Centro Especializado em Plantas
Aromáticas, Medicinais e Tóxicas
Universidade Federal de Minas Gerais

Cana-de-macaco, cana-do-mato

Costus spiralis (Jacq.) Roscoe

COSTACEAE

Vitoria Moura de Almeida/ Faculdade de Farmácia (UFRJ)

Planta Viva

Droga Vegetal

A Costus spiralis (Jacq.) Roscoe, popularmente conhecida como cana-de macaco, cana-do-mato ou cana-do-brejo, é encontrada no Cerrado, Floresta Amazônica, Mata Atlântica e Caatinga. A planta é usada tradicionalmente no tratamento de infecções urinárias e na eliminação de cálculos renais. A infusão das folhas é utilizada também no tratamento da hipertensão arterial, como diurético e tônico.

Estudos demonstraram a presença de flavonoides, taninos, flavonas, xantonas, flavonóis e saponinas na planta. Os flavonoides apresentaram atividade anti-inflamatória mediada por NO, em estudos em animais. O efeito antiurolítico foi também mostrado e se deve a interações colinérgicas, levando a redução de cálculos renais. As saponinas isoladas de C. spiralis promovem efeito diurético. A presença de elevado teor de oxalatos indica que o uso prolongado da planta pode, pelo contrário, levar ao surgimento de cálculos renais.

 

Bibliografia:

COGAÍN, M.R. Urolithasis, v. 43, n.2, p.119-24, 2015.

SILVA, B.P. & PARENTE, J.P. New Steroidal Saponins from Rhizomes of Costus spiralis. Zeitschrift Für Naturforschung C, v. 59, n. 1-2, p. 81–85, 2004.

VIELTA, D.C.D. e cols. Evaluation of the antiurolithiatic activity of the extract of Costus spiralis Roscoe in rats. J Ethnopharmacol. v. 66, n.2, p. 193-198, 1999.

 

Apoio

Contatos