David Gomes, professor vinculado à Faculdade de Direito da UFMG, participa do programa Escala Docente da AUGM

David Gomes, professor vinculado ao Departamento de Direito do Trabalho e Introdução ao Estudo do Direito (DIT), da Faculdade de Direito da UFMG, participou do programa Escala Docente, cujo edital é divulgado anualmente pela Diretoria de Relações Internacionais e tem o objetivo de promover a mobilidade de docentes das universidades latino-americanas do Grupo Montevidéu (AUGM).

Em 2019, David escolheu a Universidad Nacional de Cuyo, em Mendoza, na Argentina, e explicou que sua principal  motivação pelo local escolhido foi essa instituição ter sido a do filósofo argentino Enrique Dussel antes do golpe militar, que o acabaria levando a radicar-se no México, onde ainda hoje vive e leciona.

Quanto à cidade, ele considerou Mendoza uma cidade muito agradável, com muitos cafés propícios ao desenvolvimento do trabalho intelectual, além de praças e parques. “Sendo uma das capitais mundiais do vinho, a cidade é extremamente bem preparada para o recebimento de turistas de todos os cantos, com fácil acesso à informação, alimentação e transporte: como cidade plana, aliás, as bicicletas públicas são uma excelente opção”, descreve David.

Em relação aos resultados, o professor considerou os frutos de sua mobilidade como excelentes, mencionando que  os textos-base de suas duas conferências serão publicados. O primeiro deles será publicado na Millcayac – Revista Digital de Ciencias Sociales, da própria UNCuyo, com o título “La Escuela de Frankfurt, el pensamiento decolonial y sus debilidades complementarias: hacia un universalismo desde el Sur”; o segundo, após ser ampliado e exposto novamente no IV Congresso Internacional de Direito Constitucional e Filosofia Política, realizado em novembro de 2019 na USP, será publicado em uma coletânea sobre direito e crítica aqui mesmo no Brasil, com o título “Constitucionalismo e dependência: para uma teoria da constituição como teoria da sociedade”.

Dentre os desdobramentos da mobilidade, houve também um convite dos professores Gonzalo Scivoletto e Carlos Cinca, da faculdade de direito da UNCuyo, para  escrever um capítulo neste ano destinado a integrar um livro, com autoras e autores de distintos países, sobre os desafios atuais ao Estado democrático de direito.

O professor se considera um entusiasta do Programa Escala Docente da Associação de Universidades do Grupo Montevidéu (AUGM) : “por meio dele, é possível estabelecer e fortalecer redes de pesquisa e diálogo entre intelectuais latino-americanos, numa relação simétrica que nem sempre ocorre quando se trata de parcerias com instituições europeias e norte-americanas. Esse contato mais intenso entre a intelectualidade latino-americana pode ter impactos de extrema relevância no desenvolvimento de pesquisas capazes de lidar adequadamente com problemas típicos de nossa região” , afirma.

Por fim ele relacionou sua experiência no programa Escala Docente com uma citação do próprio Enrique Dussel: “a existência de intelectuais na América Latina que guardem um compromisso com o desenvolvimento local é um fator imprescindível para as transformações de que a nossa América precisa”, complementa.

Os docentes da UFMG que ficaram interessados em se candidatar ao programa Escala Docente da AUGM devem ficar atentos ao site e redes sociais da DRI, bem como ler os editais anteriores para saber mais sobre os pré-requisitos e condições para fazer mobilidade em uma das universidades latino-americanas da Associação de Universidades Grupo Montevidéu.