Centro Especializado em Plantas
Aromáticas, Medicinais e Tóxicas
Universidade Federal de Minas Gerais

Árvore-do-sabão, saboneteira

Sapindus saponaria L.

SAPINDACEAE

Larissa Nunes de Oliveira/ Faculdade de Farmácia da UFRJ

Planta Viva

Droga Vegetal

Sapindus saponaria L., é também popularmente conhecida como sabão-de-soldado, saboeiro, pau de sabão, jequitinguaçu, entre outros nomes. Ela é uma espécie nativa do Brasil, sendo encontrada em todas as regiões do Brasil. Os frutos são utilizados pela população como sabão e também na preparação de remédios.

Os frutos da planta apresentam uma composição química constituída basicamente por oligoglicosídeos sesquiterpênicos alicíclicos (OGSA), além de saponinas derivadas dos triterpenos hederagenina e ácido oleanólico. A presença de saponina é a responsável pela formação de espuma, razão de muitos estudos na área de cosméticos e farmacologia. Isso porque saponinas apresentam propriedades tensoativas, com efeitos em feridas e inflamações da pele.

Saponinas também desencadeiam atividade hemolítica (destroem os glóbulos vermelhos do sangue) pois formam complexos com esteróis da membrana celular. Estudos já mostram também atividade antifúngica das saponinas da planta in vivo e in vitro, especialmente contra Candida glabrata.

 

Referências bibliográficas:

MURGU M. & RODRIGUES-FILHO E. Dereplication of glycosides from Sapindus saponaria using liquid chromatography-mass spectrometry. Journal of the Brazilian Chemical Society. v. 17, n. 7, p. 1281-1290, 2006.

MENA e cols. Determinação de saponinas e outros metabólitos secundários em extratos aquosos de Sapindus saponaria L. (sabão). Revista Cubana de Plantas Medicinais. v. 20, n. 1, p. 106-116, 2005.

DAMKE e cols. In vivo activity of Sapindus saponaria against azole-susceptible and -resistant human vaginal Candida species. BMC complementary and alternative medicine. v. 11, n. 35, 2011.

 

 

Apoio

Contatos