Em sua 25ª edição, Semana do Conhecimento propõe reflexão sobre a relação entre a ciência e a sociedade, por Ana Rita Araújo*

Trabalhos selecionados pelos critérios de relevância acadêmica e institucional serão apresentados no campus Pampulha, na 25ª Semana do Conhecimento, que começa nesta segunda-feira, 17, às 9h, no auditório da Reitoria. Parte dos três mil trabalhos inscritos nesta edição foi levada a público na semana passada, em suas respectivas unidades acadêmicas, e os melhores serão premiados na sexta-feira, 21, a partir das 14h. Na abertura oficial, o tema do evento, Cultivar vidas: ciência e sociedade, será discutido por Renato Sérgio Maluf, coordenador do Centro de Referência em Segurança Alimentar e Nutricional da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, e pelo ex-ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias. As solenidades de abertura e de encerramento terão tradução para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Pró-Reitora de extensão, Benigna de Oliveira. Foto: Foca Lisboa/UFMG

Para a pró-reitora de Extensão, Benigna Maria de Oliveira [foto], responsável pela coordenação geral desta edição, embora a programação englobe mais de uma centena de iniciativas – palestras, debates, mesas, seminários, conferências, oficinas e atividades culturais –, “o ponto alto é a apresentação dos trabalhos, momento em que os estudantes sistematizam o conhecimento que produziram e o divulgam para a comunidade”. Ela também destaca que a temática da Semana “traz a ideia do ‘cultivar’ como oportunidade de reflexão sobre como deve ser a relação do conhecimento acadêmico e a sociedade: de diálogo, atenta à democratização do conhecimento na sua produção e difusão”.

Pela primeira vez, serão apresentados projetos selecionados pelo Núcleo de Acessibilidade e Inclusão (NAI) e mostra de iniciativas financiadas pela Pró-reitoria de Assuntos Estudantis (Prae), por meio de chamadas de Ações Afirmativas e de Apoio a Projetos Acadêmicos. Também como novidade, a Semana traz a Feira Agroecológica da UFMG, que vai expor, na Praça de Serviços, legumes, frutas, hortaliças, cosméticos e produtos de higiene pessoal sem agrotóxicos, com o intuito de fortalecer o comércio solidário e a sociobiodiversidade. Organizada pela Divisão de Gestão Ambiental (DGA), a feira, que será realizada no dia 20, das 10h às 19h, e no dia 21, das 10h às 15h,está conectada ao tema Ciência alimentando o Brasil, adotado pela Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, organizada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia Inovações e Comunicações.Também integra a Semana o Prêmio de Teses UFMG, que vai destacar pesquisas de doutorado defendidas em 2015.

Diversas unidades acadêmicas também idealizaram eventos próprios, como a Escola de Veterinária, as faculdades de Educação (FaE), de Filosofia e Ciências Humanas (Fafich) e de Letras (Fale). Com apoio da diretoria da Escola de Arquitetura, o grupo de alunos Cozinha Comum vai organizar a atividade Alimentos que curam, em dois momentos – o primeiro no dia 18, às 16h, na Arquitetura (Rua Paraíba, 697 – Funcionários), e o segundo no dia seguinte, no mesmo horário, no Bosque da Música, campus Pampulha. A intenção é dialogar com agricultoras que trabalham com plantas medicinais e preparar alimentos para compartilhar com o público. Serão distribuídas mudas de plantas.

A programação da Semana se estende ao Instituto de Ciências Agrárias, em Montes Claros, com conferências, palestras, minicursos e atividades culturais. Toda a programação do evento pode ser acompanhada pela página.

Sem igual

Para o pró-reitor de Graduação, Ricardo Takahashi, a Semana do Conhecimento tem importância peculiar para alunos de graduação, porque tende a ser a primeira oportunidade que eles têm de falar de maneira sistematizada sobre sua produção acadêmica. “A tarefa de expor publicamente resultados de projetos de cunho acadêmico é essencial para que o modo de ser da academia se organize e funcione consistentemente”, enfatiza. Enquanto professores com anos de carreira dispõem de inúmeras instâncias para tal prática, pondera Takahashi, o aluno de graduação tem a Semana do Conhecimento como porta de entrada para apresentar ao público seu trabalho, explicando fundamentos e resultados obtidos.”Esse evento tem importância renovada a cada ano, pois se constitui no primeiro momento na vida dos estudantes que passam pela UFMG”, ressalta.

A experiência é valiosa não apenas para os que vão se tornar pesquisadores. Segundo Takahashi, espera-se de um egresso da UFMG, de qualquer área, que desenvolva, ao longo de sua carreira, atividade baseada em reflexão constante sobre o que faz. “Por isso, eventos como a Semana sinalizam uma intenção formativa daquele que a Universidade gostaria que viesse a ser o perfil dos seus egressos, qualquer que seja seu destino profissional”, explica o pró-reitor de Graduação.

Dois terços dos quase três mil trabalhos acadêmicos inscritos na 25ª Semana são vinculados à Iniciação Científica, incluindo os do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC Jr.), formados por calouros do ensino médio. “Muitos trabalhos apresentados na Semana do Conhecimento geram artigos científicos, embora não seja esse o objetivo central, que é a formação. Mas isso mostra a evolução de nossa iniciação à pesquisa”, analisa o pró-reitor de Pesquisa, professor Ado Jorio de Vasconcelos.

