1. O Sisu
    1. Como funciona o Sisu?

      O Sisu funciona com uma etapa única de inscrição. Por um formulário no site do Ministério da Educação o candidato escolhe duas opções de curso e modalidade de ampla concorrência ou reserva de vagas. O estudante pode alterar suas opções durante todo o período de inscrição. O sistema considera válida a última versão confirmada.

      A seleção no Sisu é automática. Ao fim do prazo de inscrição, o sistema classifica os candidatos de acordo com sua nota no Enem, dentro das categorias de reserva de vagas e de ampla concorrência, e indica os selecionados.

    2. A inscrição no Enem é obrigatória para a seleção na UFMG?

      Sim. Para concorrer a uma vaga na UFMG em 2019, é necessário apresentar, obrigatoriamente, a nota do Enem 2018.

    3. Para 2019, somente o Enem 2018 é válido?

      Sim. As notas dos exames anteriores a 2018 não podem ser usadas no Sisu 2019.

    4. Quais são as taxas de inscrição para participar do processo seletivo?

      Exceto a taxa de inscrição no Enem, que já foi paga pelo candidato antes da realização da prova, não há novas taxas a pagar. Os processos seletivos para os cursos com habilidades específicas e para transferência e obtenção de novo título têm suas taxas de inscrição próprias e são regidos por editais específicos. Ambos estão disponíveis no site da Copeve, neste link.

    5. Quantos cursos posso escolher?

      Os candidatos devem fazer opção por dois cursos no momento da inscrição no Sisu.

    6. Posso mudar de opção de curso?

      O estudante inscrito pode alterar seus dados durante todo o período em que o sistema de inscrição estiver aberto, ou seja, até o fim das inscrições. O sistema vai considerar válida a última informação salva.

    7. O que é nota de corte? Quais são as notas de corte? Onde encontro? Tem nota mínima para algum curso?

      A nota de corte é a nota do último candidato classificado e convocado para matrícula na primeira chamada. A nota varia de curso para curso, dependendo dos candidatos inscritos. Ao fim de cada dia de inscrição o Sisu informa ao candidato qual a nota de corte do curso escolhido.

    8. Onde posso encontrar as notas de corte do ano anterior?

      As notas de corte do último processo seletivo Sisu estão divulgadas em: www.ufmg.br/sisu

    9. Se eu não fui selecionado na(s) chamada(s) regular(es) do Sisu, ainda tenho chance de ingressar na UFMG?

      Sim. Para tanto, é necessário fazer a manifestação de interesse em constar da Lista de Espera por curso na página www.sisu.mec.gov.br. O período para este procedimento é estipulado a cada edição do Sisu. Neste caso, você poderá optar por concorrer na sua 1ª ou 2ª opção.

    10. O que é a confirmação de interesse em permanecer na Lista de Espera por vaga em curso de graduação na UFMG?

      É o procedimento que candidatos devem realizar no Sistema da UFMG, caso estejam na Lista de Espera por curso de graduação na UFMG e ainda não foram convocados para Registro Acadêmico.
      O período e as instruções para este procedimento é estabelecido em edital e regulamentado pelo edital de Lista de Espera do Sisu na UFMG. É importante que o candidato imprima o comprovante de confirmação de interesse.

    11. Já sou aluno da UFMG. Posso concorrer a uma nova vaga?

      Sim. No entanto, caso seja aprovado, será necessário optar pela matrícula em um só curso. De acordo com a Lei nº 12.089/2009 é proibido uma mesma pessoa ocupar duas vagas em instituição pública de ensino superior. É necessário verificar as regras do Edital disponível em www.ufmg.br/sisu.

    12. Já estou em outra universidade pública. Posso concorrer a uma vaga na UFMG pelo Sisu?

      Sim. No entanto, caso seja aprovado, será preciso escolher entre a vaga atual e a nova vaga, em respeito à Lei nº 12.089/2009.

  2. Sisu na UFMG
    1. Quantas edições do processo seletivo Sisu 2019 a UFMG participa?

      A UFMG participará apenas da primeira edição do processo seletivo Sisu 2019.

    2. O que eu devo observar se eu for selecionado para ocupar uma vaga no 2º período letivo 2019?

      Você deve ficar atento aos prazos para seu registro acadêmico online e verificar se haverá antecipação de sua entrada na UFMG. É importante também imprimir o seu recibo de registro acadêmico online.

    3. Se eu for selecionado para o 2º período letivo e for chamado para antecipar minha entrada na UFMG eu posso escolher o semestre de entrada?

      Não. Se você for chamado para antecipar seu ingresso, você deverá obrigatoriamente comparecer para efetivar seu registro e matrícula e iniciar suas atividades acadêmicas no 1º período letivo de 2019.

    4. Como fico sabendo das informações sobre chamadas para registro acadêmico e antecipação de entrada?

      Todas as informações sobre os procedimentos referentes ao processo seletivo Sisu podem ser obtidas em www.ufmg.br/sisu.

