UFMG lidera ranking de patentes no Brasil
  • 10
  • 08
Laboratório no Departamento de Física: além da área de biotecnologia, patentes são geradas em diversas unidades. Foto: Foca Lisboa/ UFMG

Laboratório no Departamento de Física: além da área de biotecnologia, patentes são geradas em diversas unidades. Foto: Foca Lisboa/ UFMG

 

A UFMG é a líder no ranking de instituições depositantes de patentes no Brasil em 2016, com 70 pedidos, segundo relatório divulgado pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). Em segundo lugar está a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), com 62 pedidos, seguida pela Universidade de São Paulo (USP), com 60 depósitos, e as universidades federais do Ceará (58) e do Paraná (53).

O Boletim Mensal de Propriedade Industrial do Instituto ressalta a presença preponderante das instituições de ensino e pesquisa, que ocupam as nove primeiras posições dos rankings de patentes de invenção e de modelos de utilidade. Também comenta que a UFMG já havia ocupado posições de destaque nos rankings anteriores, como em 2015, quando foi classificada em segundo lugar entre os depositantes nacionais e em primeiro lugar, se consideradas apenas as instituições de pesquisa.

De acordo com a Coordenadoria de Transferência e Inovação Tecnológica (CTIT), nos 70 depósitos contabilizados no Ranking dos Depositantes do INPI não estão relacionados os pedidos de patente nos quais a Universidade figura como cotitular, ou seja, depositados junto com outras instituições. Quando esses são somados, o número chega a 91. O recorde histórico da UFMG em inovação era de 56 depósitos em 2015.

Dos 91 pedidos depositados em 2016, 50% são da área de biotecnologia, confirmando outra marca da UFMG: a maior depositante de pedidos de patentes de biotecnologia no Brasil. São tecnologias como diagnóstico para dengue e para doença de chagas, prognóstico de câncer de ovário e composições antineoplásicas. Depois da biotecnologia, as áreas que mais depositaram patentes em 2016 foram engenharia, farmácia e química.

Desafio

Para além do desafio de gerar tecnologias por meio das pesquisas acadêmicas, está a transferência dessas invenções para o mercado, por meio da interação universidade-empresa.

Com o intuito de dar maior visibilidade às pesquisas, a CTIT, que agora completa 20 anos, lançou seu novo portal de inovação, a Vitrine Tecnológica, seção em que os interessados encontram as tecnologias da UFMG separadas por área. O resumo executivo e informações da invenção são disponibilizados em vídeos, no formato de pitches, com descrição do potencial e vantagens da tecnologia.

(Com Assessoria da CTIT)

Mais Notícias
Livro escrito pelas duas pesquisadoras vai nortear a conferência. Foto: Renato Parada
  • 14 set 2017
  • 0
Heloisa Starling (à esquerda) e Lilia Schwarcz vão ministrar conferência sobre história do Brasil. Foto: Renato Parada / divulgação   Palestras têm temas diversos, e...
CARTAZ_Jacques Godfroid
  • 19 jun 2017
  • 0
O conceito de saúde única, desenvolvido no início dos anos 2000, preconiza que a saúde das pessoas está conectada à saúde dos animais e a...
Sambistas da Velha Guarda da capital mineira cantarão seus sucessos em show na SBPC Cultural. Divulgação / Velha Guarda do Samba
  • 30 jun 2017
  • 0
Sambistas da Velha Guarda da capital mineira cantarão seus sucessos em show na SBPC Cultural. Divulgação / Velha Guarda do Samba   Durante a 69ª...