UFMG possui infraestrutura física adequada para abrigar eventos de grande porte

 

POR EWERTON MARTINS RIBEIRO*

 

A UFMG tem tradição de sediar com sucesso grandes eventos acadêmicos que promovem debate sobre o desenvolvimento da educação e da ciência do Brasil e de países parceiros. Um exemplo foi o 23º Encontro da Associação das Universidades de Língua Portuguesa (Aulp), realizado em 2013 na Universidade.

O Encontro da entidade reuniu, no campus Pampulha, cerca de 400 autoridades governamentais na área de educação. Participaram ministros e reitores de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor Leste, além de pesquisadores das mais diversas áreas, em três dias de evento. Ao final, a entidade então presidida pelo professor Jorge Ferrão, de Moçambique, destacou “a forma calorosa como todas as universidades e outras instituições de ensino superior foram recebidas” na UFMG e “a generosidade das condições logísticas proporcionadas”.

Ao mesmo tempo que se faz estratégica para subsidiar um evento com tantas autoridades, a estrutura da Universidade faz-se igualmente eficiente quando o objetivo é reunir um expressivo número de estudantes. É o caso da Mostra das Profissões que a Universidade realiza, desde 2004, com foco nos futuros universitários brasileiros. Em um único fim de semana de 2016, por exemplo, a Universidade recebeu, em sua sede na Pampulha, mais de 30 mil alunos do ensino médio.

Atividade da Mostra de Profissões em auditório da Engenharia, com capacidade para 400 lugares. Foto: Foca Lisboa/ UFMG

Vocação

Depois de vários anos de itinerância pelo interior de Minas Gerais, em cidades como Ouro Preto, Diamantina, Tiradentes e Poços de Caldas, o tradicional Festival de Inverno voltou a ser realizado em Belo Horizonte em 2014. Em 2016, o evento, organizado pela Diretoria de Ação Cultural (DAC), ocorre de 15 a 23 de julho, com atividades no campus Pampulha, em outros ambientes da UFMG na capital mineira – como o Centro Cultural e o Conservatório – e em espaços emblemáticos da cidade, como as praças da Liberdade e Duque de Caxias e o Parque Municipal.

Depois de vários anos de itinerância pelo interior de Minas Gerais, em cidades como Ouro Preto, Diamantina, Tiradentes e Poços de Caldas, o tradicional Festival de Inverno voltou a ser realizado em Belo Horizonte em 2014. Em 2016, o evento, organizado pela Diretoria de Ação Cultural (DAC), ocorreu de 15 a 23 de julho, com atividades no campus Pampulha, em outros ambientes da UFMG na capital mineira – como o Centro Cultural e o Conservatório – e em espaços emblemáticos da cidade, como o Parque Municipal e as praças da Liberdade e Duque de Caxias.

Outra evidência da vocação da UFMG para a realização de grandes eventos é a Semana do Conhecimento, que, em 2016, possibilitou que mais de três mil trabalhos vinculados ao ensino, à pesquisa e à extensão fossem apresentados por estudantes da graduação e da pós-graduação.

Eventos como esses têm sua visibilidade potencializada por transmissão ao vivo via internet, recurso disponibilizado pela área de tecnologia da informação e pela estrutura de comunicação da Universidade. O Centro de Comunicação (Cedecom) da UFMG é responsável, por exemplo, pela produção do BOLETIM – uma das mais tradicionais publicações jornalísticas editadas em universidades brasileiras, com 42 anos de circulação –, pela TV UFMG e pela Rádio UFMG Educativa.

Centralização

Um grande diferencial da Universidade é a sua capacidade de reunir em uma só localidade – o campus Pampulha – a maioria de suas instalações, o que possibilita a centralização de atividades. Além de se localizar estrategicamente no mapa de Belo Horizonte, o principal campus da UFMG conta com quase 700 mil metros quadrados de área construída em um território que soma nove milhões de metros quadrados, constituindo-se em ambiente que abriga uma das maiores áreas verdes da capital mineira.

No campus Pampulha, são 21 restaurantes e 70 auditórios, que totalizam mais de 11 mil lugares – a maioria dotada de infraestrutura audiovisual e de sonorização. Nesse cenário, destacam-se o auditório da Reitoria, com 270 lugares, o auditório principal da Engenharia, com 400 lugares, e o auditório principal do Centro de Atividades Didáticas 1 (CAD1), que dispõe de 640 lugares.

