Circuito Cartografia Histórica

Agendamento temporariamente fechado.

O Circuito Cartografia Histórica tem como objetivo revelar histórias envolvendo a ocupação e a formação de territórios por meio da análise de documentos cartográficos antigos. Neste contexto, interessados em participar de visitas mediadas envolvendo esse circuito deverão optar por uma das mediações indicadas abaixo, informando-a no formulário Fazer Agendamento, que se encontra em Ações Educativas – Circuito Cartografia Histórica.

Opção 1: A formação territorial de Minas Gerais por meio da Cartografia História
No início do século XVII a colonização da América Portuguesa se restringia ao seu litoral. Tal situação foi modificada com a descoberta de metais preciosos, em especial o ouro, no interior desse território, inicialmente conhecido como o das minas. A partir disso, deu-se início a uma formação espacial marcada por especificidades que resultou no Estado de Minas Gerais como hoje o conhecemos. Uma visita aos mapas históricos pode ser muito importante para se entender como se deu o processo de formação desse território.

Opção 2: Vilas e cidades
A descoberta de ouro ao final do século dezessete nos desertões de sua maior colônia fez com que a Coroa Portuguesa não tardasse para impor o seu domínio na região que mais tarde ficou conhecida como Minas Gerais. Uma das principais formas de implementação de tal domínio foi por meio de uma organização político-territorial importada da metrópole, em que as povoações mineiras possuíam funções administrativas – civis e eclesiásticas – para, teoricamente, servirem aos interesses reais. Essa forma de organização produziu uma hierarquização entre os núcleos urbanos mineiros, a qual foi responsável por diversas disputas de interesses entre eles ao longo dos séculos XVIII e XIX. Por meio de uma mediação envolvendo a análise de documentos cartográficos serão abordadas histórias envolvendo a formação e o desenvolvimento de importantes núcleos históricos, representados pelas atuais cidades de Mariana, Ouro Preto, Serro, Diamantina e Belo Horizonte.

Opção 3: História da Cartografia
A produção de mapas data desde épocas remotas e esses sempre foram essenciais para a sobrevivência dos seres humanos. A evolução desta ciência possibilitou feitos extraordinários para a humanidade e ainda os possibilita. A partir disso, a análise de tais representações ao longo da história permite a compreensão das perspectivas de mundo de diversas culturas antepassadas, a compreensão de fatos históricos, além de permitir a visualização dos avanços e da evolução dessa ciência, os quais possibilitaram os seus usos e as suas aplicações na atualidade.

Público alvo

Grupos de estudantes do ensino básico e outros não escolares, como 3ª idade, grupo de jovens, funcionários de empresa, etc.

Faixa etária

A partir de 11 anos

Condições

A realização do circuito é feita mediante agendamento e pagamento de taxa de entrada. O atraso na chegada ao Museu (horário combinado no agendamento) poderá implicar em modificações nas atividades do circuito. Essas modificações serão definidas pelo setor responsável quando da chegada da escola ou grupo de visitantes.
O circuito é mediado por estudante da graduação da UFMG e é muito importante que as escolas e grupos sigam totalmente as instruções repassadas por esse.

Número de participantes por turno

10 a 30 visitantes

Duração

1h30

Local

Cento de Referência em Cartografia Histórica da UFMG - Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG