Ciências Morfológicas?

Um museu de Ciências Morfológicas, e com enfoque humano, desperta certa curiosidade até mesmo pelo título. As Ciências Morfológicas integram áreas do conhecimento fundamentais ao entendimento da estrutura e funcionamento dos organismos, como a Embriologia, que focaliza o desenvolvimento embrionário e fetal do indivíduo, desde a fertilização até o nascimento; a Anatomia, que estuda aspectos como forma, dimensão, constituição e localização dos diferentes órgãos e sistemas; a Citologia e Histologia, que abordam a intimidade microscópica e ultramicroscópica dos organismos, possibilitando o conhecimento de sua organização molecular, organelas, células e tecidos, bem como de suas interações morfofuncionais. O estudo das Ciências Morfológicas é básico para os cursos das áreas biológicas e da saúde e é fundamental para todo cidadão que busca conhecer o seu próprio organismo.

O MCM focaliza o organismo humano em abordagem sistêmica e interdisciplinar e busca, através da integração real ensino/pesquisa/extensão, ser um espaço de intercâmbio entre a Universidade e a comunidade. Com acervo peculiar, o Museu de Ciências Morfológicas mostra, através de exposições didático-científicas permanentes, peças anatômicas, esculturas em gesso e resina, fotomicrografias de células e tecidos aos microscópios de luz e eletrônicos, embriões e fetos em diferentes estádios de desenvolvimento, além de equipamentos de áudio e vídeo, que facilitam o trabalho didático e de divulgação científica realizados no Museu.

Através do desenvolvimento de programas de divulgação científica e de projetos sociais visando a educação para a saúde e a solução de problemas da vida diária da comunidade, o MCM tem estreitado laços entre a UFMG e a sociedade, ampliando também sua atuação junto ao ensino fundamental e médio, com o objetivo de incentivar uma nova consciência frente ao ensino das Ciências.

Portanto, além de seu trabalho como gerador e difusor de conhecimento nesta área da Ciência, o MCM vem estimulando a busca de melhor qualidade de vida, fundamentada na compreensão e preservação do nosso organismo, nossa “casa” mais próxima.