Todos esses prédios ficam no entorno da Praça de Serviços, na área central do campus, onde também estão localizadas agências bancárias, livraria, copiadora, farmácia e o maior restaurante e lanchonete do campus. A Praça de Serviços ainda conta com arena multiuso capaz de receber 800 pessoas.

Essas facilidades têm tornado a Universidade um local estratégico para a realização de eventos de grande porte, nacionais e internacionais, como o encontro da Aulp, que demandou infraestrutura capaz de atender a um número expressivo de autoridades, e a Mostra das Profissões, que demanda, todos os anos, atendimento de milhares de pessoas simultaneamente.

Outros campi

Em Belo Horizonte, a UFMG também conta com o campus Saúde – onde estão concentrados cursos da área médica e o Hospital das Clínicas – e com diversos equipamentos culturais e de lazer, como o Centro Cultural e o Conservatório UFMG, na região central, o Espaço do Conhecimento, na Praça da Liberdade, e o Museu de História Natural e Jardim Botânico, no bairro Santa Inês.

Fora da capital, a UFMG mantém o campus Montes Claros, a 350 quilômetros, sede de cursos na área agrícola, e o campus cultural de Tiradentes (distante 190 quilômetros), o primeiro do gênero no país. Ele abriga biblioteca especializada no século 18, museu de arte sacra e centro de experimentação para produção de conteúdos culturais e didáticos multimidiáticos.

Equipamentos culturais e de lazer

Centro Esportivo Universitário (CEU)

Ocupa área de 176 mil metros quadrados na região da Pampulha. Está equipado com piscinas olímpica (em reforma) e semiolímpica, quadras poliesportivas, áreas de lazer, cantina e espaço de diversão para crianças. Oferece cursos de tênis, tai chi chuan e kung fu e abriga as instalações do Centro de Treinamento Esportivo (CTE), que sediou a preparação das equipes olímpica e paralímpica da Grã-Bretanha para as Olimpíadas de 2016, disputadas no Rio de Janeiro.

Centro Cultural UFMG

Espaço de produção e difusão cultural, oferece oficinas, cursos, teatro, cinema, exposições e encontros. Conta também com projetos permanentes, como o Museu Vivo Memória Gráfica, que se dedica à preservação de técnicas de produção do livro. O Centro Cultural está localizado na Avenida Santos Dumont, 174.

Conservatório UFMG

Sedia apresentações de música erudita e eventos acadêmicos, culturais e empresariais. Conta com praça coberta e espaço de convivência.

Espaço do Conhecimento UFMG

Museu integrante do Circuito Cultural Praça da Liberdade, com planetário e terraço astronômico, recebe exposições permanentes e temporárias e eventos culturais regulares nos mais diferentes formatos, como palestras, cursos e oficinas.

Museu de Ciências Morfológicas

Reúne acervo de peças anatômicas, esculturas em gesso e resina, fotomicrografias de células e tecidos, embriões e fetos em diferentes estágios de desenvolvimento. Mantém exposições didático-científicas permanentes.

Estação Ecológica

Em 114 hectares preservados dentro do campus Pampulha, concentra flora com várias espécies nativas e exóticas. A área é o habitat de mamíferos, anfíbios, répteis e de 150 aves.

Museu de História Natural e Jardim Botânico

Reúne descobertas em arqueologia histórica e pré-histórica, botânica, mineralogia e plantas medicinais. O espaço abriga exuberante mata com trilhas, nascentes e importantes espécies da fauna e da flora brasileiras.

Observatório Astronômico Frei Rosário

Localizado no topo da Serra da Piedade, a menos de 30 quilômetros de Belo Horizonte, possui modernos telescópios profissionais e amadores para a observação de corpos celestes.

 

*Reportagem originalmente publicada na edição “Especial SBPC (3ª edição) – Ano 43 – março de 2017” do Boletim UFMG

Mais Notícias
Reitores da UFMG e PUC Minas divulgam carta aberta sobre atual momento político
  • 19 maio 2017
  • 0
Os abalos que assolam a vida política e social no Brasil, “seguidos e cada vez mais preocupantes”, que levam “à sensação de que a corrupção...
Papel da ciência na preservação do patrimônio cultural é tema de conferência
  • 23 jun 2017
  • 0
Uma das cerca de 70 conferências previstas na programação da 69ª Reunião Anual da SBPC, que será realizada de 16 a 22 de julho, no...
Conferência de abertura da SBPC Educação, por Fernando Haddad
  • 17 jul 2017
  • 0
O ex-ministro da Educação Fernando Haddad, professor da Universidade de São Paulo, proferiu a conferência de abertura da SBPC Educação, realizada nos dias 6 e...