Universidade Federal de Minas Gerais

Filipe Chaves
jacynthobrandao.jpg
A versão traduzida por Jacyntho é a primeira em português brasileiro

Obra traduzida por Jacyntho Brandão é lançada em Belo Horizonte e Ouro Preto

quarta-feira, 15 de abril de 2009, às 9h47

A tradução do texto Como se deve escrever a história realizada pelo professor e diretor da Faculdade de Letras (Fale) da UFMG, Jacyntho Lins Brandão, será lançada em Belo Horizonte e Ouro Preto.

Escrito por Luciano de Samósata no século 2, Como se deve escrever a história é o único texto antigo sobre o tema que chegou até os dias de hoje. A versão traduzida por Jacyntho Brandão é a primeira em português brasileiro. O original em grego só contava com traduções feitas em Portugal no século 18.

O livro, publicado pela Tessitura Editora, apresenta ainda ensaio sobre as diferentes interpretações e traduções que o texto recebeu ao longo da história, também de autoria de Jacyntho Brandão.

O lançamento em Ouro Preto acontece hoje, dia 15 de abril, às 20h, na livraria UFMG – Casa de Gonzaga (rua Cláudio Manuel, 61, Centro). Em Belo Horizonte, será realizado no próximo domingo, 18 de abril, às 11h, na Quixote Livraria e Café (rua Fernandes Tourinho, 274, Savassi).

Como escrever a história
Nascido sírio, nas bordas do Império Romano, e com formação grega, Luciano de Samósata foi um escritor satírico, que produziu de diversos gêneros de ficção a temas como filosofia e medicina. Foi muito criticado (chamado de gozador e falsário, entre outros adjetivos), mas nunca deixou de ser lido, porque a qualidade de sua escrita era reconhecida. No Ocidente, sua obra foi resgatada no Renascimento, na esteira do interesse pelos estudos da língua e da cultura gregas. “Luciano foi um dos primeiros autores traduzidos, e Como se deve escrever a história tornou-se um manual sobre o assunto”, conta Jacyntho Brandão, que é professor de Língua e Literatura Grega.

Na primeira parte do texto, Luciano de Samósata dedica-se à crítica dos historiadores que contavam a história com base no elogio ao Império Romano, civilizado, em luta contra a barbárie. “A partir de determinado ponto é que a obra ganha característica de tratado, com aplicação universal”, conta o professor da Fale. “O início é na verdade um panfleto, porque Luciano critica o poderio de Roma ao condenar a forma com que o Império é elogiado.”

Quando ensina a escrever história, o autor prega o que chama de “história justa”, marcada pela falta de compromisso com outros interesses. Esse modelo seria encarnado – solitariamente, segundo Luciano – por Tucídides, cronista da guerra do Peloponeso, no século 5 a.C. Jacintho explica que Tucídides tinha outra qualidade recomendada por Luciano: escrever bem. “Ele criticava os historiadores que escreviam como poetas e exageravam os fatos, mas não admitia linguagem vulgar. Preconizava um estilo médio, culto mas inteligível”, completa Jacyntho Brandão.

24/jan, 6h45 - Livro de Carlos Antonio Leite Brandão revela atualidade de tratado do século 15 sobre arquitetura e urbanismo

24/jan, 6h42 - Fórum de mulheres do Jequitinhonha debaterá enfrentamento da violência

24/jan, 6h36 - Centro Cultural seleciona propostas de oficinas artísticas até o fim do mês

24/jan, 6h21 - Doutorado e especialização da Escola de Enfermagem ainda recebem inscrições

23/jan, 16h19 - Pesquisadora da ciência política investiga populismo de extrema-direita

23/jan, 15h20 - Oficina do Espaço do Conhecimento ensina técnicas de desenho e estimula produção de narrativas

23/jan, 7h11 - Em nova edição, curso Filosofia na Praça aborda relação entre conhecimento e justiça

23/jan, 6h54 - Livro sobre musicalização na educação infantil é lançado pela Editora UFMG

23/jan, 6h41 - Mestrado em Neurociências recebe inscrições pelo correio até quarta

20/jan, 7h09 - Ronald Claver ministra oficina de criação literária a partir do próximo mês

20/jan, 7h00 - Eventos promovidos por associação de estudantes de pós-graduação discutem conjuntura científica brasileira

20/jan, 6h54 - Revista do curso de Ciências do Estado, que celebra os 500 anos de 'Utopia', recebe artigos até 1º de fevereiro

20/jan, 6h44 - Nova oficina do projeto 'Sábado com Libras', no Espaço do Conhecimento, aborda capacidade de improviso

19/jan, 16h03 - Comunidade começa a debater proposta das novas Normas Gerais de Graduação

19/jan, 6h58 - Confluência entre escrita, som e imagem é tema de colóquio internacional na Fale; submissão de trabalhos termina na sexta-feira

Classificar por categorias (30 textos mais recentes de cada):
Artigos
Calouradas
Conferência das Humanidades
Destaques
Domingo no Campus
Eleições Reitoria
Encontro da AULP
Entrevistas
Eschwege 50 anos
Estudante
Eventos
Festival de Inverno
Festival de Verão
Gripe Suína
Jornada Africana
Libras
Matrícula
Mostra das Profissões
Mostra das Profissões 2009
Mostra das Profissões e UFMG Jovem
Mostra Virtual das Profissões
Notas à Comunidade
Notícias
O dia no Campus
Participa UFMG
Pesquisa
Pesquisa e Inovação
Residência Artística Internacional
Reuni
Reunião da SBPC
Semana do Conhecimento
Semana do Servidor
Seminário de Diamantina
Sisu
Sisu e Vestibular
Sisu e Vestibular 2016
UFMG 85 Anos
UFMG, meu lugar
Vestibular
Volta às aulas

Arquivos mensais:
janeiro de 2017 (74)
dezembro de 2016 (108)
novembro de 2016 (141)
outubro de 2016 (229)
setembro de 2016 (219)
agosto de 2016 (188)
julho de 2016 (176)
junho de 2016 (213)
maio de 2016 (208)
abril de 2016 (177)
março de 2016 (236)
fevereiro de 2016 (138)
janeiro de 2016 (132)
dezembro de 2015 (148)
novembro de 2015 (214)
outubro de 2015 (256)
setembro de 2015 (195)
agosto de 2015 (209)
julho de 2015 (184)
junho de 2015 (225)
maio de 2015 (248)
abril de 2015 (215)
março de 2015 (224)
fevereiro de 2015 (170)
janeiro de 2015 (156)
dezembro de 2014 (163)
novembro de 2014 (245)
outubro de 2014 (281)
setembro de 2014 (267)
agosto de 2014 (229)
julho de 2014 (183)
junho de 2014 (156)
maio de 2014 (239)

Expediente