Conferência sobre universidade no século 21 abre hoje congresso de metodologias de ensino
  • 13
  • 10
Reitoria da UFMG. Foto: Lucas Braga

Na conferência de abertura do 2º Congresso de inovação e metodologias de ensino, nesta quinta-feira, 13, às 19h, a professora Maria Manuela Franco Esteves, da Universidade de Lisboa, discutirá a perspectiva de formação de professores para o ensino superior e a universidade no século 21.

O evento, que prossegue no campus Pampulha até sábado, 15, é organizado pela Diretoria de Inovação e Metodologias de Ensino (GIZ), da Pró-reitoria de Graduação, e conta com duas atividades em parceria com o Instituto de Estudos Avançados Transdisciplinates (IEAT) – a palestra Inovação curricular no ensino superior, que será proferida pelo professor Marcos Masetto (PUC-SP), e a mesa-redonda Aprendizagem ativa: fundamentos, atravessamentos e experiências.

A palestra de Masetto, que antecede a abertura oficial, começa às 14h, no auditório nobre do Centro de Atividades Didáticas de Ciências Humanas (CAD 1), campus Pampulha, onde será realizada toda a programação.

Protagonismo

O 2º Congresso focaliza o tema O estudante como agente de mudanças em comunidade. “Com o aluno como protagonista, buscamos a melhoria contínua dos cursos de graduação”, explica o diretor do GIZ, professor Eucídio Pimenta Arruda.

Ele ressalta a importância dos temas que compõem a programação, como a inovação curricular, a aprendizagem ativa e a chamada gameficação, que consiste na incorporação de elementos dos games aos processos de ensino-aprendizagem. Saiba mais sobre o tema na reportagem da TV UFMG, no Facebook da TV.

“Também consideramos fundamental o encontro que teremos nesta sexta-feira com professores das licenciaturas, para discutir as perspectivas de reestruturação dos cursos”, comenta o diretor do GIZ, ao lembrar que os colegiados dessa modalidade devem aprovar, até o ano que vem, suas novas propostas curriculares internamente e encaminhá-las ao Conselho Nacional de Educação (CNE).

Segundo Eucídio Pimenta, os cursos de graduação passam atualmente por mudanças que vão além da reestruturação curricular: “Mudam as relações de poder, o perfil de egresso da Universidade, a forma como enxergamos a dinâmica da aula e da organização pedagógica dos nossos cursos”, pondera.

Embora as licenciaturas estejam na linha de frente dessa discussão, até mesmo para atender às diretrizes do CNE, os debates proporcionados na segunda edição do Congresso “trarão muitas contribuições para os demais cursos que porventura iniciem esse proposta de reestruturação curricular”, acredita Pimenta.

Além das palestras e mesas, o evento vai oferecer oficinas, apresentações de trabalhos, discussões e atividades culturais. A programação completa pode ser acessada neste site.

Colóquio

A parceria com o IEAT dá continuidade à série de eventos Colóquio Educação Superior, que tem como objetivo induzir a criação de ambientes e mecanismos que favoreçam o entrelaçamento do conhecimento e práticas, com a proposta de subsidiar reformas e melhorias no ensino superior.

De acordo com os organizadores, os debates, em todas as edições do Colóquio, têm “por guia a reflexão sobre a pertinência de uma abordagem interdisciplinar e transdisciplinar na graduação”.

Mais Notícias
'Teaser' resume série da TV UFMG sobre os 90 anos
  • 8 set 2017
  • 0
A série 90 anos de histórias, produzida pela TV UFMG, reuniu, nos últimos meses, depoimentos de pessoas que foram transformadas por suas experiências na UFMG,...
Artur Avila. Fotos de Foca Lisboa / UFMG
  • 16 mar 2017
  • 0
A matemática deve atingir toda a população, e seu valor deve ser reconhecido pela sociedade, afirmou, na tarde de hoje, em conferência no campus Pampulha,...
Reitor Jaime Ramírez reafirma o compromisso da UFMG com a educação como bem público, servindo aos propósitos do desenvolvimento do país
  • 24 out 2016
  • 0
A Universidade Federal de Minas Gerais é uma das novas signatárias da Magna Charta Universitatum, documento que se tornou referência para os valores e princípios...