Chamada para o Programa de Mestrado Erasmus Tropimundo

Estão abertas, até dia 30 de novembro, as aplicações para bolsas de mobilidade internacional do programa TROPIMUNDO.

Trata-se do primeiro programa de mestrado internacional em Biodiversidade e Ecossistemas Tropicais, com duração de dois anos. O TROPIMUNDO permite que os estudantes permaneçam por um período nas florestas africana, asiática, amazônica ou caribenha a fim de aprimorarem conhecimentos em ecossistemas interconectados sob ameaça. Os estudantes estudarão ainda disciplinas básicas e especializadas na Bélgica, Itália, França e Guiana Francesa. O quarto semestre do programa será dedicado à dissertação.

Os bolsistas selecionados serão isentos das taxas eventualmente exigidas e despesas com mobilidade, além de receberem seguro total e auxílio para estadia.

Mais informações sobre o programa TROPIMUNDO e os procedimentos de inscrição aqui

Centro de Excelência Jean Monnet é inaugurado na UFMG

A cerimônia solene marcou a inauguração do centro de excelência Jean Monnet, colocando a UFMG como uma das únicas duas instituições brasileiras com essa honraria.

Na primeira semana de novembro deste ano, três dias de programação com reuniões e seminários marcaram a inauguração do Centro de Excelência Jean Monnet, de competência da União Europeia, que visa fomentar pesquisas, estudos e outras atividades acadêmicas que tenham como tema aspectos econômicos, políticos, sociais, culturais e jurídicos da UE.

Com uma solenidade realizada na Sala de Reuniões da Reitoria, no dia 6, que reuniu professores, dirigentes e convidados. Estavam presentes a reitora da UFMG, Sandra Goulart Almeida, a embaixadora do escritório do Itamaraty em Minas Gerais, Maria Auxiliadora Figueiredo, o diretor de Relações Internacionais, Aziz Tuffi Saliba, e a diretora do Centro de Estudos Europeus da UFMG, Jamile Bergamaschine Diz, que pontuou a importância do centro para a Universidade e as contribuições nas atividades de ensino, pesquisa e extensão sobre temas europeus na instituição.

No dia seguinte, 7, o seminário “Europa num mundo em transição”, realizado no auditório 2 da Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), apresentou à comunidade acadêmica os benefícios da instalação do centro. O público pôde acompanhar as considerações do Diretor-adjunto de Relações Internacionais, Prof. Dawisson Lopes, e dos convidados Dr. Ramses A. Wessel, co-diretor do Centro de Estudos Europeus da Universidade de Twente, Dr. Jorge Fontoura, ex-consultor do Senado Federal, Profa. Liliana Bertoni, membro da Secretaria do Parlamento do Mercosul (Parlasur), e Dr. Aline Beltrame, coordenadora do Módulo Jean Monnet Direito da Universidade Federal de Santa Catarina.

O seminário “Europa num mundo em transição” reuniu profissionais internacionais na Faculdade de Ciências Econômicas.

O encerramento da programação ocorreu na sexta-feira, 8, na Faculdade Direito da UFMG, com a reunião do grupo de pesquisa “Integração, Estado e Governança”.

Boletim UFMG

A inauguração do centro de excelência Jean Monnet foi destaque na edição 2.067 do Boletim UFMG. Confira aqui a matéria na íntegra.

(Fonte: Assessoria de Imprensa da UFMG)

Errata 01 referente ao Edital 09/2019 para seleção de bolsistas para a Secretaria de Gabinete e o Setor de Acolhimento

A Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) torna público esta Errata 01 referente ao Edital 009/2019 de Seleção para Bolsa, publicado em 14 de novembro de 2019.

A Errata altera o horário de expediente do bolsista selecionado para o Setor de Acolhimento, passando de 9h às 12h para 13h às 16h, de segunda a quinta-feira.

Serão selecionados, ao todo, dois candidatos, sendo um para atuar no Setor de Acolhimento e outro na Secretaria de Gabinete – ambos da DRI. O valor da bolsa é de R$400,00 para uma carga horária de 12 horas semanais.