    5. Todas as vagas da UFMG são preenchidas pelo Sisu?

      A grande maioria, com exceção das vagas para cursos com habilidades específicas, em que a Universidade aplica provas complementares. São eles: Artes Visuais, Cinema de Animação e Artes Digitais, Dança, Design de Moda, Música (Bacharelado e Licenciatura) e Teatro. O edital para estes cursos está disponível neste link.

      Além disso, não concorrem pelo Sisu as vagas para transferência e obtenção de novo título e os cursos na modalidade de educação a distância. Também têm seleções próprias os cursos de Licenciatura em Educação do Campo e Formação Intercultural para Educadores Indígenas.

    6. Quais são as modalidades de reserva de vagas?

      Além das vagas de ampla concorrência, são oferecidas vagas em quatro modalidades de reserva:

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

    7. Alunos que cursaram parte do ensino médio em escola privada podem concorrer à reserva de vagas?

      Não. Somente podem concorrer à reserva de vagas os estudantes que cursaram o ensino médio inteiramente em escolas públicas brasileiras.

    8. Alunos que cursaram o ensino médio em escola privada com bolsa integral podem concorrer à reserva de vagas?

      Não. Somente os estudantes de escolas públicas podem concorrer à reserva de vagas.

    9. Alunos que cursaram o ensino médio em escola pública estrangeira podem concorrer à reserva de vagas?

      Não. O benefício somente é concedido aos alunos das escolas públicas brasileiras.

    10. Como a UFMG vai conferir as informações referentes às modalidades de reserva de vagas?

      As informações fornecidas pelos candidatos sobre a condição socioeconômica serão conferidas no momento do procedimento presencial obrigatório de apresentação de documentação para o registro acadêmico. No caso dos candidatos que estão concorrendo à vagas reservadas às pessoas com deficiência será obrigatória a submissão à perícia médica na UFMG. A UFMG reserva o direito de fazer visitas e firmar convênio para a verificação das informações prestadas pelo candidato.

    11. Fiz minha inscrição para concorrer à vaga no processo seletivo de transferência e obtenção de novo título na UFMG. Posso concorrer também às vagas regulares pelo Sisu?

      Sim, são processos seletivos distintos. No entanto, caso o candidato seja aprovado para mais de uma vaga, será necessário optar por somente um curso no momento da matrícula.

    12. Fiz minha inscrição para concorrer à vaga no processo seletivo de Vestibular Habilidades na UFMG. Posso concorrer também às vagas regulares pelo Sisu?

      Sim, são processos seletivos distintos. No entanto, caso o candidato seja aprovado para mais de uma vaga, será necessário optar por somente um curso no momento da matrícula.

    13. Quais foram as notas mínimas e máximas dos processos seletivos 2018 – 1ª edição Sisu 2018?

      Acesse as notas do Sisu 2018/1ª Edição

  3. Registro e Matrícula
    1. Quais os documentos necessários para a matrícula?

      Para se matricular, todos os estudantes selecionados devem apresentar original e cópia legível dos documentos listados abaixo:

      • Comprovante de registro acadêmico online;
      • Certificado de Conclusão do Ensino Médio, ou de ensino equivalente;
      • Histórico Escolar do Ensino Médio;
      • Documento de Identidade, Carteira de Trabalho ou CNH;
      • Documento que comprove a quitação com as obrigações eleitorais para os candidatos que já terão completados 18 anos até o dia do registro;
      • Documento que comprove a quitação com as obrigações do serviço militar, para o candidato homem maior de 18 anos (exceto para candidatos com idade superior a 46 anos).
      • CPF;
      • Declaração de que não ocupa vaga em curso de graduação, em outra instituição pública de ensino superior brasileira, preenchida e assinada – Lei 12.089/2009.
      • Uma foto recente;

      Além dos documentos listados acima, os candidatos selecionados em modalidades de reserva de vagas precisam apresentar documentação específica, para tanto ver o anexo I do Edital.

    2. Tenho dúvidas em relação a documentação de reserva de vagas. O que devo fazer?

      Em caso de dúvidas, referentes à reserva de vagas, você deve encaminhar email para reservadevaga@drca.ufmg.br.

    3. As disciplinas cursadas em outras instituições de ensino podem ser aproveitadas na UFMG?

      O estudante interessado em fazer essa solicitação pode apresentar um requerimento diretamente ao colegiado do seu curso, com a documentação que comprova o conteúdo das disciplinas em data prevista nas instruções para registro acadêmico e matrícula.

    4. Qual é a diferença entre o registro e a matrícula? Os dois são obrigatórios?

      O registro é o primeiro ato acadêmico obrigatório, que formaliza a entrada do estudante na instituição. É o momento em que ele fornece seus dados pessoais e acadêmicos para cadastro.

      A matrícula é o segundo ato acadêmico obrigatório. A primeira matrícula será realizada em todas as atividades acadêmicas obrigatórias do 1º período curricular do curso para o qual o candidato foi selecionado.

