Ao se tornar signatária da Magna Charta Universitatum, UFMG reafirma compromisso com a educação como bem público
  • 24
  • 10
Reitor Jaime Ramírez reafirma o compromisso da UFMG com a educação como bem público, servindo aos propósitos do desenvolvimento do país

A Universidade Federal de Minas Gerais é uma das novas signatárias da Magna Charta Universitatum, documento que se tornou referência para os valores e princípios fundamentais das Universidades. A adesão confirmou-se na última sexta-feira, 21, nas comemorações do 28º aniversário da carta, durante evento anual pela realizado pela primeira vez fora da Europa, na Universidade de São Paulo (USP).

Todo ano, o Observatório Magna Charta Universitatum organiza um encontro para identificar desafios atuais do setor, reiterando os valores fundamentais das instituições de ensino superior. Neste ano o tema foi “Reduzindo as Desigualdades Sociais: O Papel das Universidades” . Na condição de novo signatário da carta, o reitor da UFMG, Jaime Arturo Ramírez, participou da mesa “A universidade em 2038: o que esperamos?”, que promoveu uma reflexão sobre o que esperar das universidades no ano em que o Observatório Magna Charta Universitatum completa 50 anos.

“Em 1988, quando 388 reitores assinaram a carta, o desafio era construir um sistema mundial de excelência que fortalecesse as democracias. Tal meta continuará nos desafiando em 2038, acrescida da urgência de permitir o acesso de camadas desfavorecidas ao ensino superior gratuito e de qualidade.” Além disso, o reitor defendeu que “a educação é um bem público e deve servir aos propósitos de desenvolvimento dos países e não ao mercado.”

A finalidade do evento, realizado com a coordenação da Agência USP de Cooperação Acadêmica Nacional e Internacional, é responder aos desafios que essas instituições enfrentam e reforçar as capacidades das universidades de defender valores fundamentais em benefício de seus estudantes, da sociedade e da comunidade educacional como um todo.

Painéis sobre universidade cidadã e igualdade de gênero foram transmitidos ao vivo diretamente da Universidade de Bolonha, na Itália, onde o fórum foi criado. Também houve workshops sobre autonomia universitária, cooperação internacional e qualidade acadêmica.

O Observatório

A Universidade de Bolonha, na Itália, fundada em 1088, é considerada a universidade mais antiga do mundo ocidental. Em setembro de 1988, quando comemorou 900 anos de fundação, 388 reitores assinaram a Magna Charta Universitatum, documento diretivo sobre valores e princípios gerais das universidades. Atualmente, 802 líderes universitários de 85 países subscrevem o documento.

(Com assessoria de imprensa da USP)

Mais Notícias
Imagem: Foca Lisboa/ UFMG
  • 2 fev 2017
  • 0
Filho de um pedreiro com uma dona de casa, o aluno de Medicina Lucas Benício ingressou na UFMG por meio do sistema de cotas. Na...
Banner SBPC
  • 20 jun 2017
  • 0
Estudantes de baixa renda que contam com assistência estudantil da UFMG, por meio de política executada pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump), terão acesso gratuito...
Foto: Lucas Braga/ UFMG
  • 15 maio 2017
  • 0
O campus regional da UFMG em Montes Claros comemora 41 anos de fundação nesta segunda-feira, 15. Para celebrar a data, estão programadas homenagens, conferência no...