Podem se inscrever estudantes de graduação matriculados nos cursos elencados no Edital e que cumpram com os pré-requisitos para as vagas.

Errata 01

Edital modificado pela Errata 01

Ficha de inscrição

DRI promove programação de abertura da Cátedra UNESCO-UFMG

Como parte das atividades previstas para o lançamento da Cátedra UNESCO-UFMG, será realizada na próxima sexta-feira, dia 22 de novembro, a palestra “Adormecimento da Razão no século das Luzes: utopias, distopias, massacres e temores apocalípticos”, ministrada pelo professor doutor José Eduardo Franco, diretor da Cátedra CIDH da Universidade de Lisboa.

O evento acontece no Auditório 4 da Faculdade de Ciências Econômicas (FACE), das 14h às 16h30. Aberta ao público, a atividade não exige inscrição prévia para participação.

Sobre a Cátedra UNESCO-UFMG

A Cátedra UNESCO-UFMG “Territorialidades e Humanidades: a Globalização das Luzes” tem um caráter transdisciplinar, envolvendo as ciências humanas, letras e outras áreas  do conhecimento. Além disso, ela procura estabelecer uma colaboração ativa com outras Cátedras UNESCO na área das Humanidades, principalmente com aquelas propostas no quadro da cooperação entre o Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Humanas (CIPSH) e a UNESCO.

Mais informações sobre a Cátedra aqui

Coordenador do Centro de Estudos Norte-Americanos (CENA) ministrará disciplina nos EUA

Prof. Dr. Aristóteles Goes-Neto, do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG e Coordenador do Centro de Estudos Norte-Americanos (Foto: Reprodução/Acervo pessoal)

Nos meses de março e abril de 2020, os doutores Aristóteles Goes-Neto, que coordena o recém-inaugurado Centro de Estudos Norte-Americanos (CENA) da UFMG, e Daniel Carvalho, bolsista de pós-doutorado do Capes PrInt UFMG – ambos do Departamento de Microbiologia do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG – ministrarão a disciplina on-line Network Science Applied to Agronomical and Biological Sciences (Ciência de redes aplicadas às ciências agronômicas e biológicas, em tradução livre), ofertada pelo Instituto de Agricultura e Recursos Naturais da Universidade de Nebraska-Lincoln (UNL), nos EUA.

Coordenador do Laboratório de Biologia Molecular e Computacional de Fungos do ICB, Goes-Neto supervisiona Carvalho no desenvolvimento de pesquisas e docência no Programa de Pós-Graduação em Bioinformática (Capes 7).

Em parceria com o Dr. James Schnable, professor da UNL, os pesquisadores brasileiros abordarão o uso das ciências de rede e suas aplicações em diferentes campos a fim de demonstrar aos estudantes como modelar as questões de suas pesquisas usando redes complexas, sendo capazes de melhor interpretar os resultados apresentados. O objetivo das ciências de redes é modelar sistemas como sendo um grupo conectado, possibilitando a criação de conexões entre diferentes componentes, a exemplo de genes, metabolismos, variedades de plantas, dentre outros.

Sobre o Centro de Estudos Norte-Americanos

Criado e aprovado através da resolução nº 17/2018 de 09 de outubro de 2018, o Centro de Estudos Norte-Americanos (CENA) tem a finalidade de expandir o processo de internacionalização da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), bem como suas oportunidades de cooperação externa, contemplando as relações da UFMG com os EUA e o Canadá.

Confira aqui a matéria do Estado de Minas sobre a inauguração do CENA.

Inscrições abertas para mestrado na Universidade de Genebra

Estão abertas, até dia 25 de dezembro, as inscrições para o Mestrado em Estudos Avançados em Governança Europeia e Internacional (MEIG) na Universidade de Genebra, na Suíça.

O programa combina estudos acadêmicos e treinamento prático, seguido de estágio em uma organização internacional ou estudo abrangente sobre um tema relacionado à governança.