    5. O registro e matrícula podem ser feitos por meio de representante?

      Sim. O representante deve apresentar toda a documentação para registro e matrícula, além de sua própria cédula de identidade. Todos os formulários devem estar preenchidos e assinados pelo candidato. Caso algum formulário esteja sem assinatura, o representante só poderá assinar em nome do candidato se apresentar procuração pública que outorgue a ele este direito.

    6. O estudante com matrícula em outra universidade pública pode se matricular na UFMG?

      Não. caso seja aprovado, também será preciso escolher entre a vaga atual e a nova vaga, em respeito à Lei nº 12.089/2009.

    7. O estudante já matriculado na UFMG pode se matricular em outro curso?

      Não. Caso seja aprovado, será necessário optar pela matrícula em um só curso. De acordo com a Lei nº 12.089/2009, é proibido uma mesma pessoa ocupar duas vagas em instituição pública de ensino superior. O estudante deve também estar atento às situações previstas no edital da UFMG.

  4. Assistência Estudantil
    1. O que é a assistência estudantil da UFMG?

      Para assegurar aos estudantes o direito às condições necessárias à vida acadêmica, a UFMG pratica uma política de assistência estudantil elaborada pela Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae) e executada pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump). Mantida com recursos da própria Universidade, com o financiamento anual do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES) do Governo Federal e por doações, essa política é integrada por um conjunto de ações que incluem o acesso subsidiado aos restaurantes universitários, às moradias estudantis, ao auxílio financeiro e à saúde. Além disso, o estudante conta com condições favoráveis a seu enriquecimento cultural e à expansão da sua formação acadêmica.

    2. A quem se destina a assistência estudantil da UFMG?

      Os programas e benefícios de assistência estudantil da UFMG são destinados aos estudantes dos cursos presenciais da UFMG, em primeira graduação, regularmente matriculados e frequentes, que necessitam de algum apoio para sua permanência na Universidade.

    3. O que fazer para ter acesso aos programas de assistência estudantil da UFMG?

      Após a confirmação do registro acadêmico on-line, os estudantes poderão solicitar assistência estudantil por meio do preenchimento do “Questionário Socioeconômico” disponível na página da Fump. (http://www.fump.ufmg.br/).

    4. Quais documentos são necessários para o processo de análise socioeconômica?

      A relação dos documentos necessários é emitida automaticamente pelo sistema, de acordo com as informações registradas pelo estudante no questionário socioeconômico. Exemplo: se o estudante responder que os pais são divorciados, na lista será solicitada a certidão de casamento com averbação de divórcio e o comprovante de pensão alimentícia. É necessário que os documentos sejam scaneados e salvos no formato PDF.

    5. Quando é possível solicitar o procedimento de análise socioeconômica?

      O estudante poderá solicitar a assistência estudantil a qualquer momento da trajetória acadêmica. A solicitação deve ser feita por meio do procedimento de análise socioeconômica no portal da Fump. Os calouros devem aguardar a confirmação do registro acadêmico on-line na UFMG para preencher o questionário.

    6. O que é o processo de análise socioeconômica?

      Trata-se de um instrumento técnico, formado por um conjunto de indicadores sociais e econômicos. É aplicado para analisar as condições socioeconômicas do estudante e seu núcleo familiar, com o objetivo de verificar a pertinência da solicitação. Verificada a pertinência, a análise socioeconômica auxilia a Universidade a avaliar a classificação socioeconômica que definirá o acesso do estudante aos benefícios e programas de assistência estudantil.

    7. De acordo com a condição socioeconômica, como os estudantes são classificados?

      Os estudantes são classificados por níveis (I, II, III, IV-A e IV-B), conforme especificação abaixo:

      – Nível I: Estudante de família de baixa renda, cuja condição socioeconômica desfavorecida lhe restringe as oportunidades de capacitação e inclusão. Apresenta indícios de vulnerabilidade social caso não receba apoio para suprir suas necessidades básicas e corre risco de evasão logo no início de sua trajetória acadêmica.

      – Nível II: Estudante de famílias de baixa renda, cuja condição socioeconômica desfavorecida lhe dificulta a permanência na UFMG até a conclusão de seus estudos. Embora possua suporte familiar um pouco mais consistente, caso não receba apoio para suprir suas necessidades básicas, poderá ficar retido por mais tempo para a integralização do curso ou até mesmo não conseguir concluir a graduação.

      – Nível III: Estudante que necessita de apoio para transposição de alguns impedimentos ao bom desempenho acadêmico, amenizando, assim, as dificuldades que apresenta.

      – Nível IV-A e IV-B: exclusivos para acesso aos Restaurantes Universitários através de preços subsidiados e têm como critério a renda per capita do grupo familiar.

