UFMG, 90: Inovação, diversidade, transformações
  • 17
  • 07
Selo 90 anos UFMG

POR JAIME RAMÍREZ* E SANDRA GOULART ALMEIDA**

Neste ano, ao celebrar 90 anos de existência, a UFMG mantém viva a memória do seu percurso e renova sua disposição de permanecer aberta a mudanças e, assim, continuar a executar, com a qualidade e relevância que lhe são constitutivas, o imprescindível papel de uma instituição pública comprometida com a formação de recursos humanos e a produção e difusão de conhecimento no campo científico, tecnológico, artístico e cultural.

Este é o momento propício para olharmos para a trajetória da UFMG e valorizarmos as contribuições das inúmeras gerações que fizeram e fazem parte da história da instituição. A Universidade é, por excelência, o resultado da participação e do trabalho de muitos, do encontro de gerações, olhares e perspectivas. Sendo de todos, como sua origem latina indica, não é de ninguém em particular. Cada um a seu modo colabora para a construção de um ideal de instituição pública, contribuindo para promover a coesão na multiplicidade, o respeito na diversidade, a tolerância na diferença. Nesse sentido, essas comemorações atestam a inequívoca tradição inovadora da UFMG no campo dos vários saberes e do conhecimento múltiplo. Nesses 90 anos de trajetória, devemos nos orgulhar de nossa excelência acadêmica, requisito insubstituível para todas as dimensões de nossa atuação, e do claro compromisso com a relevância acadêmica e com a sensibilidade social que marca a missão da UFMG.

É exatamente por entender o profundo significado dessa trajetória institucional que não podemos fazer de 2017 um mero momento de celebração do passado. O que construímos e conquistamos deve servir de combustível e inspiração para refletirmos sobre o nosso lugar no presente e sobre o futuro que nos aguarda. Precisamos compreender a celebração dos 90 anos da UFMG como uma oportunidade para a reflexão sobre qual é ou deve ser a missão institucional da universidade pública brasileira, que não pode se furtar ao debate e aos embates de seu tempo.

O que está em destaque é a nossa atuação incisiva como instituição pública que se vê compelida a se reinventar constantemente, a acolher o espírito inovador e a devolver à sociedade as necessárias transformações que almeja. O chamado que se apresenta é sobre a relação entre ciência – aqui concebida como produção de conhecimento em múltiplas áreas – e sociedade. É este, pois, o debate que se impõe com a realização da Reunião da SBPC, que integra as comemorações do aniversário da UFMG: conjugar a reflexão sobre a inovação, em seus vários matizes e em toda sua diversidade, para chegarmos às transformações que queremos e que alimentam nossas utopias.

A missão da SBPC é definida pela contribuição para o desenvolvimento científico e tecnológico do país, pela promoção e disseminação do conhecimento científico e pela defesa intransigente da educação, da ciência e da tecnologia. Os valores da SBPC se entrelaçam com os da UFMG, e isso está registrado nos vários momentos em que as histórias das duas instituições se uniram. Quatro reuniões da SBPC – 1965, 1975, 1985 e 1997 – já foram realizadas na UFMG. A ciência mineira e a UFMG, em especial, carregam a marca da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência, e a SBPC se nutriu, ao longo desses anos, das várias contribuições da comunidade da UFMG.

Receber a SBPC mais uma vez na UFMG, por ocasião de seus 90 anos, é um presente para todos. Um presente oportuno que nos permitirá refletir sobre o futuro que almejamos para a UFMG, para a SBPC e para a ciência e tecnologia em nosso país. Neste momento difícil da vida política da nação, é preciso estarmos atentos à defesa da universidade pública para que ela continue atuando decisivamente na construção de uma sociedade cada vez mais ética e democrática e, principalmente, mais inclusiva e equânime. Acima de tudo, faz-se necessária a defesa incondicional da educação pública e gratuita como fundamento para garantir a cidadania de todos e o investimento contínuo em ciência e tecnologia como instrumento de soberania nacional e transformação do país.

Diria Carlos Drummond de Andrade, um de nossos mais ilustres alunos: “São mitos de calendário tanto o ontem como o agora, e o teu aniversário é um nascer a toda hora”. Assim é, e deve ser, a UFMG, hoje e sempre: um contínuo nascer de ideias, projetos, realizações, inovações, transformações. Que a Reunião da SBPC seja muito bem-vinda mais uma vez à UFMG e que seja especialmente inspiradora para todos nós no enfrentamento dos desafios inquietantes que nos aguardam neste momento crítico que o país atravessa.

*Reitor da UFMG
**Vice-reitora da UFMG

 

Artigo originalmente publicado na edição nº 1985 – Ano 43 do Boletim UFMG, de 10/7/2017

Mais Notícias
Os peixeiros (1970), de Inimá de Paula, pertence à coleção Amigas da Cultura. Foto: Acervo artístico da UFMG / Editora C/Arte
  • 2 maio 2017
  • 0
por EWERTON MARTINS RIBEIRO*   Em exposição comemorativa dos 90 anos, que será aberta nesta quarta-feira, obras do acervo artístico da UFMG dialogam com produções...
Foto em destaque: Foca Lisboa/ UFMG
  • 21 jul 2017
  • 0
Reitores de diversas gestões da UFMG participaram, no início da tarde de hoje, 17, da Sessão Especial 90 anos da UFMG, evento que integra a...
Estudantes chegam ao prédio da Face, onde funciona o curso de Administração, o melhor do país na área. Foto: Foca Lisboa / UFMG
  • 20 set 2017
  • 0
Estudantes chegam ao prédio da Face, onde funciona o curso de Administração, o melhor do país na área. Foto: Foca Lisboa / UFMG   POR...