Além disso, com objetivo de apoiar candidatos excelentes serão ofertadas bolsas de estudo para aqueles que não têm condições financeiras para cobrir os custos do programa.

Podem se inscrever graduados e jovens profissionais que já possuem experiência prática e desejam aprimorar seus conhecimentos sobre governança europeia e internacional.

Para mais informações, acesse o site www.meig.ch.

Seleção de bolsista para a Secretaria de Gabinete e Setor de Acolhimento da DRI – Edital 009/2019

A Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da UFMG torna público Edital 009/2019 que oferta duas vagas de bolsista, sendo uma para o setor de Acolhimento e a outra para a Secretaria de Gabinete DRI.

Podem se candidatar estudantes da graduação da UFMG, regularmente matriculados nos cursos de Administração, Arquivologia, Gestão Pública, Letras, Relações Econômicas Internacionais e Sistemas de Informação, Ciências Sociais, Comunicação Social, Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Psicologia, Ciências do Estado, Relações Públicas e Turismo. Com disponibilidade para trabalhar de segunda a quinta, de 9h às 12h ou de 14h às 17h.

É desejável que os candidatos tenham boa comunicação, demonstrem fluência na língua inglesa e uso apropriado da língua portuguesa na forma oral e escrita, bem como conhecimento intermediário do pacote Office. O conhecimento de outro idioma será considerado um diferencial.

O valor da bolsa é de R$400,00 mensais, com carga horária de 12 horas semanais.

Mais informações sobre a candidatura e detalhes sobre a vaga estão disponíveis no Edital 009/2019.

Clique aqui para acessar a ficha de inscrição.

Manoel Bernardes, Cônsul da França, é o quarto convidado da DRI para o ‘Encontro com o Cônsul’

Da esquerda para a direita: Dr. Philippe Makany, Adido cultural da França, Dr. Manoel Bernardes, Cônsul Honorário da França, Prof. Alessandro Mendes, Vice-reitor da UFMG, Dr. Yves Mahé, Presidente da Aliança Francesa em Belo Horizonte, e Prof. Aziz Saliba, Diretor de Relações Internacionais da UFMG.

“Reitero o desejo de que a UFMG seja um parceiro privilegiado de todas as universidades na França”. Essas palavras do Dr. Manuel Bernardes, Cônsul Honorário da França em Belo Horizonte, resumem a quarta edição do ‘Encontro com Cônsul’, realizada na última quarta-feira, 13, na sala de reuniões da DRI. Iniciativa do Setor de Acolhimento da DRI, o evento tem o objetivo de auxiliar a comunidade internacional da UFMG nas relações com seus países de origem. Nessa edição, presidida pelo Diretor de Relações Internacionais da UFMG, Prof. Aziz Saliba, também foram convidados o Dr. Philippe Makany, Adido cultural da França, e o Dr. Yes Mahé, Presidente da Aliança Francesa – ambos dos gabinetes de Belo Horizonte. Esteve presente ainda o Vice-Reitor da UFMG, Prof. Alessandro Moreira.

Ao dar início às discussões, o Prof. Saliba pontuou a dimensão das relações entre Brasil e França. “Somos o quinto maior destino de estudantes em mobilidade”, mencionando projetos que influenciam nas estatísticas, como convênios de cotutela e o recém-inaugurado Centro de Excelência Jean Monnet. De forma complementar, o vice-reitor destacou a importância dos encontros para o fortalecimento para fortalecer as parcerias da Universidade com instituições internacionais. “Queremos trazer para a UFMG atividades que o estudante poderia realizar no exterior de forma a agregar o conhecimento dos alunos”, concluiu.

