Data: 14 de setembro

Hora: 19h3

Local: Canal Cultura UFMG no YouTube

Embora sejam protagonistas das mais importantes festividades que existem no país, os povos originais e os povos africanos são institucionalmente invisibilizados na cultura brasileira. Na palestra, Nêgo Bispo resgata a forma como esses povos foram tratados no Brasil desde o início do colonialismo até a Constituição de 1988.

Nêgo Bispo Nascido na comunidade de Pequizeiro, no vale do Rio Berlengas (Piauí), atualmente vive na comunidade Quilombola Saco Curtume, no município de São João do Piauí. É quilombola, lavrador, formado por mestras e mestres de ofício. Relator de saberes dos povos e comunidades contracolonialistas, utilizando-se da oralidade e da escrita. Atua como membro da Coordenação Estadual das Comunidades Quilombolas no Estado do Piauí.

Duração: 1h
Transmissão ao vivo pelo youtube.com/culturaufmg

*Essa atividade é gratuita, aberta a todos e oferece certificado. Caso queira receber o certificado, inscreva-se em sympla.com/festivaldeinvernoufmg