Um nova hipótese integradora sobre especialização

Posted on Posted in Notícias

Conheçam o novo paper escrito pelos nossos alunos Rafael Pinheiro (doutorado) e Gabriel Félix (mestrado), no qual eles propõe uma solução para um antigo debate teórico.

Trade-offs and resource breadth processes as drivers of performance and specificity in a host–parasite system: a new integrative hypothesis

Pinheiro R. B. P., Félix G. M. F., Chaves A. V., Lacorte G. A., Santos F. R., Braga E. M. & Mello M. A. R.

International Journal for Parasitology, 2016, DOI: http://dx.doi.org/10.1016/j.ijpara.2015.10.002

Quanto um parasito pode diversificar os hospedeiros que ele ataca, sem comprometer demais seu desempenho em cada um deles? Duas hipóteses clássicas têm sido usadas há décadas para tentar resolver essa questão, sendo que elas levam a predições opostas e, portanto, são consideradas mutuamente exclusivas. Neste artigo nós propomos a Hipótese Integradora da Especialização de Parasitos, a qual é baseada em três pressupostos: (i) os trade-offs no desempenho de parasitos são maiores, quanto maior a distância filogenética entre as espécies de hospedeiros; (ii) os processos de amplitude de nicho atuam com maior intensidade no desempenho de parasitos em espécies hospedeiras próximas; (iii) na maioria dos sistemas naturais, a dissimilaridade entre espécies de hospedeiros é descontínua, formando subgrupos. Concluímos que a especialização de parasitos é dirigida por um balanço entre os custos dos trade-offs e os benefícios dos processos de amplitude de nicho. Assim, as unidades principais de especialização não são as espécies hospedeiras, mas sim agrupamentos de espécies semelhantes dentro dos quais os processos de amplitude de nicho são intensos e entre os quais os trade-offs prevalecem. O poder explicativo da nossa hipótese pode ser estendido até mesmo para outras contradições aparentes, como a relação entre aninhamento e modularidade em redes ecológicas.

*Matéria escrita por Rafael B. P. Pinheiro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *