Sisu
Sisu e Vestibular
Sisu e Vestibular 2016
UFMG 85 Anos
UFMG 90 anos
UFMG, meu lugar
Vestibular
Volta às aulas

Arquivos mensais:
junho de 2017 (134)
maio de 2017 (192)
abril de 2017 (133)
março de 2017 (205)
fevereiro de 2017 (142)
janeiro de 2017 (109)
dezembro de 2016 (108)
novembro de 2016 (141)
outubro de 2016 (229)
setembro de 2016 (219)
agosto de 2016 (188)
julho de 2016 (176)
junho de 2016 (213)
maio de 2016 (208)
abril de 2016 (177)
março de 2016 (236)
fevereiro de 2016 (138)
janeiro de 2016 (131)
dezembro de 2015 (148)
novembro de 2015 (214)
outubro de 2015 (256)
setembro de 2015 (195)
agosto de 2015 (209)
julho de 2015 (184)
junho de 2015 (225)
maio de 2015 (248)
abril de 2015 (215)
março de 2015 (224)
fevereiro de 2015 (170)
janeiro de 2015 (156)
dezembro de 2014 (163)
novembro de 2014 (245)
outubro de 2014 (281)

Expediente