    8. Quantas vezes o mesmo estudante pode solicitar o procedimento de análise socioeconômica?

      Após a concessão, a primeira classificação socioeconômica tem validade de, no máximo, dois anos, conforme a avaliação técnica do assistente social. Ao término desse período, o estudante que ainda não integralizou os créditos da sua graduação é orientado a realizar o procedimento de renovação da análise socioeconômica. Caso ocorra alguma alteração no contexto do estudante e do seu núcleo familiar em razão de alguma situação inesperada (desemprego, por exemplo), ele poderá solicitar a revisão.

    9. O estudante não classificado na primeira análise pode solicitar revisão?

      Sim. O estudante que na primeira análise não foi classificado para acessar benefícios e programas pode solicitar a revisão se ocorrer alguma alteração em seu contexto familiar ao longo de sua trajetória acadêmica. Nesse caso, deverá comparecer à Fump para solicitar uma entrevista com um assistente social.

    10. Após ser classificado, como o estudante deve proceder para acessar os benefícios e programas de assistência estudantil?

      Alguns programas, como o acesso subsidiado ao Restaurante Universitário e a Assistência à Saúde, são imediatamente acessados. No entanto, o acesso aos programas de bolsas e de moradia universitária se dá por manifestação de interesse (on-line), em período pré-determinado. É importante ficar atento às datas divulgadas.

    11. Como se dá o acesso aos Programas de Apoio Financeiro?

      O estudante calouro na UFMG que já for classificado socioeconomicamente pela Fump deve participar do procedimento de Manifestação de Interesse em um ou mais auxílios financeiros. Para isso, deve ficar atento ao período de manifestação, que é divulgado nos meios de comunicação da Fump e da UFMG. Após manifestar o interesse, o estudante será chamado para uma entrevista com o assistente social. Nesse atendimento, é realizada a análise da manifestação do estudante e concedidos os auxílios financeiros conforme a avaliação.

    12. Para continuar a ter direito ao Apoio Financeiro é preciso participar de outras edições de Manifestação de Interesse?

      O estudante que já tem um ou mais auxílios financeiros deve ficar atento ao período de concessão conforme consta em termo assinado e de acordo com as orientações do assistente social que o acompanha. As demais consultas ao serviço de assistência social devem ser agendadas on-line pelo próprio estudante. Apenas o acesso ao auxílio para aquisição de material acadêmico se dá por inscrição a cada edição lançada semestralmente.

    13. Como é feito o pagamento do Apoio Financeiro da assistência estudantil?

      O pagamento é realizado por meio de crédito em conta corrente no Banco do Brasil ou Santander em nome do estudante.

    14. Quem pode solicitar acesso ao Programa de Moradia Universitária?

      Os estudantes regularmente matriculados em um dos cursos presenciais de graduação da UFMG que estejam cursando sua primeira graduação e tenham sido classificados socioeconomicamente nos níveis I, II e III têm prioridade para ocupação das vagas. Para obter informações adicionais sobre as moradias universitárias da UFMG, clique aqui.

      Moradia ICA

      Moradia – Instituto de Ciências Agrárias (Montes Claros)

      Moradia OP I

      Moradia I – Bairro: Ouro Preto (Belo Horizonte)

      Moradia OP II.

      Moradia II – Bairro: Ouro Preto (Belo Horizonte)

    15. A UFMG tem Restaurantes Universitários (RUs)?

      Sim. A UFMG tem cinco Restaurantes Universitários (RUs), que são abertos à comunidade universitária para almoço e jantar – dois localizados no Campus Pampulha, um no Campus Saúde, um na Faculdade de Direito, na região central da capital mineira, e um no campus Montes Claros, onde está instalado o Instituto de Ciências Agrárias (ICA).

      Restaurante Universitário do Instituto de Ciências Agrárias (Montes Claros)

      Restaurante Universitário do Instituto de Ciências Agrárias (Montes Claros)

       

      Restaurante Universitário - Setorial I

      Restaurante Universitário – Setorial I

       

      Restaurante Universitário - Setorial II

      Restaurante Universitário – Setorial II

    16. Como se dá o acesso dos estudantes aos RUs por nível de classificação?

      Os estudantes apresentam ao caixa dos RUs sua Carteira Única da UFMG. Os valores das refeições são cobrados com base na identificação automática. Para obter informações adicionais sobre os restaurantes universitários da UFMG, clique aqui.

    17. A assistência estudantil da UFMG desenvolve ações na área de saúde?

      Sim. O Programa Saúde do Estudante compreende atendimento médico, odontológico e psicológico, na perspectiva da prevenção de doenças e da promoção da saúde nos moldes da atenção primária do Sistema Único de Saúde (SUS). É destinado aos estudantes classificados socioeconomicamente nos níveis I, II e III.

    18. A assistência estudantil da UFMG desenvolve ações na área de estágio?

      Sim. A Pró-reitoria de Recursos Humanos, por meio da Fump, executa o Programa de Bolsa de Formação Profissional Complementar (BFPC). Os estudantes podem exercer atividades na sua área de formação em diversos departamentos e unidades da UFMG. Em contrapartida, recebem uma bolsa mensal, além de auxílio-transporte. Dessa forma, o estudante tem oportunidade de conciliar a vida acadêmica com uma atividade remunerada, o que contribui para a complementação de sua renda. De acordo com a oferta de vagas, é possível ao estudante classificado socioeconomicamente nos níveis I, II e III começar uma atividade já no início do seu curso.