Na área de extensão, foram apresentados cerca de 600 trabalhos, avaliados por bancas formadas por docentes da UFMG e representantes de instituições parceiras, como explica a pró-reitora de Extensão. “A participação de representantes de instituições parceiras tem o objetivo de intensificar o diálogo com outros setores da sociedade. Os avaliadores foram escolhidos em razão do seu envolvimento com políticas públicas”, explica Benigna de Oliveira.

De acordo com a pró-reitora de Recursos Humanos, Maria José Cabral Grillo, os trabalhos que serão apresentados e os temas em discussão na 6ª Jornada de Apresentação do Conhecimento Produzido pelos Técnico-administrativos em Educação (TAE) da UFMG traduzem “a complexidade do papel institucional do servidor TAE e suas interfaces com o conhecimento, eixo temático desta edição da Jornada”. Desse modo, o objetivo é intensificar o debate sobre a percepção do servidor técnico-administrativo “como aquele que dá suporte à produção do conhecimento e, ao mesmo tempo, produz conhecimento técnico-científico que se traduz em ferramentas auxiliares no desenvolvimento de suas atividades”. Os pôsteres serão expostos no hall do CAD 1, no dia 18, das 9h às 12h, e as apresentações orais ocorrerão no Auditório A 102 do CAD 2, também no dia 18, das 14h às 17h.

Teses em destaque

Em solenidade na noite desta quinta-feira, 20, no auditório da Reitoria, serão conhecidos os ganhadores do Grande Prêmio UFMG de Teses, escolhidos entre 44 trabalhos defendidos e aprovados em 2015 nos cursos de pós-graduação da Universidade. Concorrem 20 teses da área de Ciências Agrárias, Ciências Biológicas e Ciências da Saúde, oito de Ciências Exatas e da Terra e Engenharias e 16 de Ciências Humanas, Ciências Sociais Aplicadas e Linguística, Letras e Artes.

De acordo com a resolução que institui o prêmio, cada programa de pós-graduação indica sua melhor tese do período, e os trabalhos, avaliados por comissão ad hoc instituída pela Câmara de Pós-graduação, concorrem em duas categorias: o Prêmio UFMG e o Grande Prêmio UFMG de Teses, este entregue a três autores – um de cada grupo de áreas do conhecimento. A premiação é realizada anualmente, desde 2007, pela Pró-reitoria de Pós-graduação.

Céu, China e Minas

O Festival Fulldome, que o Espaço do Conhecimento UFMG promove de 18 a 23 de outuro, é uma das atrações culturais da Semana do Conhecimento. Em sessões diárias, às 16h, serão exibidos curtas-metragens premiados no Festival Domefest, realizado em maio passado na Colômbia, organizado pelo Planetário de Medellín. Seu diretor, Carlos Molina, vai participar de mesa-redonda que discutirá a produção fulldome, que proporciona a sensação de imersão de 180×360 graus. Esse tipo de formato é usado, sobretudo, para projeções em superfícies esféricas de planetários. A entrada é gratuita, mediante inscrição pela internet.

Também será exibido o documentário O céu como patrimônio, produzido pelo Espaço do Conhecimento UFMG. A edição do Café Controverso de sábado, 22, abordará o tema Ondas gravitacionais (leia mais nas páginas 2A e 2B).

No dia 19, às 19h, o auditório da Reitoria será palco de apresentação do grupo chinês Art Performance Group, formado por 24 alunos e professores da Universidade Normal de Shandong. Promovida pela Diretoria de Relações Internacionais e pelo Instituto Confúcio, a apresentação inclui dança, música e artes marciais.

Espetáculo Gerais de Minas, do Grupo Sarandeiros. Foto: Grupo Sarandeiros/Divulgação

Na sexta-feira, 21, a companhia de dança Sarandeiros, da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional, vai apresentar, às 12h30, na Praça de Serviços, o espetáculo Gerais de Minas. A apresentação traça panorama da cultura caipira e tradicional do estado, com coreografias inspiradas nas festas dos reisados e reinados. A companhia conta atualmente com 32 dançarinos.

 

*Reportagem publicada na edição 1961 do Boletim UFMG

Mais Notícias
Banner SBPC
  • 23 jun 2017
  • 0
Alunos de pós-graduação stricto sensu da UFMG que apresentarem justificativa comprovando necessidade terão acesso gratuito às atividades 69ª Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o...
Encontro na UFMG reuniu dirigentes de 41 instituições universitárias da região Sudeste. Foto: Arquivo Proex
  • 10 abr 2017
  • 0
Inserção de atividades de extensão nos currículos de graduação para fortalecer a formação técnica e cidadã dos estudantes, valorização dessa dimensão acadêmica em processos de...
Alicia Bardón, Waldo Albarracín, Jaime Ramírez, Roberto Markarian e Gerónimo Laviosa. Foto: Foca Lisboa / UFMG
  • 6 set 2017
  • 0
Influenciar a formulação de políticas públicas de impacto social é papel central das universidades públicas no contexto latino-americano, afirmaram reitores na sessão de encerramento do...