Resistência: Festival de Inverno comemora 50 anos de fundação
  • 28
  • 07
Cartazes Festival de Inverno da UFMG

Neste ano, com sua 49ª edição, o Festival de Inverno da UFMG comemora os 50 anos de sua fundação. Os únicos dois anos em que o evento não ocorreu foram 1980 e 1984, por motivos conjunturais.

O evento estreou em 1967, em Ouro Preto. Em seguida, cumpriu temporadas em Diamantina, São João del-Rei, Poços de Caldas e Belo Horizonte, antes de desembarcar definitivamente na capital mineira, em 2014. “O Festival de Inverno da UFMG é o mais longevo do país. Ele também se destaca por ser financiado pelo próprio plano orçamentário da Universidade”, conta a professora Leda Maria Martins, diretora de Ação Cultural. A DAC é a responsável na UFMG pela organização do Festival.

Leda lembra que, mesmo quando contou com patrocínio externo, o evento conseguiu manter sua independência curatorial, não se submetendo aos ditames do mercado da cultura e à sua tendência ao espetaculoso. “O Festival de Inverno da UFMG é um evento não apenas de criação artística, mas também de experimentação e de formação. Na Universidade, ele é considerado uma atividade acadêmica”, explica a diretora.

Em razão do marco comemorativo, a coordenação e a curadoria buscaram para esta edição um tema que representasse uma marca permanente do Festival – daí a escolha do mote Criação e resistência: poéticas da transformação. “Estamos falando da resistência a todas as intempéries por que o Festival passou, desde a falta de dinheiro até a opressão da ditadura”, explica a professora Mônica Medeiros Ribeiro, coordenadora geral desta edição do evento.

Por causa dessa temática, toda a programação do Festival está de alguma forma atravessada pela reflexão sobre o caráter político da arte, ou melhor, sobre o processo e a ação artística como processo e ação de resistência política.

Do mesmo modo, a curadoria se esforçou para incluir na programação representações dos grupos que nasceram no âmbito do Festival, como Galpão, Uakti e Oficcina Multimédia. A programação do 49º Festival de Inverno da UFMG pode ser consultada no site do evento.

Paulo Santos, ex-Uakti, vai ministrar oficina ‘Objetos sonoros e composição’. Foto: Divulgação

Paulo Santos, ex-Uakti, vai ministrar oficina ‘Objetos sonoros e composição’. Foto: Divulgação

Frutos acadêmicos

Ao menos duas teses já foram escritas na UFMG tendo o Festival de Inverno da Universidade como tema; ambas estão disponíveis para consulta na Biblioteca Digital de Teses e Dissertações da UFMG.

Em 2011, Fabrício Fernandino defendeu, na Escola de Belas Artes, o trabalho 20 anos do Festival de Inverno da Universidade Federal de Minas Gerais: 1967 a 1986. Antes, em 2007, Guilherme Paoliello já havia defendido o trabalho A circulação da linguagem musical: o caso da fundação de educação artística (FEA-MG), na Faculdade de Educação.

Na sua tese, Paoliello discute a circulação da linguagem musical – seja via escolarização, seja via produção cultural – no Festival, considerando também as suas duas primeiras décadas, período em que o Festival se consolidou como evento que coaduna ensino, pesquisa e extensão.

Mais Notícias
Para o ativista, escolas e universidades devem usar softwares proprietários apenas em processos de engenharia reversa. Foto: Ranjith Siji / CC BY-SA 4.0
  • 25 maio 2017
  • 0
Para o ativista, escolas e universidades devem usar softwares proprietários apenas em processos de engenharia reversa. Foto: Ranjith Siji / CC BY-SA 4.0   O ativista...
Frame de reportagem da TV UFMG
  • 3 abr 2017
  • 0
Os 50 anos de criação da Revista Literária da UFMG foram comemorados na noite desta quinta-feira, dia 30, na Faculdade de Letras, com o lançamento...
Abertura da 49ª Reunião da SBPC, em 13 de julho de 1997, na Serraria Souza Pinto. Em 2017, é a quinta vez em que a UFMG sedia a SBPC. Foto: Marcos Alvarenga. Acervo  Cedecom/UFMG
  • 17 jul 2017
  • 0
Abertura da 49ª Reunião da SBPC, em 13 de julho de 1997, na Serraria Souza Pinto. Em 2017, é a quinta vez em que a...