    19. Mais Informações sobre a Fump

      Mais informações sobre a assistência estudantil da UFMG e sobre os programas executados pela Fump está em seu portal www.fump.ufmg.br.

  5. Reserva de Vagas
    1. Quais são os tipos de vagas reservadas na UFMG?

      Além das vagas de ampla concorrência, são oferecidas vagas em quatro modalidades de reserva:

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita igual ou inferior a 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas e deficientes.

      – Escola pública, renda familiar bruta mensal per capita maior que 1,5 salário mínimo, NÃO declarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas.

    2. Tenho dúvidas quanto à documentação necessária para comprovação de renda per capita inferior ou igual a 1,5 salário-mínimo. Onde posso consultar?

      Os documentos necessários para comprovação de renda familiar bruta mensal estão relacionados no anexo I do Edital Complementar SISU – UFMG 2018, conforme descrito abaixo:

      Comprovantes de renda do(a) candidato(a) e de todos os membros do seu grupo familiar:

      • Fotocópia completa de Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Física mais recente, das pessoas maiores de 21 anos que são obrigadas a fazê-la, de acordo com a legislação em vigor na Receita Federal. Endereço para consulta na Receita Federal).

      OBS: Aquele(s) que for(em) isento(s), deverão apresentar Declaração de Isento de IR, preenchida e assinada (Acesse aqui o Formulário).

      • Fotocópia da Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) das pessoas maiores de 18 anos: Fotocópia das páginas de identificação (foto e qualificação civil), da página do último Contrato de Trabalho e, quando necessário, da página em que seja comprovado o desemprego (aquela imediatamente posterior à do último Contrato de Trabalho).

      OBS: Quem não possui CTPS deve apresentar Declaração de Ausência de CTPS (Acesse aqui o Formulário).

      • Comprovantes de rendimentos mensais – de acordo com a situação de trabalho de cada pessoa do grupo familiar do(a) candidato(a):

      • Quem trabalha com vínculo empregatício ou é funcionário público deverá apresentar fotocópia do contracheque ou de declaração do empregador, na qual constem o cargo e o salário mensal, no mínimo, dos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      • Quem é autônomo ou profissional liberal deverá apresentar fotocópia do Recibo de Pagamento a Autônomos (RPA) ou Declaração Comprobatória de Percepção de Rendimentos (DECORE), no mínimo, dos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      • Quem é proprietário de microempresa deverá apresentar fotocópia da Declaração de Imposto de Renda de Pessoa Jurídica e fotocópia do Recibo de Retirada Pró-labore, no mínimo, dos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      • Quem é aposentado ou pensionista do INSS ou recebe Benefício de Prestação Continuada (BPC) deverá apresentar fotocópia do Extrato de Pagamento do benefício recebido mensalmente desse Instituto. Para obter esse extrato, o(a) interessado(a) deverá acessar o endereço eletrônico da Previdência Social.

      • Quem é beneficiário de Fundo de Previdência Privada deverá apresentar os comprovantes de rendimento, no mínimo, dos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      • Quem é taxista deverá apresentar Declaração de Sindicato ou de Cooperativa de Taxistas, em que conste o valor auferido, no mínimo, nos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      • Quem tem renda proveniente de aluguel(éis) ou de arrendamento(s) de imóvel(eis) deverá apresentar fotocópia do(s) respectivo(s) contrato(s), em que conste o valor do pagamento recebido mensalmente.

      • Quem é proprietário ou produtor rural deverá apresentar fotocópia da Declaração de Imposto Territorial Rural ou a última Declaração de Renda de Atividades Rurais que comprovem a condição de proprietário de imóvel rural e o exercício de atividades rurais.

      • Quem é beneficiário dos Programas Sociais de Transferência de Renda (Bolsa Escola, Bolsa Família e outros) deverá apresentar fotocópia do comprovante de recebimento do benefício.

      • Quem recebe pensão alimentícia deverá apresentar fotocópia do comprovante de pagamento da pensão, no mínimo, nos três meses anteriores à data de inscrição do(a) candidato(a) no Sisu/UFMG 2018.

      OBS: Em caso de recebimento extrajudicial, deve ser apresentada a Declaração de Recebimento de Pensão Alimentícia, preenchida e assinada. (Acesse aqui o Formulário).

      • Quem não possui rendimentos deve apresentar declaração de ausência de rendimentos, em que conste a situação de renda e trabalho, datada e assinada.

      Documentação complementar que pode ser requisitada no momento do registro e matrícula presenciais:

      – Fotocópia de Certidão de Óbito, se for o caso;
      – Fotocópia de Arrolamento dos bens de Inventário, se for o caso;
      – Fotocópia de Sentença de Separação/Divórcio e do respectivo Formal de Partilha, se for o caso;
      – Outros relacionados no anexo II da Portaria Normativa n° 18 de 11 de outubro de 2012 do Ministério da Educação (MEC).