Em suas falas, os representantes franceses mencionaram pontos pertinentes sobre as relações entre os países. O cônsul, que é ex-aluno da UFMG, graduado em engenharia civil e arquitetura, abordou a institucionalização dessas relações por meio de programas, como o Capes, BRAFITEC e cotutelas. “Há pouca oferta de proficiência nas universidades mineiras: sobra vagas de mobilidade por insuficiência de alunos com a proficiência”, contrastou. Ainda em seu discurso, ressaltou a importância do serviço prestado pelo CENEX-FALE e defendeu a inclusão de leitores franceses nas instituições de ensino superior com cooperação do Consulado. “O efeito multiplicador de investir em leitores é maior do que o envio de alunos para o exterior”, finalizou.

Elaine Parreiras, do Setor de Acolhimento da DRI e organizadora do evento, e Dr. Manoel Bernardes, Cônsul Honorário da França.

Em consonância com o cônsul, o líder da Aliança Francesa e o Adido salientaram a importância do investimento na língua francesa na UFMG. “É frustrante ver que muitos estudantes não consigam estudar na França por questões linguísticas, mas estamos trabalhando em questões nesse sentido”, afirmou o Dr. Mahé.

No decorrer do evento, os presentes, representados por docentes e discentes da comunidade acadêmica, expuseram suas dúvidas e foram atendidos pelos convidados, propiciando um fortalecimento dos laços acadêmicos e científicos entre as instituições brasileiras e francesas.

Confira o álbum de fotos.

Fórum Internacional discute a temática do Acolhimento e Internacionalização na UFMG

Na última segunda-feira, dia 11, o Setor de Acolhimento da Diretoria de Relações Internacionais (DRI) promoveu o III Fórum Internacional de Acolhimento e Internacionalização da UFMG. Com um caráter transdisciplinar, colocando em pauta a internacionalização no âmbito da educação superior e o acolhimento da comunidade internacional em mobilidade acadêmica ou na situação de migrante, o evento fomentou discussões por meio de variadas abordagens e exposições, tendo como objetivo abordar o estabelecimento de uma sólida política de internacionalização e expansão das políticas de acolhimento nas instituições.

Com uma mesa de abertura presidida pelo Diretor de Relações Internacionais da UFMG, Prof. Aziz Saliba, acompanhado pela Pró-reitora de Extensão, Profa. Cláudia Mayorga, e pelo Coordenador do Português como Língua Adicional, Prof. Leandro Diniz, o contexto da internacionalização na Universidade foi o primeiro painel debatido. “Por que internacionalizar?”, foi o ponto de partida do diretor. “É importante destacar aspectos pragmáticos. Observando as citações anuais em trabalhos da UFMG, percebe-se que há um aumento substancial quando em colaboração internacional”, afirmou. Ao mencionar dados globais, a recém-criada Formação Transversal em Estudos Internacionais e a nova resolução para refugiados na UFMG, além de outros acordos firmados com instituições no exterior, Aziz pontua: “A universidade tem que ser a lanterna na proa, ela tem que apontar os rumos para o país”.

Professor Aziz Tuffi Saliba, Diretor de Relações Internacionais da UFMG.

Ainda na primeira mesa, a Pró-reitora Profa. Cláudia abordou o papel da extensão nas políticas de acolhimento e internacionalização. “É muito relevante quando pensamos no conhecimento que coopera com uma sociedade mais justa e igualitária”, citando a expansão de redes, como a de saúde mental, que expandem a permanência de indivíduos na Universidade. Por fim, o professor da Faculdade de Letras usou de perspectivas da linguística para permear a discussão central. “Internacionalizar-se é trabalhar o inter-nações, o inter-mundos, o inter-culturas”, ressaltando processos que valorizam a diversidade cultural nas diferentes práticas acadêmicas e pedagógicas. Leandro baseou-se na Resolução da Política Linguística na UFMG.

Da esquerda para a direita: Cláudia Mayorga, Pró-reitora de Extensão da UFMG, Aziz Tuffi Saliba, Diretor de Relações Internacionais da UFMG, e Leandro Diniz, Coordenador das disciplinas regulares de Português como Língua Adicional.

Durante o segundo painel da manhã, intitulado “DRI Talk: Gestão de Relações Internacionais em Instituições de Ensino Superior”, as convidadas Maria Eduarda de Oliveira, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), e Jaqueline Schultz, Coordenadora de Assuntos Internacionais da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), discorreram sobre os avanços e desafios na internacionalização das instituições de ensino superior brasileiras. Ambas foram mediadas por Luciana Fiuza, responsável pelo setor de Gestão de Operacional e de Informações da DRI/UFMG.

“Estamos nesse momento num processo de sistematização da internacionalização das universidades, o que tem tornado cada vez mais concreto nossas realizações”, comemorou Luciana. Nas trocas de experiências, as profissionais das três instituições públicas compartilharam experiências bem-sucedidas e aprendizados, além de pontos em que avanços ainda são necessários. “É interessante ver como nós, estaduais e federais, temos dificuldades semelhantes e isso nos motiva: estamos no caminho certo”, afirmou a representante da UEMG. “A Internacionalização exige que sejamos criativos: muitas vezes temos que trabalhar dentro da própria instituição, ao contrário de viagens, para fomentar esse ciclo”, concluiu.

Maria Eduarda de Oliveira, da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Jaqueline Schultz, Coordenadora de Assuntos Internacionais da Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), e Luciana Fiuza, responsável pelo setor de Gestão de Operacional e de Informações da DRI/UFMG (da esquerda para a direita).

No período da tarde, estudantes de graduação e pós-graduação realizaram apresentações na modalidade Pecha Kucha dividas nos eixos “Políticas públicas, sustentabilidade e direitos humanos”, “Arte, cultura, literatura e línguas” e “Ações de acolhimento, hospitalidade e atenção para migrantes”. Ao todo, dez estudantes prepararam seus trabalhos nesse formato composto por vinte imagens de vinte segundos cada, totalizando seis minutos e quarenta segundos, no qual linguagem visual e verbal se complementam a fim de exibir um conteúdo fácil, eficiente e adequado à finalidade da ocasião: manter uma forma concisa e incentivar o interesse do público, além de totalizar o número de apresentadores.

Quatro estudantes foram premiados: Clarice Farina, em terceiro lugar, com o trabalho “O curso Pré-PEC-G na UFMG”; Marina Reinoldes, na segunda colocação, pelo pitch “O projeto MemoRef: uma iniciativa estudantil para acolher pessoas em situação de refúgio”; e empatados com as maiores notas, Cora Zambrano, da Universidade Estadual de Roraima, que apresentou “Contribuições das instituições públicas de ensino superior roraimenses no acolhimento de imigrantes”, e João Victor Pessoa, da UFMG, com “O trabalho voluntário como oportunidade e como diferencial para a mobilidade internacional”.

A comissão avaliadora das apresentações foi composta por Elaine Parreiras, Elisa Dineli, Flávia Caldeira, Janete Roland, Katherine Rodrigues, Luciane Novaes, Marcos Araújo, Profa. Climene Arruda, Samira Marques e Thatiana Marques – todos profissionais de diferentes setores da Diretoria de Relações Internacionais da UFMG.

Cora Zambrano, da Universidade Estadual de Roraima, apresentou “Contribuições das instituições públicas de ensino superior roraimenses no acolhimento de imigrantes”.

João Victor Pessoa, da UFMG, apresentou “O trabalho voluntário como oportunidade e como diferencial para a mobilidade internacional”.

O terceiro painel do dia foi marcado pela solenidade de encerramento e premiações do evento, presidida pelo Diretor Adjunto de Relações Internacionais da UFMG, Prof. Dawisson Lopes, pelo Diretor de Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia, Waldenor Barros Filho, e pela Assessora de Cooperação Nacional e Internacional do Governo de Minas Gerais, Maria Bueno.

