Centro de Microscopia comemora dez anos com a expectativa de ampliar número de usuários
  • 21
  • 11
Centro de Microscopia. Fotos: Marina Gontijo / UFMG

Inaugurado há dez anos, o Centro de Microscopia foi a primeira materialização, na UFMG, da concepção epistemológica segundo a qual grandes saltos na ciência seriam frutos da pesquisa transversal, afirmou o reitor Jaime Ramírez em solenidade realizada na semana passada.

Após breve cerimônia, que integrou a agenda de comemorações dos 90 anos da Universidade, os laboratórios do Centro permaneceram abertos à visitação de pesquisadores de todas as áreas do conhecimento na última sexta-feira, 18. Segundo o diretor, Wagner Rodrigues, a iniciativa teve o objetivo de divulgar a potencialidade de atendimento e ampliar o número de usuários.

Atualmente estão registrados como usuários 500 pesquisadores, 900 alunos de instituições de todo o país e 50 empresas, especialmente nas áreas de mineração e metalurgia, siderúrgicas, indústrias do setor de microeletrônica, de pesquisa e desenvolvimento de tecnologia, de transformação de bens de consumo, hospitais e laboratórios de análises.

Liderança

Jaime Ramírez destacou a liderança da reitora Ana Lúcia Gazzolla (gestão 2002-2006) na época de fundação do Centro e afirmou que a continuidade das boas ideias é traço institucional da UFMG, em referência aos gestores que nos anos seguintes também apoiaram a consolidação do projeto.

Wagner Rodrigues disse que o Centro é “um caso de sucesso, resultado do trabalho de muita gente, de uma equipe dedicada e apaixonada”.

Ronaldo Pena, reitor na gestão 2006-2010, comentou que a característica de inovação do Centro de Microscopia da UFMG não é o objeto de pesquisa, uma vez que abriga projetos de diversas áreas. “Aqui, a inovação se dá pelo interesse na nanodimensão, e nela há muito conhecimento a ser buscado”, enfatizou.

Para Clélio Campolina, reitor na gestão 2010-2014, projetos como o Centro de Microscopia têm a capacidade de “desequilibrar o sistema, no sentido de criar o novo, de promover efeito estruturante, do ponto de vista da ciência”.

Desafio

Ana Lúcia Gazzolla relembrou detalhes do período em que a UFMG se uniu em torno da criação do Centro de Microscopia. “Aprendi com o reitor Francisco César Sá Barreto, na gestão de quem fui vice-reitora, que há momentos em que a Universidade precisa aprender a abrir mão das demandas setoriais para construir coletivamente uma demanda que possibilite uma mudança de patamar. Essa talvez tenha sido a nossa contribuição”, disse.

Ela relembrou que o intuito era apresentar proposta única da Universidade em edital da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) que viabilizava a aquisição de grandes equipamentos: “Foi feito um trabalho para convencer as pessoas de que todos deveríamos abrir mão das legítimas necessidades setoriais e procurar um projeto que atendesse a todos e elevasse o patamar da capacidade instalada de pesquisa e desenvolvimento científico e tecnológico da UFMG e, portanto, do estado”.

Localizada no campus Pampulha, a unidade dispõe de infraestrutura de excelência em microscopia e microanálise, que abrange microscopia eletrônica de varredura e de transmissão, microscopia de feixe iônico, microscopias de varredura por sonda, microscopia de fluorescência, microanálise por fluorescência de raios-X e por perda de energia de elétrons.

Centro de Microscopia. Fotos: Marina Gontijo / UFMG

Painéis próximos aos laboratórios com informações sobre capacidade dos equipamentos. Foto: Marina Gontijo / UFMG

A relação detalhada de equipamentos encontra-se na internet. Leia mais sobre o Centro.

Mais Notícias
"Solenidade foi realizada em auditório do ICEx". Comemoração 40 anos do Departamento de Ciência da Computação (DCC). Foto: Foca Lisboa/ Cedecom UFMG
  • 6 dez 2016
  • 0
Seminário com palestras, painéis, premiações e eventos sociais encerra nesta semana um ano de comemorações pelas quatro décadas do Departamento de Ciência da Computação (DCC),...
Vista aérea do Campus Pampulha. Foto: Foca Lisboa
  • 24 ago 2017
  • 0
A décima edição do Domingo no campus, marcada para o dia 3 de setembro, das 8h às 13h, vai incluir uma corrida nas vias e...
Heinrich: edição dos originais de Marx e de sua correspondência. Foto: Divulgação
  • 24 maio 2017
  • 0
O matemático e cientista político alemão Michael Heinrich, da Universidade de Ciências Aplicadas de Berlim, um dos maiores conhecedores da obra de Karl Marx, fará...