      IMPORTANTE: As fotocópias dos documentos comprobatórios NÃO serão devolvidas.

    3. Tenho dúvida de como calcular a renda familiar bruta mensal. Como faço este cálculo?

      De acordo com a Portaria Normativa nº 18/2012, a renda familiar bruta mensal deve ser calculada da seguinte forma:

      • Calcula-se a soma dos rendimentos brutos auferidos por todas as pessoas da família a que pertence o estudante, levando-se em conta, no mínimo, os três meses anteriores à data de inscrição do(a) estudante no processo seletivo da instituição federal de ensino;

      • Calcula-se a média mensal dos rendimentos brutos apurados após a aplicação do disposto no inciso I do caput;

      • Divide-se o valor apurado após a aplicação do disposto no inciso II do caput pelo número de pessoas da família do estudante. No cálculo referido no inciso I do caput serão computados os rendimentos de qualquer natureza percebidos pelas pessoas da família, a título regular ou eventual, inclusive aqueles provenientes de locação ou de arrendamento de bens móveis e imóveis.

      Estão excluídos do cálculo:

      • Os valores percebidos a título de:

      – auxílios para alimentação e transporte;
      – diárias e reembolsos de despesas;
      – adiantamentos e antecipações;
      – estornos e compensações referentes a períodos anteriores;
      – indenizações decorrentes de contratos de seguros;
      – indenizações por danos materiais e morais por força de decisão judicial.

      • Os rendimentos percebidos no âmbito dos seguintes programas:

      – Programa de Erradicação do Trabalho Infantil;
      – Programa Agente Jovem de Desenvolvimento Social e Humano;
      – Programa Bolsa Família e os programas remanescentes nele unificados;
      – Programa Nacional de Inclusão do Jovem – Pró-Jovem;
      – Auxílio Emergencial Financeiro e outros programas de transferência de renda destinados à população atingida por desastres, residente em Municípios em estado de calamidade pública ou situação de emergência;
      – demais programas de transferência condicionada de renda implementados por Estados, Distrito Federal ou Municípios.

      Atenção: é de inteira responsabilidade do(a) candidato(a) certificar-se de que atende aos requisitos exigidos para concorrer a uma vaga reservada de acordo com a Lei nº 12.711/2012 e de que possui os documentos que serão exigidos pela instituição no momento da matrícula.

    4. Quem posso considerar como parte do meu grupo familiar?

      De acordo com a Portaria Normativa nº 18/2012, família é a unidade nuclear composta por uma ou mais pessoas, eventualmente ampliada por outras pessoas que contribuam para o rendimento ou tenham as despesas atendidas por aquela unidade familiar, todas moradoras em um mesmo domicílio.

      Atenção: é de inteira responsabilidade do(a) candidato(a) certificar-se de que atende aos requisitos exigidos para concorrer a uma vaga reservada de acordo com a Lei nº 12.711/2012 e de que possui os documentos que serão exigidos pela instituição no momento da matrícula.

    5. O que acontece caso eu não consiga comprovar que atendo aos requisitos exigidos pela Lei nº 12.711/2012?

      O(a) candidato(a) selecionado(a) na modalidade de vagas reservadas terá seu Registro Acadêmico e Matrícula confirmados após a análise da documentação apresentada.
      Em caso de o(a) candidato(a) não apresentar documentos que comprovem fazer jus à vaga na UFMG, na modalidade de vagas reservadas para a qual foi classificado(a), este(a) terá seu registro acadêmico e matrícula cancelados e perderá o direito à vaga no curso para o qual foi selecionado(a).

      Atenção: é de inteira responsabilidade do(a) candidato(a) certificar-se de que atende aos requisitos exigidos para concorrer a uma vaga reservada de acordo com a Lei nº 12.711/2012 e de que possui os documentos que serão exigidos pela instituição no momento da matrícula.

    6. Quais formulários devem ser preenchidos para os candidatos com renda per capita inferior ou igual a 1,5 salário mínimo. Onde posso consultar?

      Os formulários estarão disponíveis nas instruções para o Registro Acadêmico e Matrícula que serão divulgados neste sítio.

    7. Como se dará a elegibilidade para as vagas reservadas às pessoas com deficiência?

      A comprovação da deficiência e, consequente elegibilidade para as vagas reservadas às pessoas com deficiência tomará por base os termos do Decreto no 3.298/99, Decreto nº 5296/04 e Lei nº 12.764/12.

      De acordo com o item 3.8 do Edital Complementar ao edital do processo seletivo para acesso aos cursos presenciais de graduação da UFMG em 2019, não poderão concorrer às vagas reservadas para pessoas com deficiência os candidatos que apresentem: deformidades estéticas; deficiências sensoriais que não impliquem impedimento ou restrição para o seu desempenho no processo de ensino-aprendizagem; transtornos específicos do desenvolvimento das habilidades escolares (CID10-F81); dislexia e outras disfunções simbólicas (CID-R48); transtornos hipercinéticos (CID10-F90); transtornos mentais e comportamentais (CID10-F00 – F99); ou mobilidade reduzida.