A partir de uma abordagem sistemática da internacionalização nas universidades atuais, Waldenor Filho, que também é Presidente do Conselho de Gestores de Relações Internacionais das IFES, é preciso: “Há dois lados da moeda: a Internacionalização no exterior e aquela feita em casa”. Embasado na retórica da existência de políticas de internacionalização no Brasil ou se o que ocorre são apenas ações isoladas, o gestor discutiu as tentativas de incluir o Brasil nesse ambiente de competência global, fomentando interações multiculturais, em uma perspectiva sustentável. “A Internacionalização vai além de colocar placas em vários idiomas e enviar pessoas para o exterior. É preciso mudar as perspectivas. Enquanto precisarmos provar que internacionalizar é preciso, não teremos atingido nosso objetivo”, argumentou. “No mundo globalizado em que estamos, não é possível que o conhecimento seja produzido isoladamente e guardado em uma caixinha. Ao somar-se com instituições estrangeiras, a velocidade dos resultados é tão grande que impossibilita a não ocorrência da internacionalização”.

Waldenor Barros Filho, Diretor de Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia e Presidente do Conselho de Gestores de Relações Internacionais das IFES.

Em sua fala, Maria Bueno discutiu a importância de mudanças nas noções culturais pré-existentes. “A Internacionalização em si não é só a mudança de cultura, mas a criação de uma cidadania global por meio da empatia e respeito”, afirmou. “Estamos lidando com pessoas de backgrounds e experiências completamente diferentes que sempre têm algo a agregar”.

Por fim, o Diretor Adjunto pontuou aspectos pertinentes nas falas dos convidados além de ressaltar discussões anteriormente levantadas no evento.

Maria Bueno, Assessora de Cooperação Nacional e Internacional do Governo de Minas Gerais, Prof. Dawisson Lopes, Diretor Adjunto de Relações Internacionais da UFMG, e Waldenor Barros Filho, Diretor de Relações Internacionais da Universidade Federal de Uberlândia.

Exposições:

Além da programação em auditório, o Fórum contou com variadas atrações durante o evento: Varal de Poesias, Exposição de Fotografias, Mostra Fotográfica e Feira de Artesanato e Culinária do Coletivo de Mulheres Migrantes Cio da Terra.

Participantes da votação e premiação, o Varal de Poesias recebeu nove textos de estudantes da UFMG, UniBH e Instituto Newton Paiva. Foram premiadas as composições de Miriam Lorentz, “Pátria honrada”, e de Daniele Nascimento, “Chegada”, em primeiro e segundo lugar, respectivamente. Além disso, também foram premiados os mais votados na Mostra Fotográfica. Sob o tema “Seu olhar me abraça”, a primeira colocação ficou para Juan Silva, Guido Brogiani e Maria Alejandra, com os registros “Ser-tão – Sagarana” e “Vidas Paralelas”. Em segundo lugar, foram premiados Matheus Viana e Valentinne Derçon pelas fotografias “Desconstruindo Fronteiras: Reconhecer/Integrar”.

Elaborada pelos artistas Edhu Nascimento e Cris Xavier, a exposição da série “Janelas” procura explorar as aberturas precárias encontradas em muros nos espaços urbanos e convida o olhar curioso a observar o outro lado.

Exposição da série “Janelas”, dos artistas Edhu Nascimento e Cris Xavier.

Organização: 

A terceira edição do Fórum Internacional de Acolhimento e Internacionalização da UFMG foi idealizado e realizado por Elaine Parreiras, do Setor de Acolhimento, Luciana Fiuza, do Setor de Gestão Operacional e Informação, Luciane Novaes, do Setor de Mobilidade, e Thatiana Marques, do Setor de Programas Especiais – servidoras da Diretoria de Relações Internacionais (DRI) da UFMG.

Confira a galeria completa de fotos.

Divulgação do Resultado da 1ª Etapa após período de recurso referente ao Programa Escala Docente – Chamada 016_2019

A Diretoria de Relações Internacionais (DRI) torna público o resultado da 1ª Etapa após período de recurso, do Programa Escala Docente AUGM (Chamada 016_2019).

Os docentes que tiveram suas inscrições aprovadas terão suas candidaturas enviadas para avaliação nas respectivas instituições de interesse e receberão todas as orientações iniciais por e-mail.

Acesse a lista de aprovados aqui.