Apresentação

O site Brasil Doc. é um arquivo digital construído pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com o objetivo de tornar disponível, em transparência ativa, fontes históricas de natureza diversa abrigadas na instituição.

Arquivos são conjuntos de documentos, independentemente de sua data, de sua forma e de seu suporte material, produzidos ou recebidos por qualquer pessoa física ou jurídica e por qualquer serviço ou organismo público ou privado. Um Arquivo, por si só não diz nada ou quase nada. Aproximar-se de um Arquivo exige formular alguns enunciados. O que ele guarda? De que modo guarda? Que critérios ele utiliza para distribuição, divisão e agrupamento de seus conjuntos documentais? Quais as condições de acesso? Quais as condições de consulta?

Fontes são documentos contemporâneos aos fatos e manipulados pelo historiador por meio de abordagens específicas, métodos diferentes e técnicas variadas, para investigar o que aconteceu com os outros. Sua natureza é diversa e quase interminável. Fontes podem ser documentais, impressas, orais, biográficas e audiovisuais. Podem ser cartas e diários; pronunciamentos e discursos; testamentos, inventários, registros paroquiais; sentenças, autos, relatórios produzidos pelo poder Judiciário, pela polícia ou por órgãos de repressão política; textos literários, jornais, panfletos, anúncios; canções, filmes, fotografias e obras de arte.

A primeira fase de implantação do site Brasil Doc. irá franquear o acesso público a 4.100 páginas de documentos referentes à historia contemporânea do Brasil, com corte temporal entre os anos de 1961 e 1988 e ênfase no período da ditadura militar. Parte dessa documentação é inédita, e foi gerada pelos serviços de informação e repressão das Forças Armadas: Centro de Informações da Marinha (CENIMAR); Centro de Informações do Exército (CIE); Centro de Informações da Aeronáutica (CISA); Serviço Nacional de Informações (SNI); Centros de Operação e Defesa Interna (CODI). Destacamentos de Operação Interna (DOI). Outra parte da documentação foi obtida por pesquisadores da UFMG em arquivos no exterior – em especial no Arquivo de Segurança Nacional (Paraguai). Uma terceira parte desses conjuntos documentais foi produzida por indivíduos, grupos, associações e partidos que atuaram nas diferentes formas de resistência à ditadura militar brasileira.

O site Brasil Doc., tem a intenção de contribuir para o conhecimento daquilo que Hannah Arendt chamou por “verdade factual”: a ostentação pública de fatos que não podem ser modificados pela vontade de quem ocupa o poder, nem podem ser demovidos a não ser por força de mentiras cabais. Por essa razão, seu contrário não é o erro, nem a ilusão, nem a opinião, e sim a falsidade deliberada, a mentira.

Informar ao público sobre aquilo que ele tem o direito de saber representa uma conquista histórica, e é um recurso decisivo para a realização do processo de formação de opinião em toda sua infindável diversidade política. Dar ao cidadão a informação que ele tem o direito de ter ou devolver ao público a narrativa do que aconteceu a ele – e que, portanto, lhe pertence de direito – são procedimentos constitutivos da cultura política do republicanismo e fazem parte do compromisso institucional da UFMG. Uma história pública ao público pertence.