    8. Qual(ais) o(s) procedimento(s) necessário(s) para comprovação da condição de pessoa com deficiência?

      No momento do procedimento presencial obrigatório de apresentação de documentos para o registro acadêmico, o candidato deverá apresentar documentação específica e também se submeter a análise obrigatória feita por Banca de Verificação e Validação, designada pela Reitoria da UFMG para esta finalidade.

    9. Qual a documentação necessária para comprovação da condição de pessoa com deficiência?

      a. Autodeclaração de pessoa com deficiência. Clique aqui para acessar o formulário;
      b. Relatório Médico, informando tipo da deficiência, nos termos do art. 4º do Decreto nº 3.298/99 e Lei nº 12.764/2012, Decreto nº .296/2004, com expressa referência ao código correspondente da Classificação Internacional de Doença (CID) (Clique aqui para acessar o formulário);
      c. Exames complementares, tais como, audiometria, exame oftalmológico, exames de imagem.

      O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de reserva à pessoa com deficiência, que não apresentar a documentação descrita acima, nos termos do item 6.11 do Edital Complementar ao edital do processo seletivo para acesso aos cursos presenciais de graduação da UFMG em 2019, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    10. Além da documentação é necessário algum outro procedimento para comprovação da condição de pessoa com deficiência?

      Sim. No momento do procedimento presencial obrigatório, o candidato deverá se submeter a análise obrigatória feita por Banca de Verificação e Validação designada pela Reitoria da UFMG para esta finalidade.

      O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de reserva à pessoa com deficiência, que não tiver sua condição validada pela Banca, nos termos do item 6.10.2 do Edital Complementar ao edital do processo seletivo para acesso aos cursos presenciais de graduação da UFMG em 2019, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    11. Se eu não quiser me submeter ao procedimento da Banca de Verificação e Validação o que acontece?

      O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de reserva à pessoa com deficiência, que recusar-se a se submeter a avaliação da Banca de Verificação e Validação da UFMG, nos termos do item 6.10.7 do Edital Complementar ao edital do processo seletivo para acesso aos cursos presenciais de graduação da UFMG em 2019, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    12. O que acontece caso eu não consiga comprovar que atendo aos requisitos exigidos para ingresso via reserva de vagas para pessoa com deficiência?

      O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de reserva à pessoa com deficiência que não tiver comprovada sua deficiência no procedimento da Banca de Verificação e Validação realizada pela UFMG, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    13. Após o ingresso no curso, a UFMG tem algum órgão que ofereça suporte para os alunos com deficiência?

      Sim. A UFMG conta com o Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) que tem como responsabilidade propor, organizar, coordenar e executar ações que assegurem e garantam as condições de acessibilidade necessárias ao ingresso, à permanência, à plena participação e à autonomia das pessoas com deficiência no âmbito da instituição. O NAI tem por objetivo eliminar ou reduzir barreiras impulsionando o cumprimento dos requisitos legais de acessibilidade maximizando o desenvolvimento acadêmico, profissional e social do público com deficiência.

    14. Que tipo de suporte este núcleo oferece?

      Algumas das ações realizadas pelo NAI são: produção de material didático em diferentes formatos como braile, áudio, digital, ampliado etc.: tradução e interpretação de Libras-Língua Portuguesa e vice-versa; treinamento para uso dos dispositivos de tecnologia assistiva; confecção ou compra de equipamentos adaptados; proposição de plano educacional individualizado; monitorias específicas; avaliação das condições de acessibilidade física dos diferentes espaços institucionais; orientação aos professores.

    15. Como posso entrar em contato com o NAI?

      O NAI funciona no prédio do Centro de Atividades Didáticas-1 (CAD-1), sala 213, no período de 7:30 a 19h. E-mail: nai@ufmg.br

    16. Como se dará a reserva de vagas com critérios de cor/raça?

      A reserva de vagas para autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas tomará por base os critérios estabelecidos na Lei nº 12.711/12, regulamentada pelo Decreto 7.824/2012 e pelas instruções da Portaria Normativa nº 18/2012.

      De acordo com o item 3.1, c do Edital Complementar ao edital do processo seletivo para acesso aos cursos presenciais de graduação da UFMG em 2019, para concorrer na modalidade de vaga reservada com condição de cor/raça, candidatos que se autodeclararem negros (pretos ou pardos) ou indígenas poderão ter esta condição confirmada por procedimento de heteroidentificação, realizado por Comissão designada pela Reitoria da UFMG para tal fim, por meio do qual serão avaliados os caracteres fenotípicos dos candidatos para aferição da condição racial declarada. No caso de candidato que se autodeclarar indígena, o mesmo deverá ser reconhecido como membro legítimo de comunidade/etnia indígena com a qual mantém vínculos identitários, certificado por documentação expedida pelas lideranças do povo ou comunidade indígena da qual faz parte, conforme documentação prevista no Anexo I do Edital.

    17. Qual(ais) o(s) procedimento(s) necessário(s) para comprovação da condição de cor/raça?

      No momento do procedimento presencial obrigatório de apresentação de documentos para o registro acadêmico, o candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de vaga reservada aos autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas deverá apresentar autodeclaração constando descrição fundamentada acerca de seu pertencimento étnico-racial, em conformidade com o modelo disponível na página eletrônica. Para os candidatos autodeclarados indígenas será exigida uma declaração de sua respectiva comunidade sobre sua condição de pertencimento étnico, assinada por pelo menos 3 (três) lideranças reconhecidas. Além disso, o candidato que optou por concorrer na modalidade de vaga reservada aos autodeclarados negros (pretos ou pardos) ou indígenas também deverá se submeter à avaliação da Comissão Complementar à autodeclaração que realizará o procedimento de heteroidentificação para confirmação da condição racial declarada.

    18. O que é autodeclaração racial e étnica?

      Requisito inicial para a candidatura, a autodeclaração racial e étnica é o autoreconhecimento de pertencimento de pertencimento ao grupo de pessoas negras (pretas e pardas) ou indígenas. É feito no formulário de inscrição on-line, no qual o candidato manifesta opção pela cota racial, indicando a modalidade de vaga reservada que contemple sua autodeclaração.

    19. O que é Carta Consubstanciada ou a descrição fundamentada da autodeclaração?

      A carta consubstanciada é um instrumento que promove a reflexão sobre o pertencimento étnico-racial. Nela devem conter os motivos pelos quais o candidato se autodeclara negro (preto ou pardo) ou indígena. A carta deve ser redigida em formulário específico e entregue no momento do registro acadêmico presencial.

    20. O que faz a Comissão de heteroidentificação e quais são os critérios utilizados?

      Os candidatos que optarem pela modalidade de vaga reservada aos autodeclarados negros (pretos/pardos) terão a condição racial confirmada por meio de procedimento de heteroindentificação, realizado por Comissão designada para tal fim.

      Os critérios de aferição da condição racial considerarão o conjunto de características fenotípicas de pessoa negra (preta/parda), excluídas as considerações sobre ascendência. Isso significa que a Comissão levará em consideração as características físicas (cor da pele, tipo do cabelo, formato dos lábios, etc.) do próprio candidato e não de seus parentes (pai, mãe, tia, avó, etc).

      No caso de candidatos que se autodeclararem indígenas, uma declaração contendo a assinatura de três lideranças será solicitada para confirmar a condição declarada.

      Atenção: O procedimento de heteroidentificação será realizado obrigatoriamente com a presença do candidato que deverá comparecer pessoalmente no dia designado para entrega de documentos, durante o registro acadêmico.

    21. O que acontece caso a Comissão complementar à autodeclaração não confirmar a condição racial declarada?

      Em caso de não confirmação da autodeclaração, o candidato poderá formular recurso e será submetido a outro procedimento de heteroidentificação, em que serão novamente avaliados os caracteres fenotípicos do candidato por Comissão composta por integrantes distintos daqueles que a fizeram na primeira avaliação.

    22. Se eu não quiser me submeter ao procedimento da Comissão de heteroidentificação o que acontece?

      A confirmação da autodeclaração pela Comissão instituída pela UFMG é condição obrigatória para efetivação da matrícula. O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade reservada à pessoa negra (preta/parda) e que não comparecer perante a Comissão no dia, horário e local estabelecidos na Convocação ou que recusar a se submeter à confirmação da autodeclaração pela Comissão ou que não tiver confirmada a condição racial de pessoa negra (preta/parda) pela maioria dos membros da Comissão, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    23. O que acontece caso eu não consiga comprovar que atendo aos requisitos exigidos para ingresso via reserva de vagas na condição de raça/cor?

      O candidato que optou por concorrer a uma vaga na modalidade de reserva com condição de raça/cor que não tiver confirmada a condição racial de pessoa negra (preta/parda) pela maioria dos membros da Comissão, terá seu registro acadêmico cancelado, perdendo o direito à vaga no curso para o qual foi classificado.

    24. O que acontece se for constatada inverdade ou fraude para concorrer a uma vaga na modalidade de reserva com condição de raça/cor?

      Na hipótese de se comprovar fraude, prestação de informação falsa ou apresentação de documentação inidônea, apurado em qualquer tempo, ainda que posteriormente a matrícula, em procedimento que assegure o contraditório e ampla defesa, inclusive nas situações cujas autodeclarações não forem confirmadas em procedimentos de heteroidentificação, independentemente da alegação de boa-fé, o candidato envolvido será eliminado do processo seletivo e perderá, consequentemente, o direito a vaga conquistada e a quaisquer direitos dela decorrentes, independentemente das ações legais cabíveis.

  6. Calendário Acadêmico